Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DIAL P FOR POPCORN

DIAL P FOR POPCORN

Uma lista de 11 para o dia 11/11/11

Como saberão, esta sexta-feira é dia de palíndromo (um palíndromo imperfeito, mas ainda assim). Às 11:11 horas deste dia 11/11/11, assistimos a um fenómeno que só ocorrerá novamente daqui a cem anos. Uns dizem que esse momento leva a grandes decisões e mudanças na vida, dado o misticismo em volta da dada e superstições populares, para outros é apenas mais um minuto do seu dia.  Posso dizer que a essa hora estava bem ferrado no sono.

De qualquer forma, referi isto por que razão, perguntam-me vocês. Pois bem, em resposta ao curioso desafio do Nathaniel Rogers no seu The Film Experience, aqui estão as minhas onze coisas favoritas de hoje. Ou, já que é de cinema que se fala nesse site e neste, os meus onze actores (e actrizes) favoritos de hoje em dia. Claro que se excluem aqui as grandes glórias como Meryl Streep, Al Pacino, Jack Nicholson, Dustin Hoffman, Julianne Moore, Michael Caine, Robert DeNiro, Daniel Day-Lewis, Brad Pitt, George Clooney, Judi Dench, Emma Thompson, Anjelica Huston, Sissy Spacek, entre outros. Estamos a falar de actores e actrizes que não são (ainda) lista-A em Hollywood apesar da grande maioria deles estar bem lá perto (e Kate Winslet, quer se queira quer não, não gosta de ser considerada como lista-A).


Cate Blanchett | Christian Bale | Ewan McGregor


 James McAvoy | Kate Winslet| Marion Cotillard


 Michael Fassbender | Michelle Williams | Nicole Kidman


Ryan Gosling | Tilda Swinton


Quais são os vossos? (Ou, se preferirem, vão ao The Film Experience deixar outra lista; há lá várias listas curiosíssimas).

Especial Animação: Melhores Vilões Disney

A acompanhar os sete artigos dos nossos convidados para a nossa Semana de Apreciação à Animação, vamos ter outros artigos especiais dedicados ao tema, que se debruçarão sobre diversos componentes que fazem da animação dos géneros mais excitantes do cinema contemporâneo. No dia de encerramento - e aproveitando que os últimos filmes abordados cá pelo blogue possuem, de facto, vilões memoráveis (Cruella, Ursula, Queen of Hearts) - propus-me a compilar num artigo aqueles que são, para mim, os dez maiores vilões do universo Disney.

Menção Honrosa:
Mother Gothel ("Tangled") 

 
Já expressei a minha admiração pela categoria que esta vilã tem por diversas vezes, como sabem. Não foi incluída nesta lista por uma simples razão: não posso compará-la com vilões que são memoráveis há já muito tempo. Daqui a uma década, reavaliando, talvez já seja justo contá-la nesta lista. Para já... fica de fora. Mas fiquem sabendo que se a tivesse colocado seria seguramente a #3.

#10:
(empate)
HADES ("Hercules")
YZMA ("The Emperor's New Groove")


 Não sendo propriamente estereotipados vilões maléficos, os neuróticos, vaidosos e egoístas Hades e Yzma conseguem ser, cada um à sua maneira, bastante manipuladores, melindrosos e malvados. Os mirabolantes esquemas que engendram, as patetices em que se envolvem mais os seus ridiculamente desajeitados ajudantes e as suas ambições desmedidas não nos deixam, felizmente, levá-los muito a sério, transformando-os em brilhantes antagonistas para os protagonistas dos seus respectivos filmes. Bónus: James Woods e Eartha Kitt conferem uma personalidade poderosa aos seus vilões através das suas características vozes e os toques de génio na entrega das falas revelam-se hilariantes.


#9:
QUEEN OF HEARTS ("Alice in Wonderland")

Desconcertante, rude e com a mania de ser o centro das atenções, a Rainha de Copas não é má per se; ela só gosta que lhe obedeçam. Ou isso... ou cortem-lhes a cabeça. Uma personagem tão peculiar quanto assustadora, psicótica, pomposa e colérica, a Rainha de Copas é uma das vilãs mais originais e estranhas que o universo Disney possui. Acaba por resultar num bom complemento à rebeldia e capacidade imaginativa de Alice, ao ser a primeira pessoa que lhe nega tais comportamentos e devaneios.

#8:
SCAR ("The Lion King")

Ao contrário dos vilões anteriores, Scar é realmente cruel. Alguém que não tem valores nem moral, alguém que atraiçoa tudo e todos - incluindo o irmão e o sobrinho - para chegar aonde quer. Intriguista, mentiroso, corrosivo, de um enganador porte físico, ar irónico e descontraído, Scar é não só o vilão mais fantástico que a Disney tem como também o mais porreiro. Ele é pura e simplesmente frio, desprovido de sentimentos. 
#7:
LADY TREMAINE ("Cinderella")


A vilã mais realista da Disney, Lady Tremaine é, por um lado, uma personagem bastante unidimensional. Por outro lado, funciona na perfeição para o que o filme precisa. Incorporando brilhantemente o estereótipo de madrasta má, Lady Tremaine é uma autêntica bruxa malévola, ambiciosa e sem escrúpulos. Abusiva, terrível e assustadora, de uma elegância e frieza letais, não queria tê-la pela frente, pois pelo que faz a Cinderela, nota-se que é capaz de tudo pelos seus objectivos.

#6:
GASTON ("Beauty and the Beast")


Como antagonista ao duo central de protagonistas em "Beauty and the Beast", Gaston personifica a mensagem principal que o filme quer passar, que a beleza interior é muito mais importante do que o se vê no exterior. Gaston é-nos descrito, numa fase inicial do filme, essencialmente como o homem perfeito, mas vai-nos sendo mostrado que Gaston perde largamente para o Monstro em termos de personalidade, de carácter e de bondade, num fio narrativo que caminha passo a passo com a progressão da relação entre Bela e o Monstro e a descoberta de que o Monstro, afinal, não é o mau da fita.  Gaston é que é. Vil, vulgar, rude, Gaston é uma alma perturbada.

#5:
CRUELLA DE VIL ("101 Dalmatians")


A vilã que mais odiamos amar, Cruella de Vil é uma personificação do mal até no nome. Sem qualquer remoso ou pingo de amabilidade, Cruella só vive para as peles, o seu único conforto, não se importando com nenhum ser vivo, seja pessoa ou animal, a não ser ela. Com um aspecto físico horrendo a combinar com o seu nome ameaçador e o seu semblante arrepiante, Cruella, é como o seu nome diz, verdadeiramente cruel e vil. Histriónica e até cómica (por vezes), icónica e memorável pela sua ferocidade e tenacidade, Cruella é, sem dúvida, uma das mais fenomenais criações da casa Disney.

#4 e #3:
JUDGE FROLLO ("The Honchback of Notre Dame")
EVIL QUEEN ("Snow White")

Sessenta anos separam estes dois lendários vilões Disney e a sua história entrecruza-se de várias formas. Ambos adoptaram o filho de alguém que desprezavam. Ambos se têm em demasiado elevada consideração. Ambos pagam, no final, pelas injustiças e maldades cometidas. E o mais curioso é que cada um, à sua maneira, considera que o que faz é justificado, tal a imersão no seu mundo à parte. Capazes de cometer os piores e mais desumanos actos (como ordenar a queima em praça pública de milhares de inocentes ou mandar matar alguém e arrancar o seu coração como prova), Frollo e a Evil Queen são dois espécimes inacreditáveis, que sucumbiram à corrupção e à sede de poder do mundo.

#2:
URSULA ("The Little Mermaid")


Ursula, a vilã da história, que assume a forma de um intimidativo polvo, que, ao contrário do que se possa pensar, não é só feia, temível e maléfica. É também detentora de um mordaz, negro sentido de humor, de um inesquecível egocentrismo e vaidade (uma verdadeira diva no sentido literal da palavra) e de uma impressionante imaginação que acompanha os seus malvados planos. Uma vilã versátil, que além de mal-intencionada é inteligente e criativa, Ursula é única no universo Disney. Completamente bipolar, miserabilista, vingativa e sedenta de poder, Ursula não olha a meios para atingir os fins, o que faz dela uma das vilãs mais perigosas da história dos estúdios.


#1:
MALEFICIENT ("Sleeping Beauty")

"You thought you could defeat me, the mistress of all evil!"
 
Nunca considerei mais ninguém para o meu lugar cimeiro. Uma vilã de impor respeito a vários dos vilões mencionados acima, quanto mais a meros humanos. O seu aspecto é, por si só, garantia suficiente de medo e susto, com a sua face esverdeada, o seu manto preto e roxo, os seus cornos e os seus lábios carnudos vermelhos. De uma elegância e sofisticação espantosas. A sua gargalhada gélida e maldosa, a sua voz imperial capaz de trespassar qualquer um, a impotência de todos os outros perante o seu óbvio poder e o medo que instiga são, de facto, características inolvidáveis daquela que é a maior vilã da Disney. Maleficient não é como os outros vilões, que agem por causa disto ou daquilo. Ela gosta de ser má. Ela gosta de ser vingativa. Ela gosta de ser o centro das atenções pelas razões erradas. Ela gosta que tenham medo dela. E isso faz uma diferença enorme. Ela é, numa só palavra, a epítome de todo o mal, uma assassina a sangue frio e tudo porque não foi convidada para uma festa.


Agora vocês: qual o vosso top-10 de vilões?

Os Melhores de 2010, por João Samuel Neves

Antes da publicação daqueles que, para mim, são os melhores filmes do ano de 2010, informo apenas que o atraso na divulgação desta lista se deveu unicamente ao facto de alguns filmes que são registados como pertencentes a 2010 (segundo o site imdb.com) se encontrarem, muitas das vezes, indisponíveis para visualização durante o referido ano. Aquilo que aqui vos deixo é uma opinião pessoal, e como tal, perfeitamente discutível.



1 - Biutiful A

2 - I Saw The Devil A

3 - Incendies A-
4 - True Grit
A-
5 - The Fighter
A-
6 - Four Lions A-

7 - Haevnen A-
8 - Inception
B+
9 - Another Year B+
10 - Blue Valentine
B+
11 - The Social Network B+
12 - Inside Job
A-
13 - The Man From Nowhere B+
14 - Tropa de Elite 2
B+
15 - Confessions
B+
16 - 127 Hours
B+
17 - I’m Still Here
B
18 - Kick-Ass
B
19 - The King Speech
B
20 - Black Swan B

Walt Disney, 50 filmes e 10 dias depois - está concluído o top das músicas Disney


E é hoje que terminamos o top!

Pois bem, nem parece mas já se passaram dez dias desde que comecei este hercúleo e complicado projecto (e arriscado também, acho apropriado dizer). Sabia desde o primeiro dia que escolher só cinquenta das centenas de músicas do universo Disney (estúdios Walt Disney, porque para as contas não entraram os outros dois estúdios da família) iria ser, além de uma tarefa difícil de gerir, muito injusto. No entanto, fico contente por tê-lo feito e pelo feedback positivo que fomos recebendo aqui no blogue. Este projecto, em conjunto com o PERSONAGENS DA MINHA VIDA, foi tratado com bastante entusiasmo e apoio pelos nossos leitores, o que muito agradeço. Só dão força para continuar com ideias desta magnitude. 

Não me adianto mais, deixo-vos ficar com o final desta rubrica que, imagino eu, foi o que vos trouxe cá





"AS MINHAS CINQUENTA MÚSICAS DISNEY FAVORITAS",
por Jorge Rodrigues
 

#50-46 | #45-41 | #40-36 | #35-31 | #30-26
#25-21 | #20-16 | #15-11 | #10-1





10. "Going to Distance", HERCULES


Merecidamente nomeada para Óscar, esta balada intemporal sobre a descoberta do valor de cada um de nós, sobre onde vamos buscar vontade e inspiração para continuar a andar para a frente, é o auge de toda uma banda sonora brilhantemente composta e arranjada. E as duas grandes vozes que emprestam sonoridade à canção, Michael Bolton e Miguel Ângelo, são também elas pontos a favor.


Versão Original (Michael Bolton):

Versão Portuguesa (Miguel Ângelo):






9. "I See The Light", TANGLED



Estou verdadeiramente obcecado com esta música e não percebo porquê. Não é por ser nova porque estou farto de a elogiar pelo estilo retro, old school Disney que a canção tem. Não é pelas vozes porque, mesmo gostando muito de Mandy Moore e Zachary Levi, eles nem estariam provavelmente no meu top-10 de cantores que emprestaram vozes à Disney. Não é por Alan Menken porque só o trabalho desse homem nos anos 90 dava para fazer uma lista de 100 músicas preferidas. Então por que razão a tenho tão alta? Pura e simplesmente esta: ela encanta-me. 


Versão Original (Mandy Moore & Zachary Levi):

Versão Portuguesa (Anabela & Henrique Feist - razoável qualidade):





 8. "Once Upon a Dream", SLEEPING BEAUTY


A música que define o que é um conto de fadas com o selo Disney. Linda, espirituosa, apaixonante. Em 2:26, define tão bem o que é estar apaixonado e sentir-se amado por alguém. Ao mesmo tempo que funciona como a esperança da princesa que o seu príncipe ouça e venha atender ao seu sonho. E uma vez mais a versão portuguesa dá cartas. Arrepiante. Interessante será também dizer que a primeira vez que ouvi esta música não gostei. Mas ela precisa de múltiplas audições para nos envolver completamente.


Versão Original (Mary Costa & Bill Shirley):

Versão Portuguesa (Ana Paula Almeida & Manuel Rebelo):





7. "Colors of the Wind", POCAHONTAS



Se todo o filme tivesse o nível das suas canções, teríamos uma obra-prima. POCAHONTAS não é, longe disso, uma obra-prima, contudo é, ainda assim, um filme envolvente e impressionante que nos deixa afectados pelas suas lições de liberdade, de amizade, de compromisso e fidelidade à Natureza. Esta música, cantada muito bem na versão original por Vanessa Williams (exactamente, a Wilhelmina de "Ugly Betty") e cantada ainda melhor na nossa versão pela única Susana Félix, funciona como força motriz da película, criando na cabeça de John Smith, pela primeira vez, alguma noção do que é o certo e o errado, desafiando todas as convenções que ele mantinha como ideais (como os índios serem selvagens bárbaros). 


Versão Original (Vanessa Williams):

Versão Portuguesa (Susana Félix):






6. "Under the Sea", THE LITTLE MERMAID



Haverá música Disney que mais vontade nos dê de dançar que esta? Além de Sebastião fazer uma brilhante exposição de por que razão a vida no mar é melhor que a terrestre, o bom humor, a diversão e o som explosivo dos ritmos do Caribe presentes na maravilha canção são uma combinação impossível de resistir. Só dá vontade de sorrir e dançar.


Versão Original (Samuel Wright):

Versão Portuguesa (Pedro Malagueta):





5. "When You Wish Upon A Star", PINOCCHIO

Por alguma razão, digo eu, é a música que define a Disney (a que toca no genérico que introduz cada filme). PINOCCHIO é considerado o melhor filme de sempre da Disney (méritos a parte, é uma história belíssima de qualquer forma), mas a razão principal para tal não reside na sua banda sonora. Todavia, "When You Wish Upon a Star" é a peça musical, de todas as cinquenta que cá singularizei, que mais magia Disney tem condensada. Consegue-se sentir os pozinhos de perlimpimpim a chegarem até nós através de cada nota musical tocada, acompanhada pelo mais lindo refrão Disney: "When you wish upon a star / Make no difference who you are / Anything your heart desires / Will come to you". Com a Disney, sabemos que é verdade: os sonhos tornam-se realidade.


Versão Original (Cliff Edwards):

Versão Brasileira (Aristóteles Pena):

Versão Portuguesa (Carlos Mello):






4. "A Whole New World", ALADDIN

Começo a ficar sem adjectivos para descrever estas últimas canções, por isso desculpem-se se sair algum adjectivo repetido. Agora pergunto: alguma vez estiveram numa situação em que sentem em felicidade e paz completas, um sentimento absolutamente indescritível, como se a vossa vida tivesse alinhado na perfeição e tudo fosse perfeito nesse momento? Isso é o que "A Whole New World" descreve e transmite. Momentos de felicidade e prazer plenos, a exuberância do amor verdadeiro.


Versão Original (Scott Weinger e Linda Larkin):

Versão Brasileira (Joseph Carasso Jr. e Kika Tristão):

Versão Portuguesa (Edgar Fernandes e Anabela):





3. "Circle of Life", THE LION KING

Não só é a melhor cena inicial dos filmes Disney todos, não é só das cenas mais poderosas e de maior relevo que a Disney já produziu, como também é uma mistura perfeita de música, de desenho e de poderio visual. É uma música sem qualquer falha que transcende o ecrã, transformando uma abertura já de si brilhante numa cena que fica na retina o resto do filme. É um prólogo fabuloso. Um momento único de cinema.


Versão Original (Carmen Twillie, Lebo M. e Mbongheni Ngema):

Versão Portuguesa (Ana Paulino com vocais africanos por trás):





2. "Part of Your World", THE LITTLE MERMAID

O clamor de lamento e desespero mais recordado em toda a história da Disney. Ainda hoje, se vir o filme, fico imerso numa tristeza quando chega ao refrão final desta canção, de tão destroçadora que é. Ariel é uma presença luminosa no ecrã, com uma alegria contagiante, que quando a vemos no seu mais frágil e vulnerável, quando ela mostra o que vai na realidade no seu coração, quando a vemos exasperar o seu desejo de fugir do mar, uma pessoa que não se identifique com a situação dela (todos nós já sentimos, num momento ou noutro, vontade de fugir a uma situação, de escapar de alguns momentos menos bons na vida) não pode ser humana. Além de tudo isto, a sequência da qual faz parte esta música é, também ela, genial. THE LITTLE MERMAID é, para mim, o filme mais grandioso que a Disney já concebeu. E esta "Part of Your World" uma música que me toca, sempre, no coração.


Versão Original (Jodi Benson):

Versão Portuguesa (Brasileira - Gabriela Ferreira; Portuguesa - Anabela):






1. "Beauty and the Beast", BEAUTY AND THE BEAST
1
Feitas as contas, no fim de tudo isto, eu não podia não colocar esta música em #1. É por canções como esta que as crianças se apaixonam pela Disney, é por canções como esta que milhões de jovens raparigas, ao ver pela primeira vez Bela e o Monstro como amantes inesperados, começam a sonhar com os seus príncipes, é por canções como esta que um rapaz como eu começou a aprender que existem tantas outras pessoas diferentes de nós que devem ser de igual modo respeitadas. Será consenso geral que esta é a música que melhor define o espírito da Walt Disney, que esta é a melhor música que alguma vez foi composta para um filme animado. E não me admira que toda a gente saiba cantarolar os versos desta canção. Ela é, simplesmente, viva, original, única, arrebatadora.



Versão Original (Angela Lansbury):

Versão Portuguesa (Portuguesa - Ermelinda Duarte; Brasileira - Miriam Peracchi):




E agora, que terminámos isto... Qual a vossa opinião? Que músicas faltaram mesmo? Que músicas vos fizeram recordar outros tempos? Queremos saber tudo.





Walt Disney, 50 filmes depois - um top diferente do habitual


E terminamos ao pé do top-10 hoje..

Para comemorar a estreia de "Tangled", a continuar na senda musical dos últimos dias (ainda virá mais um artigo a respeito de bandas sonoras mais daqui a pouco), decidi compilar um top consideravelmente diferente: em vez de analisar, classificar, ou listar os cinquenta filmes da Disney por ordem de preferência, vou optar por fazer uma lista.

A minha lista, contudo, não será dos filmes. Será das músicas. Colocando cinco músicas por dia, chegaremos a dia 31 de Dezembro com as minhas cinquenta músicas preferidas do universo Disney.



Primeiro, queria pedir-vos um favor: não julguem a lista nem a levem demasiado a sério. Acaba por ser uma escolha muito pessoal e, quando assim é, é sempre bem feito. Estamos a falar de músicas que nos dizem a todos coisas diferentes, que nos transportam para outro mundo, que nos ensinaram e nos acompanharam ao longo do nosso crescimento. 

Queria pedir-vos ainda outra coisa: que me vão apontando, ao longo dos dias, sugestões de músicas que eu possa talvez ter esquecido e que vocês gostavam que incluísse na lista. Agradecia o máximo de sugestões possíveis (tentem não pensar nas mais óbvias, daquelas que indubitavelmente eu teria na lista).



"AS MINHAS CINQUENTA MÚSICAS DISNEY FAVORITAS",
por Jorge Rodrigues
 

#50-46 | #45-41 | #40-36 | #35-31 | #30-26
#25-21 | #20-16 | #15-11 | #10-6 | #5-1






15. "Unbirthday Party", ALICE IN WONDERLAND


Digam o que quiserem desta canção, é um clássico. Além de ser fácil de decorar (a ponto de eu já a ter cantarolado até em comboios), além de fazer parte do meu imaginário desde há muitos anos, além do facto de já a ter cantarolado com outras pessoas nas ruas de Coimbra, esta música contém todo o espírito deste ALICE IN WONDERLAND. Irónica até dizer chega, ternurenta e divertida, deixa logo qualquer pessoa bem-humorada.



Versão Original:

Versão Portuguesa:





14. "Friend Like Me", ALADDIN

Um testemunho ao génio do Génio. Carismático, inventivo e o servente mais divertido que alguma vez alguém terá, é nesta música que o Génio de ALADDIN se revela. Histriónico e excêntrico, é certo, mas com um entusiasmo que nos excita só de ver. E uma das melhores cenas de um filme de animação.


Versão Original:

Versão Portuguesa:





13. "Be Our Guest", BEAUTY AND THE BEAST

Mais uma cena brilhante, desta vez do quase perfeito BEAUTY AND THE BEAST. Ao grande estilo de um musical da Broadway, os objectos domésticos viram autênticos bailarinos e cantores e montam uma grande produção cujo objectivo era apresentar o jantar a Belle. Escusado será dizer: foi um sucesso.


Versão Original:

Versão Portuguesa:





12. "Just Around the Riverbend", POCAHONTAS

A escolha mais pessoal da minha lista. "Just Around the Riverbend" é bem capaz de ser a minha música Disney favorita, mas tenho também noção que não tem arcabouço para as onze músicas que estão acima dela. É uma pena que muitos a ignorem, porque é uma canção que acho magnífica, que aborda diversos valores morais importantes, como a liberdade, a força de vontade e a diferença entre o certo e o errado. E a viagem rio abaixo é emocionante.


Versão Original:

Versão Portuguesa:





11. "Reflection", MULAN

Uma canção poderosa e muito forte em termos emocionais, "Reflection" é a MVP das canções de MULAN. A voz de Christina Aguilera (em português: Anabela) transforma as palavras da melodia em pura magia, dando a Mulan uma fragilidade e vulnerabilidade que ainda não tínhamos visto destacado na personagem e que dá o mote, de forma brilhante, para a cena que se segue, em que Mulan tem que escolher entre agradar-se a si ou agradar a sua família.


Versão Original:

Versão Portuguesa:









E agora a pergunta que se impõe: Quem é que acham que vai faltar no meu top-10?



Walt Disney, 50 filmes depois - um top diferente do habitual



Continuando a lista a caminho do #1...


Para comemorar a estreia de "Tangled", a continuar na senda musical dos últimos dias (ainda virá mais um artigo a respeito de bandas sonoras mais daqui a pouco), decidi compilar um top consideravelmente diferente: em vez de analisar, classificar, ou listar os cinquenta filmes da Disney por ordem de preferência, vou optar por fazer uma lista.

A minha lista, contudo, não será dos filmes. Será das músicas. Colocando cinco músicas por dia, chegaremos a dia 31 de Dezembro com as minhas cinquenta músicas preferidas do universo Disney.



Primeiro, queria pedir-vos um favor: não julguem a lista nem a levem demasiado a sério. Acaba por ser uma escolha muito pessoal e, quando assim é, é sempre bem feito. Estamos a falar de músicas que nos dizem a todos coisas diferentes, que nos transportam para outro mundo, que nos ensinaram e nos acompanharam ao longo do nosso crescimento. 

Queria pedir-vos ainda outra coisa: que me vão apontando, ao longo dos dias, sugestões de músicas que eu possa talvez ter esquecido e que vocês gostavam que incluísse na lista. Agradecia o máximo de sugestões possíveis (tentem não pensar nas mais óbvias, daquelas que indubitavelmente eu teria na lista).


"AS MINHAS CINQUENTA MÚSICAS DISNEY FAVORITAS",
por Jorge Rodrigues
 

#50-46 | #45-41 | #40-36 | #35-31 | #30-26
#25-21 | #20-16 | #15-11 | #10-6 | #5-1





25. "A Dream Is a Wish Your Heart Makes", CINDERELLA


Acima de tudo, é uma linda canção de amor. Por debaixo do que poderia ser desprezado como mais uma canção melódica como tantas outras da Disney, está toda uma emocionante viagem pela alegria e pela fantasia por onde este clássico da Disney nos transporta. E é isto que a diferencia das restantes. Tinha que ter uma música da CINDERELLA aqui. Foi esta que escolhi. Retrata bem o optimismo dela em sair da situação em que se encontrava.


Versão Original:

Versão Portuguesa:




24. "I'll Make a Man Out of You", MULAN

Sem dúvida, uma das melhores dobragens portuguesas de sempre. "I'll Make a Man Out of You" é engraçada em inglês, mas é na nossa língua que encontra todo o seu encanto e charme. Além de ter piada, é uma música que assenta particularmente bem a esta sequência do filme. Estaria acima se a versão inglesa não fosse tão má.


Versão Original:

Versão Portuguesa:








23. "In a World of My Own", ALICE IN WONDERLAND

Quem me conhece sabe do meu fascínio pela ALICE. Talvez por também eu criar muitas vezes um "mundo meu" onde me fecho e me entretenho, talvez porque ainda hoje sou uma criança com mil e uma perspectivas do mundo onde vivo, esta é uma das músicas que mais me toca. Por curiosidade, vou contar-vos que no esboço inicial da lista ela era a #40. De cada vez que cá venho colocar cinco músicas, ela foi subindo. Mas desta vez não podia subi-la mais. Ela é genial e uma bela homenagem aos sonhos e ao contraste com a realidade, contudo não é assim tão boa para merecer estar mais acima.


Versão Original:

Versão Portuguesa (Brasil - a que conheci):



Versão Portuguesa (a que agora se encontra à venda):






22. "Someday My Prince Will Come", SNOW WHITE AND THE SEVEN DWARFS


O primeiro grande clássico da Disney tinha como pano de fundo uma banda sonora de sonho. Este tema, "Someday My Prince Will Come", é ainda hoje reconhecido por qualquer pessoa e espelha tão bem a mensagem de amor, de felicidade e de bondade que o filme transmite. Foi a primeira grande canção de amor Disney e só por isso merecia um lugar de destaque entre as minhas melhores.

Versão Original:

Versão Portuguesa:





21. "The Bells of Notre Dame", THE HUNCHBACK OF NOTRE DAME

Uma das melhores músicas desta lista, até a podia ter colocado mais alto. Brilhante, imperial, a impor respeito. Até hoje acho que é a banda sonora Disney mais potente e mais desprezada. Não fosse a constante introdução de diálogo nos trechos da canção, esta música estaria no meu top-10. É que a canção em si e em particular o refrão no final, "Dobra ao som de Notre Dame", é belíssimo. Alan Menken e Stephen Schwartz no seu melhor.


Versão Original:

Versão Portuguesa:





E a lista continua amanhã...

Walt Disney, 50 filmes depois - um top diferente do habitual



E hoje, dose extra a compensar os dois dias de ausência... 10 músicas de uma vez só...


Para comemorar a estreia de "Tangled", a continuar na senda musical dos últimos dias (ainda virá mais um artigo a respeito de bandas sonoras mais daqui a pouco), decidi compilar um top consideravelmente diferente: em vez de analisar, classificar, ou listar os cinquenta filmes da Disney por ordem de preferência, vou optar por fazer uma lista.

A minha lista, contudo, não será dos filmes. Será das músicas. Colocando cinco músicas por dia, chegaremos a dia 31 de Dezembro com as minhas cinquenta músicas preferidas do universo Disney.



Primeiro, queria pedir-vos um favor: não julguem a lista nem a levem demasiado a sério. Acaba por ser uma escolha muito pessoal e, quando assim é, é sempre bem feito. Estamos a falar de músicas que nos dizem a todos coisas diferentes, que nos transportam para outro mundo, que nos ensinaram e nos acompanharam ao longo do nosso crescimento. 

Queria pedir-vos ainda outra coisa: que me vão apontando, ao longo dos dias, sugestões de músicas que eu possa talvez ter esquecido e que vocês gostavam que incluísse na lista. Agradecia o máximo de sugestões possíveis (tentem não pensar nas mais óbvias, daquelas que indubitavelmente eu teria na lista).


"AS MINHAS CINQUENTA MÚSICAS DISNEY FAVORITAS"
by Jorge Rodrigues
 

#50-46 | #45-41 | #40-36 | #35-31 | #30-26
#25-21 | #20-16 | #15-11 | #10-6 | #5-1






35. "Gaston", BEAUTY AND THE BEAST

Só a Disney e Alan Menken conseguiriam pegar num vilão tão ímpar e escrever-lhe uma canção que o iguale em termos de carisma. Tantos defeitos convertidos, por arte musical, em benefícios, eis o antagonista que BEAUTY AND THE BEAST precisava: ambicioso, confiante, egocêntrico, egoísta.


Versão Original:

Versão Portuguesa:




 
34. "Heigh Ho", SNOW WHITE AND THE WHITE DWARFS

A música mais facilmente reconhecível do clássico intemporal da Disney, SNOW WHITE, "Heigh Ho" não é uma música nada especial. Está num lugar tão alto por uma única razão: é, a par de "Hakuna Matata", uma música que TODA a gente conhece e sabe associar. Além de ser engraçada e alegre, é catchy e popular. Combinação difícil de bater.


Versão Original:

Versão Portuguesa:



 
33. "Belle", BEAUTY AND THE BEAST

As músicas iniciais de Alan Menken são sempre brilhantes a introduzir o pano de fundo dos filmes em que participa. A mais perfeita dessas introduções é, provavelmente, esta "Belle". Em cinco minutos, com a participação de várias vozes e de várias pessoas em diversas actividades, todos a comentar a personalidade e o aspecto da nossa protagonista, ficamos a conhecer Belle tão bem como qualquer pessoa que ali viva.


Versão Original:

Versão Portuguesa:




 
32. "You'll Be In My Heart", TARZAN

Phil Collins. Luís Represas. Duas grandes vozes, inconfundíveis. Emprestam um brilhantismo  e uma emoção a uma canção pop já de si ternurenta e amorosa, mas também muito profunda. É impossível não nos derretermos a ouvi-la. Em particular, há que elogiar a versão portuguesa, tão boa ou até melhor que a original.

Versão Original:

Versão Portuguesa:




 
31. "Prince Ali", ALADDIN

Uma verdadeira festa. "Prince Ali", quer cantada na versão original pelo formidável Robin Williams (responsável pelo timing comédico e pela sassyness do Génio, uma mudança refrescante em termos de sidekick nos filmes Disney), quer na versão brasileira que nos habituámos a ouvir ou na portuguesa, é uma festa. O objectivo é não ser levada a sério, como a maioria do Aladdin. É para ser aproveitar, apreciar e saborear cada nuance, cada acção que decorre, a cor e a magia.


Versão Original:

Versão Portuguesa:




  
30. "Something There", BEAUTY AND THE BEAST

Também me surpreende imenso encontrar na minha lista três músicas de BEAUTY AND THE BEAST seguidas, mas assim o é. Se servir de consolo... Só falta mais uma. Mas para lá chegarmos, ainda demora. Mas vamos a esta. "Something There" é a típica música romântica Disney. Doce, sensível, emocionante, fofinha, todos aqueles adjectivos que se podem enquadrar numa cena destas. Finalmente os dois encontram coisas em comum, finalmente os dois se dão bem. E o amor começa a acontecer.


Versão Original:

Versão Portuguesa:




 
29. "Poor Unfortunate Souls", THE LITTLE MERMAID

Se disser que é a melhor música de um vilão Disney, ninguém me iria desmentir. Aliás, se eu disser que é capaz de ser a melhor vilã Disney, pese Cruella e Maleficient, também ninguém me iria dizer o contrário. Úrsula é uma vilã brilhante, uma antagonista perfeita à história de THE LITTLE MERMAID e uma força motriz impressionante do filme. "Poor Unfortunate Souls" não é a melhor das músicas, mas uma música que nos proporciona frases imortais como "And you should never underestimate the power of body language" e outras que tais, merece todo o nosso respeito. E Pat Carroll é excelente.


Versão Original:

Versão Portuguesa:









28. "Baby Mine", DUMBO

Nem preciso explicar, pois não? De partir o coração.


Versão Original:

Versão Portuguesa (Brasileira):




 
27. "Hakuna Matata", THE LION KING

Tudo o que disse acerca de "Heigh Ho" aqui também se aplica. Só que a popularidade desta é exponencialmente maior. Timon e Pumba tornaram-se imortais no nosso imaginário à custa da alegre, bem-disposta, divertidíssima e relaxadíssima "Hakuna Matata", o seu próprio hino à vida.


Versão Original:

Versão Portuguesa:




 
26. "Kiss The Girl", THE LITTLE MERMAID


Também se nota a grande afluência de músicas de THE LITTLE MERMAID, eu sei. O problema é que esta banda sonora de Menken, em conjunto com a de Menken para BEAUTY AND THE BEAST e a de Zimmer para THE LION KING, são as melhores bandas sonoras que a Disney alguma vez produziu. Esta "Kiss The Girl" é uma mistura interessante de sons que resulta muito bem, com a voz reggae de Sebastião a servir de pano de fundo ao romance que se desenvolve no ecrã.


Versão Original:

Versão Portuguesa:

1.


A lista continua amanhã. Vamos entrar na parte superior da minha lista. Vão começar a aparecer só músicas conhecidas.

 

Walt Disney, 50 filmes depois - um top diferente do habitual



Continuando a contagem...


Para comemorar a estreia de "Tangled", a continuar na senda musical dos últimos dias (ainda virá mais um artigo a respeito de bandas sonoras mais daqui a pouco), decidi compilar um top consideravelmente diferente: em vez de analisar, classificar, ou listar os cinquenta filmes da Disney por ordem de preferência, vou optar por fazer uma lista.

A minha lista, contudo, não será dos filmes. Será das músicas. Colocando cinco músicas por dia, chegaremos a dia 31 de Dezembro com as minhas cinquenta músicas preferidas do universo Disney.



Primeiro, queria pedir-vos um favor: não julguem a lista nem a levem demasiado a sério. Acaba por ser uma escolha muito pessoal e, quando assim é, é sempre bem feito. Estamos a falar de músicas que nos dizem a todos coisas diferentes, que nos transportam para outro mundo, que nos ensinaram e nos acompanharam ao longo do nosso crescimento. 

Queria pedir-vos ainda outra coisa: que me vão apontando, ao longo dos dias, sugestões de músicas que eu possa talvez ter esquecido e que vocês gostavam que incluísse na lista. Agradecia o máximo de sugestões possíveis (tentem não pensar nas mais óbvias, daquelas que indubitavelmente eu teria na lista).


"AS MINHAS CINQUENTA MÚSICAS DISNEY FAVORITAS"
by Jorge Rodrigues
 

#50-46 | #45-41 | #40-36 | #35-31 | #30-26
#25-21 | #20-16 | #15-11 | #10-6 | #5-1






40. "He is a Tramp", LADY AND THE TRAMP


Tinha que estar tão acima só por duas coisas: pelas actrizes que emprestam as vozes à emblemática personagem da Peg. Peggy Lee e Rita Guerra, duas excelentes cantoras, dão a voz a uma música que, noutras mãos, não teria o mesmo efeito charmoso e nonsense que tem.

Versão Original:


Versão Portuguesa:









39. "Cruella DeVil", 101 DALMATIANS

Mais um caso de uma música que não tem tanto a ver com a música (que é má) mas com a personagem. Como criar uma lista de músicas Disney e não incluir a música que imortaliza uma das maiores vilãs Disney de sempre: Cruella DeVil.

Versão Original:


Versão Portuguesa (Brasil):




 

38. "The Bare Necessities", THE JUNGLE BOOK


A mais vívida lembrança que tenho de THE JUNGLE BOOK é esta música. Fazer "somente o necessário" é a ordem. Baloo, talvez a personagens mais relaxada e contentada do universo Disney, explica-nos humoradamente como sobreviver sem ter muito trabalho.

Versão Original:



Versão Portuguesa (Brasil):







37. "Down in New Orleans", THE PRINCESS AND THE FROG


A música introdutória de PRINCESS AND THE FROG fazia prometer um grande filme, que depois acaba por não se concretizar em pleno. Esta música inicial, cheia de alegria e de boa-disposição, dá o mote para o que já se sabia que seria um filme de princesas diferente.

Versão Original:


Versão Portuguesa (Reprise):











36. "Nothing Like a Friend", ALADDIN 2: RETURN OF JAFAR

Este lugar era para ser ocupado por "I Wonder", mas de repente lembrei-me do quanto gostava desta música, a música que o Génio canta numa das suas primeiras cenas em ALADDIN 2. O resto do filme não vale um terço do que esta canção vale, sendo por isso um momento de génio a valorizar num filme de outro modo medíocre. E uma cena que tem se acompanhada pelo vídeo.



Versão Original:


Versão Portuguesa:




A lista continua amanhã...