Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DIAL P FOR POPCORN

DIAL P FOR POPCORN

Obviamente número 1



E poderia ser outro que não este o resultado deste mês das votações do Círculo de Críticos Online Portugueses (CCOP)? Se bem que para mim longe do virtuosismo de "No" (que subiu ao primeiro lugar há dois meses, para o perder para "Arrugas" logo no mês seguinte, que agora por sua vez também deixa o topo da tabela), é fácil de compreender a nota e por consequência o primeiro lugar de "Before Midnight", que consegue um belo 8,82, das melhores classificações de sempre do CCOP e sobretudo bem próxima do primeiro lugar de 2012, o português "Tabu" (8,89). 

Um pequeno lamento que o belíssimo "Lore", co-produção alemã e australiana, não tenha pontuado melhor (a ver vamos na repescagem). Por outro lado, reflecte-se na lista que o grupo de críticos não foi muito à baila com as ofertas blockbuster do mês, desde "Man of Steel" (por coincidência o filme mais visto do mês) com um mísero 5,60 a "World War Z" (6,40).


A classe de 2013


Já são fãs do Dial P For Popcorn no Facebook? Se não, porque não? Têm alguma sugestão?

Adiante...


O Círculo de Críticos Online Portugueses (CCOP) reuniu para decidir nas candidaturas a novos membros e seis novos colegas saíram dessa votação - para muito meu agrado, admiro o trabalho de todos, se bem que não o diga ou comente o suficiente, para muita pena minha. 

Que se dê então boas vindas à Sofia Santos (Girl on Film), ao António Tavares de Figueiredo (Matinée Portuense), ao Hugo Pagini (tvPrime), ao Daniel Rodrigues (Magazine-HD), ao Paulo Peralta (CinEuphoria) e ao Jorge Teixeira (Caminho Largo)! Já somos um bom número agora, já podemos protestar e cantar em uníssono "Do you hear the people sing?" ou "One Day More" quando o "patrão" Tiago Ramos do Split Screen nos pressionar para entregar os boletins! Get used to it, people!


De qualquer forma, podem seguir o trabalho destes moços no Facebook e nos seus respectivos blogues, todos constantes da barra lateral do DPFP (os blogues deles e dos restantes membros do CCOP). Não há desculpa para não acompanharem estes talentosos "profissionais".

E logo no mês em que vi menos filmes desde que me lembro...



É que o CCOP se lembrou de arranjar um filme que, segundo a nota, vou gostar mais que o meu tão amado "No" de Larraín. "Arrugas" é quem consegue esse enorme feito. Vou ter mesmo de reservar um tempinho para o ver.

Cá fica o trailer e, como sempre, podem consultar o top de Maio e outros tops no sítio oficial do Círculo de Críticos Online Portugueses AQUI.

O novo número 1 de 2013


A caminho de metade de 2013, chega a nº 1 o meu filme favorito de 2013. "No", de Pablo Larraín, consegue dos jurados do Círculo de Críticos Online Portugueses (CCOP) a pontuação de 8,43 (com duas notas 10, uma delas a minha) e assim, além de triunfar no mês de Abril, assume a liderança da tabela dos melhores filmes do ano. Escusado será dizer - merecido. O pódio mensal é partilhado com "Los Amantes Pasajeros" de Almodovar e "Faust" de Sukurov. Boa companhia para se estar.

Podem consultar no blogue oficial do CCOP as listas deste e de outros meses.


Nomeados ao Prémio Anual do CCOP




Com oito nomeações cada, Moonrise Kingdom e Shame são os filmes mais nomeados aos Prémios Anuais do CCOP. Ambas as produções competem nas categorias principais de Melhor Filme e Melhor Realizador. Seguem-se Amour e Hugo, com seis nomeações cada, mas apenas o primeiro marca presença na categoria de Melhor Filme. A produção portuguesa Tabu recebeu três nomeações dos jurados, sendo mesmo o único filme nacional a ser nomeado nas categorias principais: Melhor Filme, Melhor Realizador e Melhor Filme Português. 

Todos os nomeados podem ser consultados aqui. Após o apuramento dos vencedores tecerei aqui alguns comentários acerca da lista.


Melhores e piores de 2012, segundo o CCOP


Findo o ano de 2012, o Círculo de Críticos Online Portugueses presta-se agora a uma votação para determinar os seus nomeados aos prémios anuais (a ser divulgados mais logo). Para já, aguce-se a vossa curiosidade com os dez piores e dez melhores classificados pelo CCOP ao longo do ano:

Os Piores do Ano



O ranking dos piores com três produções portuguesas - "Morangos com Açúcar - o Filme", "Balas e Bolinhos 3" e "A Teia de Gelo"  e com os mais que esperados "Twilight: Breaking Dawn - Part II", "Ghost Rider: Spirit of Vengeance" e  "Jack & Jill" (filmes feitos para vencer Razzies). 


Os Melhores do Ano



Em relação à lista apurada em Dezembro (prévia à repescagem feita no final de Janeiro), uma melhoria ainda assim importante no ranking dos melhores - ressalve-se a saída de "The Muppets" dos dez melhores e o regresso de "Take Shelter" (bem merecido). A lista bem liderada por "Amour", "Tabu" e "Moonrise Kingdom".

Agora vocês: que dizem destas duas listas?



Actividades do CCOP (II)


A última vez que cá tínhamos falado do CCOP no blogue foi para abordar as três listas especiais dedicadas a Woody Allen, Martin Scorsese e Ridley Scott (estamos a assumir que têm seguido com atenção os tops mensais!).

Este mês decidi voltar a falar sobre os CCOP não por causa de um top especial, mas porque entretanto em Agosto adicionámos novos membros - o David Lourenço (O Narrador Subjectivo), o Miguel Reis (Cinema Notebook) e o Rui Madureira (Portal Cinema) (excelentes adições, diga-se) - e procedemos a uma repescagem dos títulos até então visualizados. Essa repescagem trouxe mudanças no top-10 geral do ano, que é o que basicamente me traz aqui (até porque os votos de Setembro - aqui - não alteraram em nada o top-10 do ano).



1.  Tabu, de Miguel Gomes | 8,63
2.  Moonrise Kingdom, de Wes Anderson | 8,56
3.  Temos de Falar Sobre Kevin, de Lynne Ramsay | 8,55
4.  A Invenção de Hugo, de Martin Scorsese | 8,38
5.  Vergonha, de Steve McQueen | 8,31
6.  Oslo, 31 de Agosto; de Joachim Trier | 8,14
7.  Os Marretas, de James Bobin | 8,10
8.  Procurem Abrigo, de Jeff Nichols | 8,08
9.  Monte dos Vendavais, de Andrea Arnold | 8,00
10. Amigos Improváveis, de Eric Toledano e Olivier Nakache | 7,90

Tirando "The Muppets" e "The Intouchables" (vá e eu tirava também "Hugo" se pudesse), penso que é uma lista de dez melhores bastante respeitável. Uma pena que as novas adições (especialmente uma) me tenham baixado a nota do "Take Shelter", que continua a ser a par de "Beginners" e "Jane Eyre" o meu favorito de 2011.

Que vos parece isto tudo?

Actividades do CCOP


O Círculo de Críticos Online Portugueses (CCOP) - do qual eu e o João fazemos parte - tem andado ocupado nos últimos tempos com listas especiais, que abordaram três dos maiores realizadores americanos da era moderna: Martin Scorsese, Woody Allen e (acabado de publicar) Ridley Scott.


Espero que tenham gostado tanto quanto eu de ver as pequenas nuances e flutuações de cada top e de compararem com os vossos favoritos pessoais. Posso dizer que fiquei bastante satisfeito com o resultado no top do Ridley Scott, com os meus favoritos (apesar de não na ordem em que votei neles - na minha lista, "Alien" continuaria o primeiro lugar, mas os outros dois trocariam) a figurarem todos no pódio - naturalmente, diria eu, uma vez que são os três filmes de Ridley Scott que reconheço estarem acima da mediocridade habitual dos seus restantes trabalhos (assumo, de qualquer forma, que é um realizador com o qual estou, ainda, pouco familiarizado).


Já no caso de Woody Allen (aviso já que não sou um fervoroso fã dos seus filmes mais recentes, pelo que me considero mais um admirador confesso do que propriamente um devoto seguidor), fiquei satisfeito por ver a minha campanha positiva em relação a três filmes que considero serem a nata da filmografia de Woody Allen - "Hannah and Her Sisters", "Bullets over Broadway" e "The Purple Rose of Cairo" - que são habitualmente postos de lado nestes tops em detrimento dos mais óbvios (mas sim, não menos merecedores) "Annie Hall" e "Manhattan" (fiquei contente por ver os três entre as dez melhores obras - tecnicamente, "Bullets" não é uma das dez melhores, mas está, por empate de vários filmes, no décimo lugar). Devo dizer que achei surpreendente "Interiors" pontuar tão alto, porque não pensava que conseguisse tão boas notas (foi o meu sexto favorito, com nota 9, ainda assim) de toda a gente. Uma frustração pessoal: o exageradamente amado "Midnight in Paris" figurar no top-10. Não consigo entender. Pode ser embirração minha. 


Finalmente, o top que, para mim, mais gozo me deu desvendar: o do inigualável Martin Scorsese. Uma surpresa enorme ver "Hugo" no quinto lugar (a nota não surpreende, dado que é a mesma que lhe tínhamos atribuído num dos tops mensais) e mesmo obras menores como "The Departed" e o ambíguo "Shutter Island" entre as dez mais pontuadas. O dois primeiros lugares do pódio são, para mim, indiscutíveis, sendo "Raging Bull" e "Taxi Driver" duas das obras mais influentes do cinema americano dos últimos cinquenta anos. Já o terceiro lugar merece discussão. Não me entendam mal, eu gosto muito do "Goodfellas" - só acho que "The King of Comedy", "Cape Fear" ou "New York, New York" são melhores (aliás, a todos dei melhor pontuação até que a "Raging Bull", embora perceba que este último é sempre uma escolha óbvia para melhor quando se fala de Scorsese). Para a boa nota de "Goodfellas" pode ter contribuído ter sido um dos quatro filmes que toda a gente do painel viu.

E vocês, já foram espreitar o trabalho do CCOP? Que pensam destas listas?