Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DIAL P FOR POPCORN

DIAL P FOR POPCORN

Se eu puder escolher...


Podem ser estes os três números a serem entoados nos Óscares deste ano? Já que já se limitaram na escolha só com "Dreamgirls", "Chicago" e "Les Misérables"... (sim porque a década não teve mais nenhum musical de renome - o que será que são "Moulin Rouge!", "Hedwig and the Angry Inch", "Nine", "Once", "Walk the Line", "Ray", "Les Chansons d'Amour", "Hairspray", "Dancer in the Dark", "Mamma Mia!", entre outros?). Enfim. Já sei que vamos levar com "All that Jazz", "Listen" (tudo para ter a Beyoncé a cantar ao vivo) e "I Dreamed a Dream". Já não chega a foleirada que é terem a Adele lá para cantar "Skyfall" (falta de respeito aos outros nomeados - podiam-na pôr ao menos a cantar um medley de músicas do James Bond, pagava para ouvir a rendição dela da "Diamonds are Forever").




O terceiro só no YouTube: AQUI (mas é bastante óbvio)

Pergunta: Saber cantar é importante nos musicais?

Seis razões que justificam a utilização de actores que sabem cantar e dançar em filmes musicais:

1.

Meryl Streep, "Death Becomes Her" (1992)



2.
Marion Cotillard, "Nine" (2009)


3.

Catherine Zeta-Jones e Queen Latifah, "Chicago" (2002) - cena cortada


4.

Barbra Streisand, "Funny Girl" (1968)


5.

Judy Garland, "The Wizard of Oz" (1939)



6.

Liza Minnelli, "Cabaret" (1972)


Pura e simplesmente fazem um filme muito melhor.

O Cinema Numa Cena

Bem-vindos a mais uma rubrica semanal aqui no Dial P for Popcorn - "O Cinema Numa Cena" tenta mostrar as nuances de uma interpretação fora-de-série numa cena pivotal do seu filme. Esta semana escolhemos uma actuação absolutamente impecável: Catherine Zeta-Jones, em Chicago (2002).


Por muito que se queira discutir os méritos da sua vitória nos Óscares (personagem secundária ou co-protagonista? Meryl Streep em Adaptation ou Julianne Moore em The Hours não mereciam mais a estatueta?) há que admitir que a sua interpretação como a agora falhada Velma Kelly, outrora uma grande estrela, que faz a vida negra à protagonista Roxie Hart, é extraordinária. Eu diria que é das melhores representações de estrelas com ar de diva e com uma atitude dos diabos de todos os tempos (de pôr Liza Minnelli orgulhosa). E, por muito mais que eu adore Meryl Streep, tenho de admitir que ela é fenomenal.

E se bem que eu ache que "All That Jazz" é a melhor música/cena do filme, a sua rendição perfeita de "I Can't Do It Alone" é a cena que mais me fica na retina. Se nos lembrarmos que ela estava grávida... Ainda mais espanto me causa: