Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DIAL P FOR POPCORN

DIAL P FOR POPCORN

A música e a fotografia de 2012


Este artigo faz parte dos:


Uma versão abreviada dos meus habituais (será que se pode dizer habituais a prémios que, apesar de dar todos os anos, só por um ano foram cá abordados por extenso no blogue?) prémios de fim de ano (dados sempre por altura da Primavera, quando tudo de interesse já estreou por cá), também chamados DAFA ou Dial A For Awards.

A fotografia...


 "Anna Karenina"


"Life of Pi"


"Tabu"


"The Master"



"Skyfall"


A música...






Os meus argumentos de 2012


Este artigo faz parte dos:


Uma versão abreviada dos meus habituais (será que se pode dizer habituais a prémios que, apesar de dar todos os anos, só por um ano foram cá abordados por extenso no blogue?) prémios de fim de ano (dados sempre por altura da Primavera, quando tudo de interesse já estreou por cá), também chamados DAFA ou Dial A For Awards.


Argumento Original

"Amour"
"The Master"
"Middle of Nowhere"
"Moonrise Kingdom"
"Zero Dark Thirty"



Argumento Adaptado

"Argo"
"Beasts of the Southern Wild"
"Life of Pi"
"No"
"Rust and Bone"


Os meus actores secundários de 2012


Este artigo faz parte dos:


Uma versão abreviada dos meus habituais (será que se pode dizer habituais a prémios que, apesar de dar todos os anos, só por um ano foram cá abordados por extenso no blogue?) prémios de fim de ano (dados sempre por altura da Primavera, quando tudo de interesse já estreou por cá), também chamados DAFA ou Dial A For Awards.







Jude Law, "Anna Karenina" | Michael Fassbender, "Prometheus" | Garrett Hedlund, "On the Road" | Samuel L. Jackson, "Django Unchained" | Ezra Miller, "The Perks of Being a Wallflower"

Mais cinco? Matthew McConaughey ("Magic Mike"), Ewan McGregor ("The Impossible"), Tom Wilkinson ("The Best Exotic Marigold Hotel"), Dane DeHaan ("Chronicle") e Javier Bardem ("Skyfall"). Uma menção especial para o Bruce Willis em "Moonrise Kingdom" e para o Matthew MacFayden ("Anna Karenina"). Interpretações pequenas em dimensão mas que preenchem a tela quando estão nela.


As minhas actrizes de 2012



Este artigo faz parte dos:


Uma versão abreviada dos meus habituais (será que se pode dizer habituais a prémios que, apesar de dar todos os anos, só por um ano foram cá abordados por extenso no blogue?) prémios de fim de ano (dados sempre por altura da Primavera, quando tudo de interesse já estreou por cá), também chamados DAFA ou Dial A For Awards.








Marion Cotillard, "Rust and Bone" | Emmanuelle Riva, "Amour" | Keira Knightley, "Anna Karenina" | Meryl Streep, "Hope Springs" | Léa Seydoux, "Farewell My Queen"

Mais cinco? Rachel Weisz é um sonho em "The Deep Blue Sea", Quvenzhané Wallis é de outro mundo em "Beasts of the Southern Wild", Michelle Williams já não surpreende ninguém em "Take this Waltz", Laura Soveral é simplesmente extraordinária em "Tabu" e Jessica Chastain é difícil de menosprezar em "Zero Dark Thirty".

As minhas actrizes secundárias de 2012



Este artigo faz parte dos:


Uma versão abreviada dos meus habituais (será que se pode dizer habituais a prémios que, apesar de dar todos os anos, só por um ano foram cá abordados por extenso no blogue?) prémios de fim de ano (dados sempre por altura da Primavera, quando tudo de interesse já estreou por cá), também chamados DAFA ou Dial A For Awards.



 



Kirsten Dunst, "Bachelorette" | Emily Blunt, "Looper" | Judi Dench, "Skyfall" | Diane Kruger, "Farewell My Queen" | Nicole Kidman, "The Paperboy"


Mais cinco? Ana Moreira ("Tabu") não ficou longe das minhas cinco melhores, tal como a interpretação maior que a tela de Salma Hayek ("Savages"), o brilho especial de Rosemarie DeWitt, a melhor irmã da sétima arte ("Your Sister's Sister") e a surpresa que foram tanto Emma Watson ("The Perks of Being a Wallflower") e Kristen Stewart ("On the Road"). Uma menção especial a Doona Bae, que só pela porção da história de Neo Seoul teria lugar aqui ("Cloud Atlas").

Os meus actores de 2012


Este artigo faz parte dos:


Uma versão abreviada dos meus habituais (será que se pode dizer habituais a prémios que, apesar de dar todos os anos, só por um ano foram cá abordados por extenso no blogue?) prémios de fim de ano (dados sempre por altura da Primavera, quando tudo de interesse já estreou por cá), também chamados DAFA ou Dial A For Awards.







Matthias Schoenaerts, "Rust and Bone" | Jean-Louis Trintignant, "Amour" | Denis Lavant, "Holy Motors" | Liam Neeson, "The Grey" | Joaquin Phoenix, "The Master"

Mais cinco? O irrepreensível trabalho de Daniel Day-Lewis ("Lincoln"), a surpresa que foi Bradley Cooper ("Silver Linings Playbook"), a maturidade e segurança com que Tom Hollander ("The Impossible") e Logan Lerman ("The Perks of Being a Wallflower") carregaram os seus filmes, o nível superior a que Tommy Lee Jones eleva ("Hope Springs") e uma fantástica interpretação de Michael Peña ("End of Watch") que pouca gente viu.

P.S. - Faltou-me nas escolhas o meu número 1. Enfim, nem comento. Está corrigido o erro.


THIS IS 40 (2012)



Nem só de bons filmes se faz um blogue de cinema, não é verdade? Neste caso, sinto-me na obrigação, no dever cívico, de avisar todos os que ainda acreditam em Judd Apatow e todos os que, não conhecendo nem se preocupando com quem é o individuo, apostam o seu tempo, o seu dinheiro e a sua disposição num filme de tão insultuosa categoria. Apatow foi chão que já deu uvas. E Nuno Markl, no seu característico estilo, atribuiu-lhe a alcunha de sucessor de Woody Allen. Tem razão, se estivermos a falar do Woody Allen de You Will Meet a Tall Dark Stranger


This is 40 é terrível. É péssimo. É muito muito muito mau. O objectivo? Fazer uma comédia baseada nos dramas de uma geração que, criada num mundo em transformação, progressivo e inovador, se aproxima da meia idade e começa a dar lugar a uma geração jovens, descomplexada e irreverente. O resultado? Uma história patética, pindérica, supérfula, materialista, numa família de novos ricos (aparentemente baseada na própria família de Apatow) que consegue, ainda, cometer um pecado capital de revelar, sem qualquer pudor ou respeito pelo espectador, um spoiler explícito do final da série Lost.

Os dramas da família de Apatow começam na falta de bateria do iPad. Não queira saber onde acabam.


Nota Final:
(0/10)


Trailer:



Informação Adicional:
Realização: Judd Apatow
Argumento: Judd Apatow
Ano: 2012
Duração: 134 minutos

[Antevisão] CHASING ICE


Por pouco que passava despercebido ao Dial P for Popcorn. E, infelizmente, será difícil (senão mesmo impossível) vê-lo nos cinemas portugueses. Mas não podia deixar de vos falar de Chasing Ice e de pelo menos tentar incutir-vos a curiosidade que este documentário me despertou. É uma forma original, corajosa e inovadora de tentar demonstrar o caminho infeliz para o qual o mundo moderno no empurra. O visionário  James Balog decidiu pegar nas suas milhentas câmaras, instalá-las em pontos estratégicos dos Pólos e acompanhar o degelo dos grandes icebergues. Com imagens de uma qualidade tremenda, que mereciam a qualidade do grande ecrã, que obrigam à compra da versão Blu-Ray, este documentário tem ainda o bónus de uma banda sonora igualmente promissora. Com voz de Scarlett JohanssonJoshua Bell, Before My Time (nomeada para os Oscars deste ano na categoria de Melhor Música), é seguramente uma das mais sentimentais baladas que ouvi nos últimos anos.

Aqui deixo o Trailer e a Música nomeada. Aconselho-o vivamente ao leitor. Veja e desfrute. Eu vou continuar à espera que o filme chegue a Portugal. Ou, em último caso, pelo Blu-Ray, que estará à venda a partir do dia 10 de Junho.


[Comentário] Óscares 2013




Eu tentei não o fazer. Até porque estes prémios merecem cada vez menos o meu respeito. Mas o que aconteceu ontem foi demasiado chocante, demasiado óbvio, demasiado provocante. Não é por acaso que o Melhor Filme não recebe sequer a nomeação de Melhor Realizador. Não é por acaso que nos últimos anos passámos a ter 9-10 nomeados na categoria de Melhor Filme. E não é por acaso que os prémios foram equitativamente distribuídos pelos principais filmes. Por isso mesmo, na noite de ontem, os grandes vencedores foram...












Parabéns aos Vencedores! O trabalho de bastidores surtiu efeito e todos os filmes vão ter um prémio numa das principais categorias da Academia para poder destacar em grande plano na capa do DVD e do Blu-ray. Ganham uns. Perde o Cinema.