Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DIAL P FOR POPCORN

DIAL P FOR POPCORN

THE GIRL WITH THE DRAGON TATTOO (2011)




Antes de começar, quero deixar aqui bem claro que o filme de David Fincher não é nenhum re-make do filme de Niels Arden Oplev, sobre o qual vos falei aqui no ano passado. É sim, uma nova adaptação, independente, do grande sucesso literário Millenium 1 de Stieg Larsson e quem vê os dois filmes percebe que há claras diferenças entre ambos.


A começar pela banda-sonora de Trent Reznor. Provavelmente, a melhor deste ano. O clima com que carrega todo o filme, com que suporta toda a tensão que se vai criando e auto-alimentando, é soberba e tem, como ponto alto, a sequência inicial que deixei há dias aqui no blogue. Muitos dizem ser o melhor momento do filme. Eu não acho. The Girl with the Dragon Tattoo vale pelo seu todo. É uma história construída com consistência. É trabalhada com minúcia e elegância. E David Fincher, fruto da sua enorme experiência, fez um trabalho estupendo onde era proibido falhar: Lisbeth Salander (Rooney Mara) é, também neste filme, a pedra basilar. É a grande revelação que certamente dará que falar nos próximos anos.


A história, um thriller marcado pela imprevisibilidade e pelo mistério de um conjunto de assassinatos misteriosos há mais de quarenta anos, levam Mikael Blomkvist (Daniel Craig), um prestigiado jornalista sueco, a deslocar-se até à ilha onde a família Vanger se instalou, há mais de um século. Aos poucos, começa a descobrir a dimensão de um trabalho que começa com a descoberta de um simples desaparecimento. Com a ajuda da hacker Lisbeth Salander, Mikael acaba por se envolver numa história para a qual não estava preparado e que nunca esperou poder descobrir.


Se o leitor não viu a versão Sueca do filme, ver a versão de Fincher é uma óptima opção. Não fica atrás da qualidade do filme de Oplev, e percebe facilmente (depois de ver as duas versões), porque é que Fincher é um realizador com nome, prestígio e reconhecimento firmados. O seu dedo e a sua arte notam-se vivamente na sua versão. E das duas, esta é claramente a minha favorita.


Nota Final:
A-


Trailer:




Informação Adiconal:
Realização:
David Fincher

Argumento: Steven Zaillian e Stieg Larsson
Duração: 158 minutos
Ano: 2011

THE GIRL WITH THE DRAGON TATTOO (2009)


Começo por vos dizer que não li o livro de Stieg Larsson. Não vos vou fazer uma crítica baseada na comparação Livro/Filme e como tal não irei retirar mérito ao filme só porque não tem esta ou aquela parte do filme (que, pelo que sei, inclui algumas partes do segundo livro).

The Girl with the Dragon Tattoo é um filme retirado do best-seller de Stieg Larsson que tem feito as delícias de muitos leitores pelo mundo fora. É um filme que com um argumento (A-) assim, na minha opinião, só um péssimo realizador conseguiria transformar num mau filme.


Mikael Blomkvist é um jornalista de investigação sueco que acaba de ser condenado à prisão devido a uma cilada para a qual foi arrastado depois de tentar descobrir a verdade por detrás dos obscuros negócios do empresário Wennerström. Uma vez que só começará a cumprir a sua pena passado 6 meses, Mikael é contactado por Dirch Frode, advogado de Henrik Vanger pertecente a uma familia empresarial da Suécia. A Mikael é pedido que consiga descobrir um mistério com mais de 40 anos: quem matou Harriet Vanger, uma jovem sobrinha de Henrik que desapareceu subitamente na década de 60.


À medida que se envolve na investigação, Mikael começa a perceber que se encontra num beco sem saída, não conseguindo desvendar um conjunto de códigos que encontra perdidos nos livros. É aí que entra Lisbeth Salander, uma misteriosa hacker que segue todos os movimentos de Mikael e que acaba por se revelar e ajudar Mikael na investigação.

Um belo policial, cheio de suspense e descobertas surpreendentes, que embora longo (152 minutos) nos garante um bom entretenimento. Destaque para a prestração de Noomi Rapace, no papel de Lisbeth Salander com um bom papel (B+).




Nota final: B+

Trailer:


Informações Adicionais:
Realização: Niels Arden Oplev
Argumento: Livro de Stieg Larsson adaptado por Niels Arden Oplev
Duração: 152 minutos
Ano: 2009