Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DIAL P FOR POPCORN

DIAL P FOR POPCORN

TEMPORADA 2011/2012 - MARÇO






Penúltima edição da Temporada 2011/2012. A ressaca dos Oscars já se faz sentir neste mês, mas ainda assim optei por reservar espaço para o mês em que, tradicionalmente, os cinemas se enchem de espectadores que querem conhecer os recentes vencedores da noite da Academia. Começamos Março em grande, com um dos mais aguardados filmes deste ano. SHAME, o filme que nos fá-la das emoções de um playboy que conquista as mulheres da cidade de Nova Iorque. Fassbender faz um das melhores interpretações da sua carreira, num papel para o qual (penso eu) nasceu, e com uma categoria que o transformam num dos mais desejados actores da Hollywood.






Para a segunda semana, com estreia marcada para dia 8 de Março, aconselho-vos o filme francês DE VRAIS MENSONGES, com a sempre encantadora Audrey Tautou, que interpretará uma contagiante cabeleireira, que nos encanta desde o primeiro minuto. Demorou a estrear, mas felizmente estará disponível nos cinemas portugueses, e será sempre uma óptima escolha caso se decida a dar-lhe uma oportunidade. Se for adepto de filmes mais intensos, mais duros, poderá optar por KILL LIST, um típico filme sobre um serial-killer (de Ben Wheatley) ou então MARGIN CALL, um thriller com um óptimo elenco, com uma recepção muito satisfatória nos Estados Unidos, que relata a enorme turbulência e agitação de uma agência de investimento em tempos de crise.






Dia 15 de Março, TAKE SHELTER. Não vi, ainda, mas facilmente se percebe, depois de passar com grande destaque pelos principais festivais de cinema do ano passado, que se trata de um filme de grande qualidade. E será um sucesso garantido. Se preferir acção e gostar da forma como Liam Neeson se tem transformado num actor de filmes de acção, THE GREY é, também, uma boa escolha. Trata-se da história de um homem que, depois da queda do avião em que viajava, se vê obrigado a sobreviver num local inóspito e assustador do Alaska, onde será obrigado a colocar de parte alguma das suas convicções, de forma a trocar a morte (certa) pela sobrevivência.






Dia 22 de Março, outro dos filmes mais aguardados do ano! THE HUNGER GAMES. Baseado na trilogia de sucesso que dá nome ao filme, é um thriller emocionante. Retrata a história de um mundo futuro, governado por um intransigente Capitólio, onde um torneio anual sacrifica um rapaz e uma rapariga de cada um de doze distritos criados sobre a orientação do governo. Se corresponder ao nível dos livros, será um filme intenso e surpreendente. E garantidamente, um dos grande sucessos de bilheteira deste ano. Nesta semana, gostaria ainda de destacar o filme A TORINÓI LÓ, que infelizmente não terá estreia em todos os cinemas nacionais (deverá ficar-se pelas duas maiores cidades), mas que é um filme de grande qualidade e que merece a atenção do leitor.





Para a última semana de Março, o meu destaque vai todo para o filme francês INTOUCHABLES, sobre a história de um homem rico, em fase terminal, com deficiências que o incapacitam, mas que se decide a viver a aproveitar cada um dos momentos graças à ajuda do seu mais recente empregado. Um filme certamente divertido e garantidamente emocionante, que criará uma grande empatia entre o espectador e os protagonistas e que será uma das melhores estreias deste mês de Março.

TEMPORADA 2011/2012 - FEVEREIRO


Caros leitores, está de volta a crónica mensal Temporada, para uma edição de Fevereiro carregada de óptimas e muito aguardadas estreias! Mês de Óscares, cinemas ao rubro!





Começamos por aquilo que estreou ontem na salas de cinema portuguesas. E que agradável semana! Destaque, claro, para um dos filmes mais falados de todo o ano, The Artist, que certamente arrecadará uma boa bilheteira durante as semanas em que estiver em exibição (principalmente se aguentar até ao sucesso que certamente lhe estará guardado para a cerimónia dos Óscares). Mas há mais para ver. Young Adult, o regresso de Jason Reitman (muito bem acompanhado por Diablo Cody (com quem trabalhou no filme "Juno")) ao grande ecrã, depois do tremendo sucesso de Up In The Air. Young Adult não conseguiu igual aprovação internacional, mas certamente que será uma agradável e divertida escolha, num filme que conta com Charlize Theron no papel de actriz principal. Mas a semana de 2 de Fevereiro traz-nos ainda o mais inesperado (ou talvez não) sucesso desta temporada natalícia: The Muppets, que marca o regresso do Sapo Cocas e companhia, tem recebido enormes elogios. Com Jason Segel e Amy Adams, este clássico filme para ver com toda a família, é uma das minhas recomendações para o primeiro fim-de-semana deste mês.





E depois de começar em grande, a segunda semana de Fevereiro já não terá tanta e tão boa oferta. O destaque natural irá para Iron Lady, a estreia do bio-pic em que Meryl Streep interpreta uma das mais carismáticas e marcantes governantes europeias do passado século, Margaret Thatcher, numa personagem que tem tudo para que a actriz mostre toda a sua classe e poder enquanto artista. Não sei se irei vê-lo ao cinema, mas é um conselho caso já tenha visto todos os filmes que estreiam durante esta semana e caso, claro, este tema interesse particularmente ao leitor. Esta semana será também marcada pela estreia do filme francês Le Havre, de 2011, mas que não estou certo se estreará em muitas salas. O mais provável será que a estreia se fique por Lisboa e Porto.





Dia 16 de Fevereiro será o dia de Hugo. O novo filme de Martin Scorsese, que venceu prémios por todos os festivais por onde passou, será muito provavelmente o filme que melhor rendimento retirará das suas nomeações para os Óscares. A semana da estreia foi estrategicamente escolhida para arrecadar os frutos da cerimónia (onde é o mais forte candidato à vitória em diversas categorias, a par com O Artista) e, sendo um filme para miúdos e graúdos, facilmente conseguirá uma óptima bilheteira. É o grande filme da semana, e uma forte recomendação que aqui deixo para o leitor. Se preferir um thriller dramático, com uma história dura e tocante, We Need to Talk About Kevin, com uma estrondosa interpretação de Tilda Swinton, será uma óptima escolha.





Para a última semana, será inevitável falar do péssimo War Horse, o novo filme de Steven "sou uma máquina de fazer dinheiro" Spielberg. O trailer bastou-me. Se for fan do realizador, poderá ir até ao cinema para o ver. A sua nomeação para Melhor Filme nos Óscares é uma farsa e só reforça a opinião que já tinha sobre a enorme influência que o nome Spielberg e as grande produtoras americanas têm nas nomeações desta categoria. A nomeação engana os leitores mais distraídos e garante lucros num filme que não devia ter saído da cabeça de Spielberg. Mas nesta semana já tão pobre em estreias (um claro sinal de que a temporada dos Óscares está a terminar), a minha escolha irá cair sobre Bel Ami, um filme baseado no livro de Guy de Maupassant e que conta a história de um rapaz pobre que utiliza a sua beleza, o seu charme e os seus encantos para cativar as mulheres mais poderosas de Paris no final do século XIX.

Temporada 2011/2012 - Janeiro



De regresso ao Blogue depois de uma longa ausência por motivos técnicos, peguei naquela que é uma das minhas crónicas favoritas. A Temporada avança depressa e estamos cada vez mais perto do seu final (em Abril, quando já todos os grandes candidatos Oscars (e outros que ficam de fora não por demérito próprio mas por culpa de quem elabora a lista dos felizes contemplados à publicidade mundial das estatuetas douradas) tiverem estreado por Portugal e regressarmos à pasmaceira que é o Cinema em Portugal entre Abril e Outubro.






Começamos pela próxima quinta-feira, dia 5 de Janeiro, que será marcada por duas estreias interessantes e um super-valorizado blockbuster. Destaco Martha Marcy May Marlene, um filme que conta com uma surpreendente Elizabeth Olsen no papel de Martha, uma rapariga que regressa à sua família depois de dois anos de ausência para um retiro hippie e que desenvolve um mundo paralelo, que a atormenta e a persegue, transformando o filme num thriller neurótico e asfixiante. Conta ainda com o meu actor favorito na actualidade, John Hawkes, um indivíduo que nunca sabe estar mal e que carrega com uma estonteante emoção e intensidade cada papel que faz. Se o trailer não convencer o leitor, sugiro então My Week with Marilyn (com Michelle Williams no papel da diva dos anos 50) ou então, se o objectivo for aliviar o stress e limpar a cabeça da pressão do regresso ao trabalho depois das festividades natalícias, o segundo filme de Sherlock Holmes A Game of Shadows, cujo trailer me desiludiu e me desmotivou por completo.






Na semana de 12 de Janeiro, temos uma das grandes estreias para a corrida aos Oscars deste ano, Moneyball, com Brad Pitt a fazer um dos melhores papeis (americanos) do ano como treinador de uma equipa de Baseball. É, sem margem para dúvidas, a grande estreia desta semana. Mas há mais, caso o trailer e o actor não impressionem ou cativem o leitor. A semana será marcada, também, pela estreia de Tomboy de Céline Sciamma, um dos grandes sucessos do cinema francês em 2011, e ainda Impardonnables, outro filme francês, menos badalado que o anterior, mas para o qual tenho imensas expectativas.






No dia 19 de Janeiro, mais estreias que poderão convencer o leitor. Destaco como filme da semana The Girl with the Dragon Tattoo, baseado no sucesso mundial de Stieg Larsson. Explico porquê. Embora esta saga já tenha sido adaptada ao cinema numa versão sueca pelos realizadores Niels Arden Oplev e Daniel Alfredson, chega a vez de David Fincher, numa versão completamente independente e distinta da sueca, arriscar a sua sorte e tentar supreender os acérrimos fans da história de Lisbeth Salander. Mas há mais para ver. Aquela que é a minha aposta pessoal para o Oscar de Melhor Actor Principal (basta verem o trailer e percebem como foi feita mesmo à medida da estatueta e da academia), George Clooney, chega às salas de cinema a 19 de Janeiro com o filme The Descendants, onde interpretará o papel de um pai viúvo que tenta reconciliar-se com as suas duas filhas. O trailer a mim não me cativou e achei, desde logo, uma história morna e pouco interessante. Mas é apenas uma questão de gosto de pessoal e não nego a possibilidade de ser um filme capaz e com qualidade. Na terceira semana de Janeiro, estreará também nos cinemas um filme que, pese embora eu considerar que está um pouco sobrevalorizado, poderá chamar a atenção dos fans de filmes de acção. Warrior, um filme que junta Tom Hardy e Joel Edgerton no mesmo ringue de luta livre, num drama intenso e carregado de acção e momentos de luta, bem ao jeito dos apreciadores do género.






Por fim, a 26 de Janeiro, estreia marcada para J. Edgar, o novo filme de Clint Eastwood, que conta com Leonardo DiCaprio no papel principal de um filme que tem recebido uma forte crítica (negativa) a nível internacional, mas para o qual me preparo com grande ansiedade e com fortes expectativas. Desde sempre me habituei às críticas fáceis ao trabalho de Eastwood e prefiro uma análise pessoal à análise de críticos de revistas internacionais.

TEMPORADA 2011/2012 - Dezembro


Depois da primeira crónica ter sido um verdadeiro sucesso (gerou não só uma boa recepção por parte de alguns, como valentes críticas por parte de outros), achei que devia continuar as minhas modestas previsões (se assim se podem chamar) daquilo que serão as próximas semanas nos cinemas portugueses. A minha selecção será unicamente sobre o mês de Dezembro, já que em altura de Óscares, a oferta é tão grande e tão vasta, que de pouco adiantaria fazer uma crónica gigante que rapidamente desmotivaria o interesse do leitor.




Começamos então pela próxima semana. Na próxima Quinta-feira, dia 1 de Dezembro, o leitor pode encontrar em estreia nas salas de cinema, Melancholia, a controversa obra apocalíptica do igualmente controverso Lars Von Trier, um realizador que cultiva amores e ódios por onde passa e cuja polémica atingiu o seu auge na última edição do Festival de Cannes (onde apresentou ao Mundo Cinematográfico este filme) e de onde foi expulso com o rótulo de Persona Non Grata. O trailer do filme deixa-nos a clara ideia de estarmos perante mais um filme à Lars Von Trier, que certamente deixará satisfeitos os seus mais acérrimos fans. Para quem não gosta ou desconheça (e esteja sem paciência para o descobrir) Lars von Trier, talvez Buried, Puss in Boots ou The Debt, sejam boas opções para a próxima semana!




Para a semana de dia 8 de Dezembro, fica reservada uma das grandes estreia do ano em Portugal! Drive, o filme que surpreendeu na edição deste ano do Festival de Cannes com a vitória de Nicolas Winding Refn na categoria de Melhor Realizador e a presença privilegiada numa lista de grandes nomes para a corrida à famosa Palme d'Or, que foi um dos sucessos do ano nos Estados Unido e que terá garantidamente uma gigante interpretação de um dos actores do momento: Ryan Gosling, é uma visita obrigatória às salas de cinema durante o próximo mês! O trailer deixa-nos com água na boca, a banda-sonora (que já tive oportunidade de ouvir) agita-nos e abre ainda mais o apetite daqueles que será, seguramente, um dos melhores filmes de 2011. Para descobrir, dia 8!




Dia 15 de Dezembro o leitor poderá optar por dois filmes distintos. Missão Impossivel: Operação Fantasma marca o regresso de Tom Cruise à pele de Ethan Hunt que, penso poder afirmá-lo, já conseguiu imortalizar na memória dos mais novos, que cresceram com as suas aventuras. É inevitável a minha ida aos cinemas para o ver, embora admita que, para essa semana, esteja marcada para Portugal uma das estreias que mais espero para este ano: Jodaeiye Nader az Simin, com a tradução portuguesa de Uma Separação, é um filme iraniano que causou grande sucesso lá fora, sobre o qual pouco ou nada se ouviu falar em Portugal, mas que eu acredito, seja uma das melhores escolhas cinematográficas da Época Natalícia!




Para véspera de Natal, a 22 de Dezembro, estreará em Portugal Tinker Tailor Soldier Spy, que marcará o regresso aos cinemas de Tomas Alfredson, o realizador que explodiu em 2008 com Låt den rätte komma in. Numa história envolvida em crime e mistério, com um elenco de luxo (Gary Oldman, Colin Firth, John Hurt, Benedict Cumberbatch), Tomas Alfredson tem a oportunidade de provar que o mega sucesso de 2008 não foi um caso pontual e que o enorme culto gerado à sua volta, com a criação de fervorosos grupos de fãs do seu trabalho, não caiu do céu, não foi um mero acaso e que é, actualmente, um dos grandes (senão o maior) nomes do cinema europeu!



Carnage, a mais recente película de Roman Polanski, estreia nos cinemas portugueses no último fim-de-semana do ano. Um final de ano em grande, com um filme repleto de estrelas (Jodie Foster, Kate Winslet, Christoph Waltz e John C. Reilly), que será certamente um dos sucessos de 2011, e que nos conta a história de uma reunião entre dois casais após o desentendimento entre os respectivos filhos numa briga da escola. Conhecendo o trabalho de Polanski e a sua cada vez mais deliciosa capacidade de nos contar histórias repletas de um humor mordaz e subtil, Carnage vai certamente deliciar quem for até à sala de cinema e fazer justiça ao preço do bilhete que subirá mais de 1€ a partir de 2012.



Por último, e antes de terminar a crónica, gostaria apenas de esclarecer que não pretendo, com estas crónicas, falar-vos exaustivamente sobre os filmes que selecciono. Isso fica para os profissionais do negócio que têm oportunidade de ver ante-estreias e frequentar festivais nacionais e internacionais. Faço esta selecção porque a qualidade das salas de cinema, em altura de Óscares, se transforma por completo (3/4 do ano são passados a encher chouriços, para depois se gastarem todos os cartuchos de uma só vez), com grandes obras que surgem semana após semana, e que acabam, inevitavelmente, por confundir o espectador mais desatento. As Temporadas do Dial P for Popcorn são, tanto para mim como (espero) para o leitor, um prático manual, que se limita a esquematizar e seleccionar o que de melhor e realmente valioso vai passar pelas salas de cinema nos próximos tempos. Porque em alturas de crise (e, no futuro, de subida escandalosa do preço dos bilhetes de cinema), vale a pena saber aquilo em que se vai gastar (e investir) dinheiro. E se o leitor optar por algum destes filmes, certamente não sairá defraudado da sala de cinema.