Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DIAL P FOR POPCORN

DIAL P FOR POPCORN

Game on, Leonardo


Pois é, Leonardo, tu bem sabes que eu não tenho ido muito com a tua cara. Andas desde "The Aviator" basicamente a reciclar o mesmo estilo de personagem, a mesma nuance dramática, os mesmos problemas existenciais. Dirão os seus acérrimos (e são mesmo, nunca vi nada que se equivalesse e eu sou um defensor maluco da Meryl Streep, porra!) defensores que é o melhor actor da sua geração e um dos melhores de sempre já. Discordo. Vi pouco ainda em termos de variedade e versatilidade para te compararmos - e só falando dos mais recentes astros - a DeNiro, Nicholson, Day-Lewis e outros que tais. 

Se me encantaste em "Who's Eating Gilbert Grape" e "The Basketball Diaries" foi porque a tua representação tem uma leveza e ingenuidade que não encontra par no imenso calculismo das tuas últimas interpretações. Foi preciso chegar Tarantino para te soltar um pouco. E o Baz (vá, com o Baz surpreendeste-me mesmo a sério). E pareces ter gostado, tendo em conta o trailer em estreia da tua nova colaboração com o Marty, "The Wolf of Wall Street", sobre a qual já afirmaste ser a tua melhor interpretação de sempre (ou a mais completa; alguma coisa parecida a isso).


Cá estaremos para julgar. Para já o trailer surpreendeu-me - não sabia que o Marty agora fazia comédias. Pelo menos tu pareces estar-te a divertir - e o Matthew McConaughey continua a ressurreição mais impressionante de uma carreira em Hollywood que eu vi em tempos recentes. Está um monstro - e quem não concordar, que veja "Killer Joe", "The Paperboy", "Magic Mike" e "Bernie" (e "Mud", a estrear) e depois venha falar comigo.


Deixemos as conversas sobre Óscares para mais tarde - embora admita que gostava de ver ambos com uma linda estatueta dourada, uma que premiasse a consistência e ascensão estratosférica do primeiro ao topo de Hollywood (admito que merece, mesmo eu não sendo o maior fã) e a recuperação fantástica do segundo.