Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DIAL P FOR POPCORN

DIAL P FOR POPCORN

O CINEMA NUMA CENA - O MEU FILME FAVORITO

É com prazer que recupero uma das mais antigas crónicas deste blogue, esquecida pelo tempo, pelo trabalho e (admito) pela preguiça. Tentarei recuperá-la, aos poucos, elevando-a ao estatuto que o interesse e o valor dos momentos que incorpora merecem.


Quantos mais anos passam, desde a primeira vez que vi o filme, mais deliciado me sinto. Um prazer que repito sempre que posso. Tenho um devoção enorme pelo ambiente duro, desumano, cruel e desafiante de um mundo western que ficou para sempre imortalizado por Sergio Leone, o maior mestre deste género de cinema. Sei que cheguei ao ponto mais alto do meu cinema. Já aqui falei sobre ele, é verdade, mas apetece repetir-me. Apetece-me porque estamos perante uma obra-prima, sem igual, sem comparação, de uma dimensão universal, que se eternizou e que hoje continua a ser dos mais dramáticos, intensos e inebriantes filmes de que há memória.




Quem viu The Good, The Bad and The Ugly e não se arrepiou com este grandioso final? Quem não viveu intensamente aquele segundo em que os três protagonistas desta epopeia finalmente se reúnem para definir um futuro que tão desesperadamente procuraram? Esta é uma das mais marcantes cenas da história da sétima arte, algo que não tem comparação e que é imutável. Filmado por um génio, um afortunado da realização, com planos estrategicamente criados para nos transportar para a dimensão dramática da cena, que nos prende, agarra e aprisiona até ao último segundo, o fatal, o decisivo, em que o bem combate o mal e a acção atinge o seu clímax. É um momento inesquecível de cinema. É delicioso. Uma cena que é suportada por um drama magistral, em interpretações, realização, fotografia, banda-sonora. É perfeito. Tudo neste filme é perfeito. Tudo neste filme é cinema. Tudo neste filme é arte, do melhor, do mais brilhante que o alguma vez Homem fez. Se nunca o viu, corra. Veja-o. Você merece.


THE GOOD, THE BAD, THE UGLY (1966)


É sempre dificil resumir em poucas palavras o nosso filme favorito. The Good, The Bad and The Ugly, filme que estreou em 1966, é sem dúvida o grande filme da minha vida.
É a obra-prima de Sergio Leone, um dos melhores (senão mesmo o melhor), realizadores de filmes Western, que tem no currículo outros bons filmes como o caso de A fistful of Dollars, For a few dollars more e ainda Once Upon a Time in the West.


The Good, The Bad and The Ugly conta a história deste três cowboys representados na fotografia e que passo a apresentar: O Bom (Clint Eastwood), o Vilão (Eli Wallach) e o Mau (Lee Van Cleef).
Embora o filme esteja envolvido por um conjunto de histórias paralelas que lhe dão consistência, tem como ideia principal a procura de um tesouro escondido que os leva a uma verdadeira cruzada (recheada de contra-tempos) pelo West. Não querendo mais uma vez adiantar-vos muito sobre o filme, quero apenas criar em vocês o apetite e o interesse para se sentarem e verem este filme. São 171 minutos de entretenimento e acção muitos constantes, mas com duas cenas que sobressaem no filme: O final (um clímax de cerca de 5 minutos que nos prende e quase nos faz saltar para o ecrã) e a Cena do Tiroteio (tal e qual acontecia no West, mas acompanhada da banda-sonora que a engrandece!)


Acho ainda importante realçar-vos a banda-sonora deste filme, que ficou sem dúvida para a história! Uma melodia muito simples mas incrivelmente acertada para a situação do filme. Indescritível! Assim que o filme começa somos abraçados pelo som desta música que nos contagia e nos transporta ao longo do filme. A música da cena final é também ela muito boa.

Quanto a interpretações, embora Clint Eastwood esteja na maior pinta da sua carreira e seja o bonitão de serviço, tenho obrigatoriamente que destacar Eli Wallach que soube aproveitar muito bem as potencialidades da sua personagem (controversa)e se apresenta neste filme com uma interpretação soberba!

Nota Final: A+++


Trailer: Infelizmente quase todos os trailers que estão no youtube são trailers com falhas. Este aqui é um trailer pequeno mas que vos dará uma boa ideia daquilo que é a acção e a banda-sonora deste filme.




Espero sinceramente ter-vos cativado para verem este GRANDE filme, que embora seja desconhecido, vale a pena conhecer!


Informações Adicionais:
Realização: Sergeo Leone
Produção: Alberto Grimaldi
Argumento: Sergeo Leone e Luciano Vicenzoni
Duração: 171 minutos
Ano: 1966