Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DIAL P FOR POPCORN

DIAL P FOR POPCORN

EMMY 2011: Actor Secundário - Drama e Comédia



Com a cerimónia dos Emmys a ocorrer mais logo (1 da manhã no AXN/Sony Entertainment), vamos tentar abordar as principais categorias e fazer algumas previsões, tal como já fizemos há uma semana para as categorias de Actor e Actriz Convidado (acertei 3 em 4, falhando apenas Loretta Devine).


Primeiro vamos falar da categoria de Melhor Actor Secundário - Drama.


Andre Braugher, "Men of a Certain Age"
Josh Charles, "The Good Wife"
Alan Cumming, "The Good Wife"
Peter Dinklage, "Game of Thrones"
Walton Goggins, "Justified"
John Slattery, "Mad Men"


Quem ficou de fora: Uma lista de nomeados de respeito, todos merecedores da nomeação, sem dúvida. Ainda assim, não percebo como a Academia, que concede 17 nomeações a "Boardwalk Empire", entre elas duas nomeações para actores, não consiga encontrar lugar para Michael Shannon ou Michael Pitt. Também o elenco masculino de "Parenthood" poderia ter merecido aqui alguma menção - e quem diz "Parenthood" diz "Southland", "Treme", "Sons of Anarchy" ou mesmo "True Blood". Agora há duas omissões que não posso perdoar: é muito lindo nomear Mireille Enos para Melhor Actriz, mas será que a Academia não viu o óbvio - e por óbvio quero eu dizer Joel Kinnaman, que é de longe o melhor intérprete da série? A outra omissão que me choca até me custa mencionar, tal é o número gritante de pessoas que passa a vida a queixar-se disso. Contudo, realmente, não havia lugar para John Noble ("Fringe") mas há para Andre Braugher? Por favor.

Quem devia ganhar: De entre os nomeados, eu teria que dizer ou Walton Goggins que teve uma temporada fenomenal ou Alan Cumming, que aproveita todos os minutos de tempo de ecrã que tem em "The Good Wife" para roubar cenas a Chris Noth ou a Julianna Margulies.

Quem vai ganhar: Andre Braugher tinha melhores hipóteses de vencer pelo episódio do ano passado, é verdade, mas tendo em conta que a sua série acabou, que ele é muito querido na indústria e é um anterior vencedor e que no seu episódio ("Let the Sunshine In") ele é espectacular, não me surpreenderia se vencesse. A sua situação, aliás, relembra-me a de Kristen Chenoweth em 2008, quando venceu por "Pushing Daisies". Em ambos os casos, eram a grande nomeação das suas respectivas séries, que tinham sido canceladas - para ira de muitos fãs - no ano anterior. Depois de o ano passado ter sido injustamente esquecido, Josh Charles beneficiou da subida de qualidade da sua série para conseguir uma nomeação este ano. O seu episódio é o menos fabuloso de entre os nomeados ("Closing Arguments"), não pela sua qualidade (porque o episódio é muito bom), mas porque lhe dá muito pouco que fazer. Já Alan Cumming, por exemplo, tem um episódio que o beneficia imenso ("Silver Bullet"). Ele é claramente o grande bónus da série, transformando momentos de drama pesado de "The Good Wife" com alguns toques de humor e comédia nunca perdendo a intensidade dramática. Tem boas hipóteses de ganhar, embora eu pense que o mais provável é que perca para um dos três senhores seguintes. John Slattery foi o claro favorito à vitória o ano todo e tido como coisa certa. Matthew Weiner proporcionou-lhe o seu melhor episódio até à data ("Hands and Knees") e Slattery não desaponta. Ainda acredito na sua vitória, embora agora pense que fica a perder quando comparado com estes próximos dois senhores. Peter Dinklage ("Game of Thrones") é o 'cavalo negro' da categoria. Tivesse escolhido outro episódio e eu dar-lhe-ia a vitória de caras. Não que em "Baelor" ele não seja impressionante à mesma, porque é; contudo, não é um episódio em que ele exiba várias das qualidades que tornaram Tyrion Lannister tão querido e tão amado pelos fãs. Chegamos, pois, finalmente a Walton Goggins. Se houvesse alguma justiça, o seu tresloucado e irresponsável Boyd era de longe o vencedor. Ele tem o melhor episódio ("The I of the Storm") e o que me dá esperança, acima de tudo, numa vitória dele é o facto do largo apoio da Academia à segunda temporada da sua série. Veremos o que acontece nesta categoria bem imprevisível.

Sem certezas, aposto em Peter Dinklage mas qualquer um dos seis pode vencer.



Abordando agora a categoria de Melhor Actor Secundário - Comédia:


Ty Burrell, "Modern Family"
Chris Colfer, "Glee"
Jon Cryer, "Two and a Half Men"
Jesse Tyler Ferguson, "Modern Family"
Ed O'Neill, "Modern Family"
Eric Stonestreet, "Modern Family"


Quem ficou de fora: Não querendo bater no ceguinho, sinto-me quase insultado que a Academia tenha optado por não se decidir quanto a quem expulsar dos actores de "Modern Family" e nomeado todos. Mais Jon Cryer que só cá está porque teve que aturar Charlie Sheen e ameaças de desemprego. E Chris Colfer que não tem um minuto de comédia em todas as suas cenas do episódio escolhido. E magoa-me quando penso que nesta categoria podiam estar Peter Facinelli ("Nurse Jackie"), Garrett Dillahunt ("Raising Hope"), Ian Gomez, Brian van Holt e Josh Hopkins ("Cougar Town"), John Benjamin Hickey e Oliver Platt ("The Big C"), John Krasinski, Ed Helms e Rainn Wilson ("The Office"), Ted Danson e Zack Galifianakis ("Bored to Death"), Danny Pudi, Chevy Chase e Daniel Glover ("Community"), Josh Cooke e Kurt Fuller ("Better with You"), Neil Patrick Harris e Jason Segel ("How I Met Your Mother"), Simon Helberg e Kunal Nayyar ("The Big Bang Theory") e sobretudo Adam Scott, Aziz Ansari e Nick Offerman ("Parks & Recreation"). Aliás, a exclusão de Ron Swanson é das piores decisões da Academia desde que me lembro. O que me vale é que provavelmente  o próprio Swanson cuspiria no troféu. De qualquer forma, dá para ver o quão ridícula eu acho que é a composição desta categoria.

Quem devia ganhar: Ty Burrell. Não há sequer outra opção. Eric Stonestreet virou tão ou mais caricatura que Sue Sylvester (Jane Lynch) em "Glee", Ed O'Neill não tem piada e Jesse Tyler Ferguson tem os seus momentos. Que são muito poucos. O que não quer dizer que os três não sejam eficientes nos seus papéis, que são. Mas nenhum deles tem o talento de Burrell que para mim já o ano passado devia ter vencido. Para meu pesar, aposto que esta categoria vai rodar pelo elenco de "Modern Family", cada um vencendo num ano diferente.

Quem vai ganhar: Esta categoria é muito fácil de explicar. Ed O'Neill vence se a Academia achar que foi vergonhoso demais ter-se esquecido dele o ano passado, já depois de uma dezena de anos a ignorá-lo por "Married with Children" (o seu episódio escolhido, "The Kiss", pertence mais a todos do que a ele, logo não será por aí que ele há-de ganhar). Chris Colfer vence se a Academia ficar impressionada pelo seu talento vocal (em "Grilled Cheesus", não há um pingo da sua interpretação que seja engraçada, sendo até bastante pesarosa e deprimente com a sua personagem a preocupar-se com a morte do seu pai e, num dos melhores momentos da temporada da série, a cantar-lhe uma canção agarrando a sua mão) e pelo melodrama que imprime na série. Eric Stonestreet vence se Ty Burrell não conseguir vencer, tal como o ano passado. Stonestreet escolhe bem episódios (este ano escolheu "Mother's Day"), ao contrário de Burrell ("Good Cop, Bad Dog") o que lhe pode valer novo Emmy, caso a Academia não nutra o mesmo amor por Burrell que a maioria dos fãs da série sente. Jon Cryer não vai vencer, apesar de ser bastante impressionante no seu episódio, "The Immortal Mr. Billy Joel". Finalmente, Jesse Tyler Ferguson é, se formos a ver pelos episódios, o favorito a vencer (ele escolheu "Hallowe'en"), embora seja também o menos interessante dos seis personagens adultos da série.

Assim sendo, aposto que Ty Burrell ganha, uma vez que mesmo não tendo escolhido um bom episódio, surge em bom plano nos cinco episódios escolhidos pelos seus colegas, todos nomeados, o que o poderá beneficiar imenso. A minha dúvida reside só e apenas na distinta possibilidade de os quatro actores de "Modern Family" poderem repartir os votos e acabar por ser Chris Colfer a triunfar.


EMMY 2011: Actor e Actriz Convidados - Drama



Com a cerimónia dos Emmy a ocorrer em breve (dia 18 de Setembro), chega a hora de eu abordar finalmente as principais categorias a prémio e discutir os méritos dos nomeados, de quem ficou de fora e quem terá maiores probabilidades de vencer.

As quatro categorias de hoje serão as de Actor e Actriz Convidado, Drama e Comédia. Decidi começar por estas pois os seus vencedores serão revelados já hoje nos Creative Arts Emmys. Começamos pela categoria de Melhor Actor Convidado - Drama.


Beau Bridges, "Brothers and Sisters"
Jeremy Davies, "Justified"
Bruce Dern, "Big Love"
Michael J. Fox, "The Good Wife"
Paul McCrane, "Harry's Law"
Robert Morse, "Mad Men"

Quem ficou de fora: Penso que não há grandes vítimas nesta categoria, se bem que considero que há razão para Scott Porter ("The Good Wife"), Joe Manganiello ("True Blood"), Michael Emerson ("Parenthood") e Johnny Lee Miller ("Dexter"), entre outros, para reclamar um lugar entre estes nomeados.

Quem vai ganhar:  Em teoria, o prémio seria de Michael J. Fox e provavelmente será ele quem vá ganhar, embora me pareça que Jeremy Davies e Paul McCrane possam também vencer, não sendo surpresa para ninguém. O único nome que riscaria desde logo da corrida é o de Robert Morse.

Quem tem o melhor episódio: "Brody" é um excelente episódio para Beau Bridges, que garantiu a sua quarta nomeação nas categorias de actor convidado nos últimos cinco anos. Tem muito tempo de ecrã, dá para nos apercebermos da sua personalidade extrovertida, carismática e confiante e a sua enorme química com Sally Field é por demais evidente. Jeremy Davies tem aquele que é, para mim o melhor episódio do grupo. Em "Reckoning", o seu personagem Dickie é perseguido e depois arrastado para o mato e capturado por Raylan, numa interpretação brilhante por parte de Davies. Éo o meu favorito pessoal à vitória, se bem que penso que não é quem vai vencer. Michael J. Fox é o óbvio candidato à vitória, com apenas um senão: ele não conseguiu vencer o ano passado nesta mesma categoria, com este mesmo papel, por um episódio bastante mais forte (também era impossível bater John Lithgow de qualquer forma) do que este "Real Deal". Ainda assim, o vencedor de três Emmy - um nesta categoria em 2009 por "Rescue Me" - não pode ser desprezado, mesmo com uma interpretação mais controlada e subtil do que é costume. Engraçado que Bruce Dern cá apareça quando em outros anos ele esteve tão mais forte e ainda por cima no episódio submetido é Grace Zabriskie, que interpreta a sua esposa, que rouba cenas. Ainda assim, o seu diálogo com o seu filho sobre a sua mulher em "D.I.V.O.R.C.E." é devastador. Depois de três nomeações em quatro anos, o Bert Cooper de Robert Morse abandona de vez a firma de publicidade de "Mad Men", numa das cenas mais tensas e excelentemente interpretadas do episódio. Contudo, em "Blowing Smoke", além desta cena, pouco mais tem Morse a fazer, o que exclui quase de imediato que ele tenha sequer qualquer hipótese de conseguir vencer. Finalmente, falemos do grande ponto de interrogação da categoria, Paul McCrane. É a melhor interpretação dos seis a par de Davies - em "With Friends Like These", o seu advogado despe-se em pleno tribunal em protesto quando o júri não concorda com o seu discurso - e ter a seu lado David E. Kelley, que já levou 34 actores de séries suas a vencer Emmys, ajuda imenso.

Quem devia ganhar: De entre estes nomeados, Jeremy Davies ou Michael J. Fox.


Agora falando de Melhor Actriz Convidada - Drama que, pelo primeiro ano desde que me lembro, não contém qualquer nomeada vinda da série "Law & Order: Special Victims' Unit", pela qual venceu o ano passado Ann-Margret.



Cara Buono, "Mad Men"
Joan Cusack, "Shameless"
Loretta Devine, "Grey's Anatomy"
Randee Heller, "Mad Men"
Mary McDonnell, "The Closer"
Julia Stiles, "Dexter"
Alfre Woodard, "True Blood"

Quem ficou de fora: Acho que Rebecca Creskoff ("Justified") tem razões de queixa noutras categorias além desta, bem como Mary-Beth Peil ("The Good Wife") e Anika Noni Rose ("The Good Wife") que podiam muito bem ter entrado no número elevado de nomeações que a sua série conseguiu. Também Gretchen Mol ("Boardwalk Empire") sai excluída sem eu perceber bem porquê.

Quem devia ganhar: Entre os nomeados, Joan Cusack e Julia Stiles são sem dúvida as duas favoritas e provavelmente será uma delas a vencer, daí que teremos sempre uma vitória merecida. A minha preferência pessoal vai para Joan Cusack.

Quem vai ganhar: É uma luta a duas entre Julia Stiles e Joan Cusack, o que quer dizer que a Showtime sairá sempre vitoriosa nesta categoria, a não ser que algo muito inesperado aconteça. À partida, Julia Stiles tem mais tempo de ecrã mas Joan Cusack tem o nome, a idade, a reverência e a interpretação necessárias para levar o prémio para casa.

Quem tem o melhor episódio: A interpretação mais consistente é a de Joan Cusack, que em "Frank Gallagher: Loving Husband, Devoted Father" se exibe a alto nível, quando a sua agorafóbica personagem fica de tomar conta de um bebé que foge para o jardim e que a obriga a medidas drásticas para o recuperar. É uma actuação impressionante, que só peca por não ser possível submeter outros episódios anteriores para explicar mais ao pormenor a complexidade da condição da personagem. Ainda assim, é a mulher a abater. E a única com grande possibilidade de o fazer é Julia Stiles, quase estreante nestas coisas da televisão, que se bate bem com Dexter Morgan (Michael C. Hall) nesta temporada de "Dexter". Em "In The Beginning", somos quase obrigados a abraçar a sua personagem, que se junta a Dexter para procurar um dos assassinos de que foi vítima. É um episódio bastante intenso e forte. Se há alguém que possa ser considerado o dark horse da categoria, é Loretta Devine. Ela, que se arrasta por "Grey's Anatomy" já lá vão muitos anos, teve este ano uma história de relativa importância na série, ao ser diagnosticada com Alzheimer. No seu episódio, "This Is How We Do It", a sua personagem é confrontada com a notícia e atravessa um espectro largo de emoções, da raiva à aceitação, pondo tudo em causa. Uma vez que Kate Burton, duplamente nomeada por uma narrativa semelhante na mesma série há alguns anos atrás, nunca venceu, também me parece difícil acreditar que será Devine a vencer. Em "Chinese Wall", Faye Miller (a personagem de Cara Buono), apaixonada por Don Draper, decide contar-lhe alguns segredos para o poder ajudar no negócio, pensando ingenuamente tratar-se de um gesto para com quem ama. Mais tarde, a sua ira é incandescente, irrompendo pelo gabinete de Draper e respondendo-lhe à medida quando descobre a sua traição. É o melhor episódio dos seis, mas o seu tempo de ecrã é tão escasso que não me parece que ela tenha qualquer hipótese. Mary McDonnell pouco faz também no seu episódio, "Help Wanted", em que ela entrevista e selecciona candidatos para um cargo policial. Já que falamos em tempo de ecrã, é altura de abordar Alfre Woodard, nomeada por dois ou três minutos de aparição em "True Blood". A actriz faz, todavia, esses poucos minutos contar, quando na sua cena ela agride o seu filho física, verbal e psicologicamente. Finalmente, falta falar de Randee Heller, que conseguiu o impensável: uma nomeação para a sua formidável - e inolvidável - Miss Blankenship, uma favorita do público, que perece no seu episódio "The Beautiful Girls", deixando Draper e a sua equipa a discutir a melhor forma de se ver livre dela sem que nenhum cliente se aperceba.

E vocês, que acham?

EMMY 2011: Nomeados

O anúncio dos nomeados para a 63ª edição dos Primetime Emmy Awards decorreu hoje, às 5:35 da manhã, hora local, quando passava das 13:35 em território português, num evento apresentado por Melissa McCarthy ("Mike & Molly") e Joshua Jackson ("Fringe").

Mais tarde deixar-vos-ei com uma análise a fundo dos nomeados mas, para já, contemplem a lista dos nomeados nas principais categorias. "Mad Men" é a série com mais nomeações no geral - e também, como é óbvio, nas categorias dramáticas (dezanove, incluindo sete para os seus actores). Já nas comédias é "Modern Family", com dezassete (seis deles para todo o seu elenco adulto) nomeações, quem reina. Sobre todos predomina "Mildred Pierce", com 21 nomeações no total. Por estação, a HBO é quem domina com 104 nomeações, o dobro da segunda classificada, a CBS (50). Em seguida vem a NBC (46), a PBS (43) e finalmente a FOX, o canal que vai emitir a cerimónia, com 42.

Se pretender ler mais sobre reacções dos actores podem consultar a compilação da TVLine aqui ou a do The Hollywood Reporter aqui, ambas em constante actualização.

MELHOR SÉRIE - DRAMA

"Boardwalk Empire"
"Dexter"
"Friday Night Lights"
"Game of Thrones"
"The Good Wife"
"Mad Men"


MELHOR ACTOR - DRAMA

Steve Buscemi, "Boardwalk Empire"
Kyle Chandler, "Friday Night Lights"
Michael C. Hall, "Dexter"
Jon Hamm, "Mad Men"
Hugh Laurie, "House"
Timothy Olyphant, "Justified"


MELHOR ACTRIZ - DRAMA

Kathy Bates, "Harry's Law"
Connie Britton, "Friday Night Lights"
Mireille Enos, "The Killing"
Mariska Hargitay, "Law & Order: Special Victims Unit"
Julianna Margulies, "The Good Wife"
Elisabeth Moss, "Mad Men"


MELHOR ACTOR SECUNDÁRIO - DRAMA

Andre Braugher, "Men of a Certain Age"Josh Charles, "The Good Wife"
Alan Cumming, "The Good Wife"
Peter Dinklage, "Game of Thrones"
Walton Goggins, "Justified"
John Slattery, "Mad Men"

MELHOR ACTRIZ SECUNDÁRIA - DRAMA

Christine Baranski, "The Good Wife"
Michelle Forbes, "The Killing"
Christina Hendricks, "Mad Men"
Kelly MacDonald, "Boardwalk Empire"
Margo Martindale, "Justified"
Archie Panjabi, "The Good Wife"


MELHOR ACTOR CONVIDADO - DRAMA

Beau Bridges, "Brothers and Sisters"
Jeremy Davies, "Justified"
Bruce Dern, "Big Love"
Michael J. Fox, "The Good Wife"
Paul McCrane, "Harry's Law"
Robert Morse, "Mad Men"


MELHOR ACTRIZ CONVIDADA - DRAMA

Cara Buono, "Mad Men"
Joan Cusack, "Shameless"
Loretta Devine, "Grey's Anatomy"
Randee Heller, "Mad Men"
Mary McDonnell, "The Closer"
Julia Stiles, "Dexter"
Alfre Woodard, "True Blood"

MELHOR ESCRITA NUM EPISÓDIO - DRAMA

"Friday Night Lights" (Always), Jason Katims
"Game of Thrones" (Baelor), David Benioff e D.B. Weiss
"The Killing" (Pilot), Veena Sud
"Mad Men" (The Suitcase), Matthew Weiner
"Mad Men" (Blowing Smoke), Andre e Maria Jacquemetton


MELHOR REALIZAÇÃO NUM EPISÓDIO - DRAMA

"Boardwalk Empire" (Pilot), Martin Scorcese
"Boardwalk Empire" (Anastasia), Jeremy Podeswa
"The Borgias" (The Poisoned Chalice / The Assassin), Neil Jordan
"Game of Thrones" (Winter is Coming), Tim Van Patten
"The Killing" (Pilot), Patty Jenkins


MELHOR CASTING (MELHOR ELENCO) - DRAMA

 "Boardwalk Empire"
"Game of Thrones"
"The Good Wife"
"The Killing"
"Mad Men
"


Nas categorias de Comédia os nomeados são:


MELHOR SÉRIE - COMÉDIA

"The Big Bang Theory"
"Glee"
"Modern Family"
"Parks and Recreation"
"The Office"
"30 Rock"


MELHOR ACTOR - COMÉDIA

Alec Baldwin, "30 Rock"
Steve Carell, "The Office"
Louis C.K., "Louie"
Johnny Galecki, "The Big Bang Theory"
Matt LeBlanc, "Episodes"
Jim Parsons, "The Big Bang Theory"


MELHOR ACTRIZ - COMÉDIA

Edie Falco, "Nurse Jackie"
Tina Fey, "30 Rock"
Laura Linney, "The Big C"
Melissa McCarthy, "Mike & Molly"
Martha Plimpton, "Raising Hope"
Amy Poehler, "Parks and Recreation"


MELHOR ACTOR SECUNDÁRIO - COMÉDIA

Ty Burrell, "Modern Family"
Chris Colfer, "Glee"
Jon Cryer, "Two and a Half Men"
Jesse Tyler Ferguson, "Modern Family"
Ed O'Neill, "Modern Family"
Eric Stonestreet, "Modern Family"


MELHOR ACTRIZ SECUNDÁRIA - COMÉDIA

Julie Bowen, "Modern Family"
Jane Krakowski, "30 Rock"
Jane Lynch, "Glee"
Sofia Vergara, "Modern Family"
Betty White, "Hot in Cleveland"
Kristin Wiig, "Saturday Night Live"


MELHOR ACTOR CONVIDADO - COMÉDIA

Will Arnett, "30 Rock"
Matt Damon, "30 Rock "
Idris Elba, "The Big C"
Zach Galifianakis, "Saturday Night Live"
Nathan Lane, "Modern Family"
Justin Timberlake, "Saturday Night Live"


MELHOR ACTRIZ CONVIDADA - COMÉDIA

Elizabeth Banks, "30 Rock"
Kristin Chenoweth, "Glee"
Tina Fey, "Saturday Night Live"
Dot Marie Jones, "Glee"
Cloris Leachman, "Raising Hope"
Gwyneth Paltrow, "Glee"


 MELHOR ESCRITA EM EPISÓDIO - COMÉDIA

"Episodes" (Episode 107), Jeffrey Klarik e David Crane
"Louie" (Poker / Divorce), Louie C.K.
"Modern Family" (Caught in the Act), Steve Levitan e Jeffrey Richman
"The Office" (Goodbye Michael), Greg Daniels
"30 Rock" (Reaganing), Matt Hubbard


MELHOR REALIZAÇÃO EM EPISÓDIO - COMÉDIA

"How I Met Your Mother" (Subway Wars), Pamela Fryman
"Modern Family" (Hallowe'en), Michael Alan Spiller
"Modern Family" (Slow Down Your Neighbours), Gail Mancuso
"Modern Family" (See You Next Fall), Steve Levitan
"30 Rock" (Live Show), Beth McCarthy-Miller


MELHOR CASTING (MELHOR ELENCO) - COMÉDIA

"Glee"
"The Big C"
"Modern Family"
"Nurse Jackie"
"30 Rock
"


Passando agora às categorias conjuntas de telefilmes e mini-séries...

MELHOR TELEFILME OU MINI-SÉRIE

"Cinema Vérité"
"Downton Abbey"
"The Kennedys"
"Mildred Pierce"
"The Pillars of the Earth"
"Too Big To Fail"


MELHOR ACTOR - TELEFILME OU MINI-SÉRIE

Idris Elba, "Luther"
Laurence Fishburne, "Thurgood"
William Hurt, "Too Big To Fail"
Greg Kinnear, "The Kennedys"
Barry Pepper, "The Kennedys"
Edgar Ramirez, "Carlos"


MELHOR ACTRIZ - TELEFILME OU MINI-SÉRIE

Taraji P. Henson, "Taken From Me: The Tiffany Rubin Story"
Jean Marsh, "Upstairs, "Downstairs"
Elizabeth McGovern, "Downton Abbey"
Diane Lane, "Cinema Vérité"
Kate Winslet, "Mildred Pierce"


MELHOR ACTOR SECUNDÁRIO - TELEFILME OU MINI-SÉRIE

Paul Giamatti, "Too Big To Fail"
Brian F. O'Byrne, "Mildred Pierce"
Guy Pearce, "Mildred Pierce"
Tom Wilkinson, "The Kennedys"
James Woods, "Too Big To Fail"


MELHOR ACTRIZ SECUNDÁRIA - TELEFILME OU MINI-SÉRIE

Eileen Atkins, "Upstairs, Downstairs"
Melissa Leo, "Mildred Pierce"
Maggie Smith, "Downton Abbey"
Mare Winningham, "Mildred Pierce"
Evan Rachel Wood, "Mildred Pierce"


MELHOR ESCRITA - TELEFILME OU MINI-SÉRIE

Julian Fellowes, "Downton Abbey"
Todd Haynes e Jon Raymond, "Mildred Pierce"
Steven Moffat, "Sherlock Holmes"
Peter Gould, "Too Big To Fail"
Heidi Thomas, "Upstairs, Downstairs"


MELHOR REALIZAÇÃO - TELEFILME OU MINI-SÉRIE

Olivier Assayas, "Carlos"
Robert Pulcini e Shari Berman, "Cinema Vérité"
Brian Percival, "Downton Abbey"
Todd Haynes, "Mildred Pierce"
Curtis Hanson, "Too Big To Fail"


MELHOR CASTING (MELHOR ELENCO) - TELEFILME OU MINI-SÉRIE
 
"Cinema Verité"
"Downton Abbey"
"Mildred Pierce"
"Too Big To Fail"
"Upstairs, Downstairs
"

E ainda, a título de curiosidade, deixo mais estas cinco categorias:

MELHOR SÉRIE - PROGRAMA DE COMPETIÇÃO

"American Idol"
"The Amazing Race"
"Dancing with the Stars"
"Project Runway"
"So You Think You Can Dance"
"Top Chef"


MELHOR SÉRIE - REALITY SHOW

"Antiques Roadshow"
"Deadliest Catch"
"Hoarders"
"Kathy Griffin: My Life on the D–List"
"MythBusters"
"Undercover Boss"


MELHOR APRESENTADOR DE PROGRAMA

Tom Bergeron, "Dancing With The Stars"
Cat Deeley, "So You Think You Can Dance"
Phil Keoghan, "The Amazing Race"
Jeff Probst, "Survivor"
Ryan Seacrest, "American Idol"


MELHOR PROGRAMA - VARIEDADES, MÚSICA OU COMÉDIA

"The Colbert Report"
"Conan"
"The Daily Show"
"Late Night With Jimmy Fallon"
"Real Time with Bill Maher"
"Saturday Night Live"


MELHOR PROGRAMA ESPECIAL DE VARIEDADES

"Carrie Fisher in Wishful Drinking"
"Lady GaGa Presents The Monster Ball Tour: At Madison Square Garden"
"The Kennedy Center Honors"
"Bette Midler: The Showgirl Must Go On"
"The Pee–wee Herman Show on Broadway"


Os vencedores são anunciados a 18 de Setembro num programa emitido na FOX e apresentado por Jane Lynch ("Glee"). Até lá cobriremos a análise de todas estas categorias.

Discutindo os Emmy 2011: Melhor Actor e Melhor Actriz - Comédia

A contar os dias para o anúncio dos nomeados para os Emmy 2011 - que ocorrerá esta quinta-feira 14 de Julho, venho oferecer a minha opinião sobre quais os candidatos mais fortes nas principais corridas e tentar a minha sorte no jogo preditivo, tal e qual como faço para os Óscares. Para concluir, deixo-vos ficar com a minha opinião sobre Melhor Actor e Melhor Actriz - Comédia.

MELHOR ACTOR - COMÉDIA



PREVISÃO:
Alec Baldwin, 30 Rock
Steve Carell, The Office
Rob Lowe, Parks & Recreation
Joel McHale, Community
Matthew Morrison, Glee
Jim Parsons, The Big Bang Theory


A categoria menos interessante de prever e seguir, dada a falta de candidatos para os seis nomeados, é mesmo Melhor Actor - Comédia. Não é portanto surpreendente que a grande maioria de nós que prevê os Emmy esteja a apostar que quatro dos seis nomeados do ano passado retorne; os dois lugares que faltam terão de ser ocupados por novos nomeados uma vez que Shalhoub terminou a sua cruzada em "Monk" e "Curb Your Enthusiasm" não emitiu episódios em 2010 para Larry David poder submeter.
Steve Carell encerrou a sua última temporada em "The Office" em grande, gerando grande buzz para finalmente clamar vitória ao fim daquela que será a sua sexta nomeação consecutiva. Alec Baldwin ("30 Rock") e o vencedor de 2010, Jim Parsons ("The Big Bang Theory"), continuam tão ou ainda mais populares que o ano passado e portanto é certíssimo que vão amealhar a sua quinta e terceira nomeações, respectivamente. A eles se deve juntar Matthew Morrison ("Glee") não pela qualidade da sua interpretação mas sobretudo pela falta de alternativas viáveis ao lugar. Apesar disso, tal como a sua proeminência na série, também aqui há uma franca possibilidade de Morrison ficar de fora em detrimento de alguém que é um verdadeiro protagonista.

O mesmo problema terá Rob Lowe em "Parks & Recreation", ele que nem sequer é o actor secundário com maior tempo de ecrã. Contudo, a jogada inteligente de se submeter em Melhor Actor e não em Melhor Actor Secundário, onde enfrentaria competição dura - até da sua própria série - pode ser um sucesso. Esta seria uma boa oportunidade da Academia premiar "Parks & Recreation", mesmo que não seja propriamente merecida. Além disso, funcionou para Lowe em 2001 quando fez o mesmo em "The West Wing". Outros dois antigos nomeados que poderão estar de volta são os dois "Friends", Matt LeBlanc ("Episodes") e Matthew Perry ("Mr. Sunshine"). O segundo não terá grandes hipóteses, até porque a sua série foi cancelada (nem vamos voltar a esse assunto; só dizer que eu acho que foi o melhor actor em comédia em 2010-2011). Já o primeiro... Troquei-o agora à última da hora por Joel McHale, o que diz tudo sobre aquilo que penso das suas possibilidades. Embora nunca tenha percebido bem como, a Academia adorava Joey Tribbiani, tendo dado a LeBlanc três nomeações (2002-2004) e portanto é bem capaz de lhe dar outra por interpretar uma versão exagerada dele próprio. No entanto, não estou a ver outras categorias em que "Episodes" possa ter impacto, o que me leva a pensar que também ele será esquecido.

Devendo ter ficado mesmo à beira de uma nomeação em 2010 e com a sua série a atingir níveis ainda maiores de sucesso crítico, Joel McHale ("Community") é a minha última aposta para a lista dos nomeados. A sua popularidade vem a crescer e muita gente considerou injusto a sua exclusão em 2010, ainda para mais com ele a apresentar os nomeados. Tudo isto a juntar a uma categoria fraca de qualidade... Dará nomeação. Provavelmente. Ou então não. A série não é propriamente fácil de digerir e não é sem dúvida para qualquer pessoa. Na mesma situação de McHale está outro homem que muitos julgavam ser possível ver nomeado em 2010, Thomas Jane ("Hung"), que voltou a ser nomeado para o Globo de Ouro mas que provavelmente se vai voltar a ver ignorado pela Academia.

Das séries estreantes, há que ter um olho em cima de Louie C.K. ("Louie"), Billy Gardell ("Mike & Molly") e Lucas Neff ("Raising Hope"). Só o primeiro me parece ter possibilidade de ser nomeado mas nunca se sabe.

Com hipóteses mais remotas temos Johnny Galecki ("The Big Bang Theory"), sempre na sombra do mais ousado Jim Parsons na série; o polémico Danny McBride ("Eastbound and Down"); Neil Flynn ("The Middle"); Josh Radnor ("How I Met Your Mother"); Jason Schwartzmann ("Bored to Death") e Zachary Levi ("Chuck"). E claro que nunca podemos excluir David Duchovny ("Californication") da conversa, até porque ele tem quatro nomeações anteriores - se bem que nenhuma por esta série, pela qual contudo ele venceu dois Globos de Ouro.




MELHOR ACTRIZ - COMÉDIA




PREVISÃO:
Toni Collette, United States of Tara
Edie Falco, Nurse Jackie
Tina Fey, 30 Rock
Laura Linney, The Big C
Martha Plimpton, Raising Hope
Amy Poehler, Parks & Recreation


Edie Falco ("Nurse Jackie", 2010), Toni Collette ("United States of Tara", 2009) e Tina Fey ("30 Rock", 2008), as últimas três vencedoras da categoria, estarão certamente de volta ao certame este ano. Da restante lista de nomeados, resta-nos Julia-Louis Dreyfus cuja série foi cancelada o ano passado e portanto novo nomeado terá que ser encontrado, Lea Michele ("Glee") e Amy Poehler ("Parks & Recreation"). Estas duas últimas têm boas possibilidades de repetir a nomeação, embora tal possa não acontecer. Eu aposto que a última repetirá quase de certeza, até porque a sua série só melhorou ainda mais (ao contrário de "Glee"), a sua interpretação ainda é mais admirada (ao contrário da de Michele, excepto o trabalho vocal que sim é impressionante) e a sua série tem muito para crescer ainda (ao contrário da de Michele, que conseguiu dezassete nomeações em 2010). Por tudo isto, Amy Poehler deve-se juntar às outras três acima (claro que Michele também o poderá fazer; é, neste momento, para mim, o sétimo lugar da tabela).


Quem também tem lugar garantido - e até previsivelmente a vitória - é Laura Linney, que decidiu este ano voltar à televisão para protagonizar "The Big C", que fala de Cathy, que descobre que tem uma forma terminal de cancro e que tem apenas um ano para aproveitar a vida que lhe resta. Material irresistível para os ouvidos e olhos da Academia, pois claro.

Depois, na luta pelo sexto lugar com a supra-mencionada Michele, temos duas veteranas que tiveram este ano um surpreendente sucesso com as suas respectivas séries - Martha Plimpton ("Raising Hope") e Melissa McCarthy ("Mike & Molly"). Eu aposto na primeira, que anda há muito a tentar a transição entre o teatro (onde é uma estrela) e a televisão (onde é consideravelmente reconhecida mas nunca totalmente abraçada pelos seus pares) e que finalmente consegue um papel no qual brilha, numa série quirky de um criador que já trouxe a uma antiga colaboradora (Jaime Pressly, "My Name Is Earl") um Emmy e num canal que conseguiu, com "Raising Hope", voltar ao estilo das boas comédias familiares perdido com o fim de "Malcolm in the Middle". A última tem a seu favor o facto da sua série ser um sucesso de audiências (o que na CBS não é, contudo, grande feito), ter tido uma onda de sucesso recente (efeito "Bridesmaids") e o bónus de ir apresentar os nomeados hoje - embora não tenha surtido efeito para Joel McHale o ano passado, sete dos últimos 8 apresentadores (portanto desde 2008) foram nomeados também nesse ano. Será, portanto, pelo menos de desconfiar a inclusão de McCarthy aqui, até porque Joshua Jackson, o outro apresentador, não terá hipótese de figurar nos nomeados da sua categoria (Melhor Actor - Drama).

A competir com estas três temos outras três actrizes no topo da sua forma, criticamente aclamadas e consideravelmente respeitadas no seio da Academia. Courteney Cox é a única dos "Friends" que nunca foi nomeada e infelizmente continuou essa senda em 2010, com "Cougar Town" a ser ignorada pela Academia. Em 2011 parece continuar a ser essa a sua sina, por muito merecida que já seja essa maldita primeira nomeação. Também Patricia Heaton foi ignorada o ano passado, ela que já tem dois galardões em casa por "Everybody Loves Raymond". "The Middle" gerou de facto mais interesse este ano e solidificou a sua posição na quarta-feira de comédia da ABC, a ponto de ter sido logo renovada para uma terceira temporada. Acredito que ela terá votos, mas serão eles suficientes? Não me parece. Finalmente, a terceira actriz que quero referir é Kaley Cuoco, para muitos o segundo maior talento comédico a sair de "The Big Bang Theory" (após Jim Parsons, claro) e que tem muito crédito por parte dos seus pares. Infelizmente, ninguém dessa série salvo Parsons tem conseguido uma nomeação e parece que a tendência é para continuar. Com muita pena minha.

Outras possibilidades incluem Jennifer Finnigan ou a Joanna Garcia, embora "Better With You" tenha sido cancelada, "Better With You" poderá trazer a nomeação e Billie Piper, que pode finalmente receber a nomeação há muito merecida agora que "Secret Diary of a Call Girl" terminou. Também há ainda que ter em conta as senhoras de "Desperate Housewives" e Mary Louise Parker ("Weeds"), antigas nomeadas, se bem que as suas séries parecem ter definitivamente saído do radar.


Discutindo os Emmy 2011: Melhor Série - Comédia


A contar os dias para o anúncio dos nomeados para os Emmy 2011 - que ocorrerá esta quinta-feira 14 de Julho, venho oferecer a minha opinião sobre quais os candidatos mais fortes nas principais corridas e tentar a minha sorte no jogo preditivo, tal e qual como faço para os Óscares. A próxima: Melhor Série - Comédia.

MELHOR SÉRIE - COMÉDIA


PREVISÃO:
"30 Rock"
"Glee"
"Hot in Cleveland"
"Modern Family"
"Nurse Jackie"
"The Office"

Esta categoria tem dois nomeados fortíssimos, cada um por razões diferentes mas independentemente disso seguros que irão conseguir a sua segunda nomeação: "Glee" e "Modern Family". Também será entre estes dois que a luta decorrerá para vencer. A eles se deve juntar "30 Rock" que irá para a sua quinta nomeação consecutiva e que, após três vitórias consecutivas, cedeu o ano passado o título a "Modern Family" e tem vindo a cair ligeiramente em popularidade e "The Office", que pelo menos este ano ainda deverá constar da lista dos nomeados, naquele que foi o ano de despedida da sua estrela, Steve Carell.

"Curb Your Enthusiasm" não emitiu episódios este ano e por isso alguém novo terá de entrar para o seu lugar. O sexto nomeado em 2010 foi "Nurse Jackie", que terá bastante dificuldade em repetir o feito, dado o facto da sua segunda temporada ter decaído um pouco em qualidade em relação à primeira. Ainda assim, estou a prever que se mantenha, sobretudo porque a concorrência, embora de peso, não é bem tida em conta na Academia.

"The Big Bang Theory" ocupa a linha da frente para ser nomeado há já três anos, desde que o buzz que paira sobre a série vem aumentando de forma ensurdecedora. Ainda assim, perdeu o lugar para "How I Met Your Mother" em 2009 e para "Nurse Jackie" em 2010, algo que ninguém previa em ambas as ocasiões. Assim não dá para não desconfiar que será este ano que finalmente será nomeada - embora seja bastante possível que aconteça. O mesmo se passa com "Parks & Recreation", que apesar de merecer já o ano passado constar dos seis nomeados, só Amy Poehler é que conseguiu a nomeação para Melhor Actriz. Todo o mundo espera que este ano a série se safe melhor - até porque é, para muitos (incluindo eu), a melhor comédia na televisão actual. A elas se junta "Community", a série mais criticamente aclamada dos últimos dois anos, que muita gente admira mas que não conseguiu favores o ano passado na Academia - e da qual se espera mais em 2011. Veremos.

Entre os nomeados anteriores que entretanto saíram da lista, não há nenhum que me pareça talhado a regressar, embora tenham que ser tidos em conta à mesma: afinal, "Entourage" sempre conseguiu três nomeações e "Weeds" duas e mesmo "Family Guy" e "How I Met Your Mother" surgiram em 2009 batendo adversários de grande peso, tornando-se a primeira série animada e a primeira série de duas câmaras a serem nomeadas em muito tempo.

Das novas séries, há duas que merecem que se preste atenção: "The Big C" tem muito buzz para a sua estrela, Laura Linney, que pode trazer atrás de si nomeações extra, como muita gente pensa ter sucedido com Edie Falco e "Nurse Jackie" o ano passado, curiosamente também da Showtime; e "Hot in Cleveland", de regresso ao tradicional formato de sitcom com laugh track e com actrizes de renome, lideradas pela carismática Betty White de regresso de forma regular à televisão. Suspeito que esta combinação de tradição com o peso dos nomes do elenco será impossível de resistir à Academia, apesar de não me surpreender se for outro o sexto nomeado. "Raising Hope", "Mike & Molly", "Louie" e "Episodes" são outras séries novas que têm possibilidade de serem tidas em consideração, embora eu não tenha muita esperança que sejam. A elas se juntam "The Middle", que até potencialmente merecia um lugar entre os seis nomeados, mas que a Academia ignorou em 2010 apesar de ter Patricia Heaton, duas vezes vencedora do Emmy por "Everybody Loves Raymond", no elenco.

Discutindo os Emmy 2011: Melhor Actor Secundário e Actriz Secundária - Comédia

A contar os dias para o anúncio dos nomeados para os Emmy 2011 - que ocorrerá esta quinta-feira 14 de Julho, venho oferecer a minha opinião sobre quais os candidatos mais fortes nas principais corridas e tentar a minha sorte no jogo preditivo, tal e qual como faço para os Óscares. Pego agora em Melhor Actor Secundário e Melhor Actriz Secundária em Comédia.

MELHOR ACTOR SECUNDÁRIA - COMÉDIA


PREVISÃO:
Julie Bowen, Modern Family
Jane Krakowski, 30 Rock
Jane Lynch, Glee
Sofia Vergara, Modern Family
Betty White, Hot in Cleveland
Kristen Wiig, Saturday Night Live 

Do grupo de nomeadas do ano passado, Sofia Vergara e Julie Bowen ("Modern Family") e a vencedora Jane Lynch ("Glee") irão certamente repetir a nomeação, até porque as suas séries continuam populares e as suas interpretações ainda são agradavelmente relembradas. Jane Lynch tem ainda como bónus o facto de ser a apresentadora da cerimónia deste ano, algo que só a fará ganhar mais votos e reconhecimento. A elas deve-se juntar a rejuvenescida Betty White que, aos oitenta e nove anos, monta um comeback que só tem paralelo com o de Meryl Streep na sétima arte. "Hot in Cleveland" pode não ser para todos, mas o seu estilo tradicional e o facto de ter no seu elenco Betty White, um dos pilares da televisão das últimas quatro décadas, ajuda. Além disso, o resto do elenco também é bastante reconhecido, daí que não me surpreendia se mais alguém conseguisse ser nomeada; provavelmente a mais forte candidata será Wendie Malick, mas Jane Leeves e Valerie Bartinelli também são possibilidades.

Estou a arriscar um pouco nas restantes previsões ao apostar que Jane Krakowski ("30 Rock") e Kristen Wiig ("Saturday Night Live") vão manter o seu estatuto de nomeadas por mais um ano quando não é como se "30 Rock" e "Saturday Night Live" - e particularmente o seu papel nelas - tenham ganho fãs. Wiig terá provavelmente mais hipóteses de manter o lugar do que Krakowski, uma vez que a sua incursão mais recente no cinema ("Bridesmaids") foi um sucesso estrondoso e também porque o tempo de ecrã de Krakowski foi bastante reduzido este ano em "30 Rock".

A principal vantagem delas é que as candidatas de luxo desta categoria têm todas handicaps difíceis de combater. Busy Philipps e Christa Miller ("Cougar Town"), Alison Brie e Gillian Jacobs ("Community"), Mayim Blahik ("The Big Bang Theory") e Aubrey Plaza e Rashida Jones ("Parks & Recreation") teriam todas lugar cativo na minha linha da frente de candidatas dado o seu brilhante trabalho esta temporada, mas a verdade é que as suas séries têm mostrado dificuldade em conseguir muitas nomeações (embora estas fossem merecidas) e portanto mais um ano deve passar sem que elas sejam reconhecidas. As maiores candidatas, depois das supra-mencionadas, talvez sejam Phyllis Sommervile ("The Big C"), que está numa série que será definitivamente visionada pela Academia e talvez possa benificiar do estatuto de provável vencedora de Laura Linney na categoria de Melhor Actriz (o mesmo se passa com Oliver Platt) e Vanessa Williams, que decidiu continuar a espalhar a sua diva interior agora pelas ruas de Wisteria Lane em "Desperate Housewives". Outras potenciais candidatas a ter em consideração são Kathryn Joosten ("Desperate Housewives") que já venceu anteriormente por este papel em Melhor Actriz Convidada e que agora é candidata como Melhor Actriz Secundária, Anne Heche, Jane Adams e Rebecca Crestoff ("Hung"), Kaitilin Olson ("It's Always Sunny in Philadelphia"), Merritt Wever ("Nurse Jackie") que não percebo como não foi nomeada o ano passado, ainda por cima com "Nurse Jackie" a conseguir nomeação para Melhor Série,  Allison Janney ("Mr. Sunshine"), Holland Taylor ("Two and a Half Men") e Jenna Fischer ("The Office").

MELHOR ACTOR SECUNDÁRIO - COMÉDIA


PREVISÃO:
Ty Burrell, Modern Family
Chris Colfer, Glee
Neil Patrick Harris, How I Met Your Mother
Ed O'Neill, Modern Family
Oliver Platt, The Big C
Eric Stonestreet, Modern Family
 
Já na categoria de Melhor Actor Secundário, as contas são mais simples. A única coisa que é difícil de estimar é mesmo a proporção do domínio da categoria pelos homens de "Modern Family". Depois das confusões do ano passado, Ed O'Neill deve-se juntar aos seguríssimos Eric Stonestreet e Ty Burrell na categoria, podendo ou não (eis a questão) ter como companhia o também nomeado o ano passado Jesse Tyler Ferguson. A minha aposta é que este fique de fora para dar lugar a O'Neill, apesar de tal poder não acontecer. A questão então seria: quem terá que sair para dar lugar à entrada de O'Neill? 

Chris Colfer ("Glee") não será, até porque a sua personagem é mais popular que nunca e ele é considerado o favorito à vitória, a par de Burrell. Neil Patrick Harris ("How I Met Your Mother") ainda não venceu este troféu nesta categoria, apesar da sua interpretação de Barney Stinson ser das coisas mais lendárias da última década em televisão. Provavelmente manter-se-á na discussão até à última temporada de "How I Met Your Mother" para então ser premiado (ou até a série decair substancialmente em qualidade, o que está prestes a acontecer), portanto penso que deverá manter-se nomeado, embora não me choque se for deixado de fora.

Quem deverá abandonar a lista de nomeados é Jon Cryer ("Two and a Half Men") que, com tudo o que se passou este ano, terá sorte se a sua série, quando voltar, se mantiver com o sucesso de audiências que ainda possuía. Os Emmys não serão o que o preocupa mais - embora esta situação e a boa vontade que daí possa surgir em seu favor o possa de facto beneficiar. Quem também não deverá voltar são os antigos nomeados Rainn Wilson ("The Office"), Jeremy Piven e Kevin Dillon ("Entourage"), Jack McBrayer e Tracy Morgan ("30 Rock").

Um antigo nomeado que estará potencialmente de volta é Oliver Platt, que depois de conseguir duas nomeações consecutivas por "Huff" retorna agora com "The Big C", beneficiando em muito do estatuto de favorita de Laura Linney na categoria de Melhor Actriz, o que vai impulsionar muitos votantes a visionar a série e possivelmente a considerar outras nomeações, como a dele. Também John Benjamin Hickey, de "The Big C", não deve ser posto de parte.

Tal como na categoria de Melhor Actriz Secundária, aqui haviam outros candidatos com bastante qualidade e que mereciam ser incluídos, mas estão em séries que ainda não encontraram favores na Academia, como Danny Pudi, Donald Glover e Chevy Chase ("Community") e Ted Danson ("Bored to Death"). Também Jason Segel ("How I Met Your Mother"), John Krasinki e Ed Helms ("The Office") e Simon Helberg e Kunal Nayyar ("The Big Bang Theory") não têm conseguido buzz pelas suas interpretações, apesar das suas séries serem bem vistas pela Academia e terem inclusive nomeados nas categorias de interpretação, se bem que para os seus elementos mais... impressionantes, digamos. Finalmente, quem devia absolutamente ser tido em conta - e que é o candidato mais forte a ocupar um dos seis lugares depois dos seis que mencionei serem as minhas previsões - é Nick Offerman, que rouba cenas a torto e a direito na melhor comédia do ano ("Parks & Recreation") e que, se houvesse justiça, já tinha sido nomeado o ano passado e era o favorito a vencer neste. Também Aziz Ansari e Chris Pratt, da mesma série, deviam ser tidos em consideração.

Discutindo os Emmy 2011: Melhor Série - Drama

A contar os dias para o anúncio dos nomeados para os Emmy 2011 - que ocorrerá esta quinta-feira 14 de Julho, venho oferecer a minha opinião sobre quais os candidatos mais fortes nas principais corridas e tentar a minha sorte no jogo preditivo, tal e qual como faço para os Óscares. Para encerrar as principais categorias de Drama, só falta mesmo Melhor Série.

MELHOR SÉRIE - DRAMA


PREVISÃO:
"Boardwalk Empire"
"Dexter"
"Friday Night Lights"
"The Good Wife"
"The Killing"
"Mad Men"

Em princípio, uma categoria bastante competitiva, como é apanágio, até mais competitiva do que o habitual, visto que pela primeira vez o tricampeão "Mad Men" tem competição à altura sob a forma de "Boardwalk Empire", que vem fresquinho de uma vitória nos Globos de Ouro e de um SAG para Melhor Elenco. A luta pela vitória final passará, sem dúvida, por um destes dois. Também "Dexter", um nomeado já padrão desta categoria, deverá voltar a ser nomeado, apesar da sua popularidade começar (finalmente) a decrescer. Pelo contrário, quem vem lançado e com a cotação a subir em flecha (a ponto de muitos críticos acreditarem ser possível conquistar o Emmy) é "The Good Wife", cuja segunda temporada conseguiu ainda maior buzz do que a primeira, que conquistou número recorde de nomeações para a CBS.

A dúvida, para todos, reside nos dois últimos lugares. E a dúvida existe fundamentalmente por duas razões: a primeira é porque não há uma série que reúna consenso de que deve e merece ser nomeada. Sim, há defensores acérrimos de "Game of Thrones" mas "True Blood" é capaz de ter primazia se a Academia for escolher uma série de fantasia, até porque foi nomeado o ano passado - claro que posso também estar redondamente enganado e "Game of Thrones" impressionar mais do que estou a pensar. A competir pela mesma vaga temos "Fringe", que é ficção científica de puro quilate, que já merece há muito ser premiada nalgum lado, que provavelmente vai ver outro ano passar-lhe ao lado sem que veja nomeações significativas e a série gore sobre zombies, "The Walking Dead", que será quem provavelmente ficará com o lugar, se a Academia decidir fugir às convenções mais um ano.


O mais provável, contudo, é que a AMC repita os dois nomeados como de costume não com esta série de Frank Darabont mas sim com "The Killing", que conquistou aclamação crítica pela sua primeira parte da temporada e que, mesmo que a segunda metade tenha sido menos inspirada, tem fortes hipóteses de conseguir uma nomeação aqui. É o tipo de série prestigiante que a Academia gosta de premiar.

Outras séries que vão certamente garantir votos são "Shameless" - que estreou a sua primeira temporada com grande sucesso na Showtime, que acredita muito na série mas que possivelmente vai ter que se contentar com a nomeação do seu actor principal -, "Justified" - que se ficará muito provavelmente pelo sétimo lugar na corrida, portanto aquele nomeado que quase chega lá mas que no fim não consegue e o polémico "Sons of Anarchy", que também me parece que se há-de contentar com a nomeação de Katey Sagal.

Outra série com algumas hipóteses, embora mais remotas, é "In Treatment", que foi cancelada e portanto pode dar vontade à Academia de premiar a série pela última vez, tal como "Big Love" e "Friday Night Lights". Esta última será, espero eu, a surpresa positiva das nomeações todas, fazendo um upgrade das duas nomeações para os seus protagonistas somando a estas uma nomeação muito merecida e até diria catártica para o final desta grande série. Quem parece ter saído de vez do radar é "House", o que se percebe perfeitamente, dado a contínua derrocada de qualidade da série.

De resto, é possível que tenhamos uma surpresa (afinal, são os Emmy!) na forma de "Burn Notice", "White Collar", "Covert Affairs", "Men of a Certain Age", "The Borgias", "Spartacus" ou "Camelot", mas não contaria muito com isso.

Discutindo os Emmy 2011: Melhor Actor e Melhor Actriz - Drama

A contar os dias para o anúncio dos nomeados para os Emmy 2011 - que ocorrerá esta quinta-feira 14 de Julho, venho oferecer a minha opinião sobre quais os candidatos mais fortes nas principais corridas e tentar a minha sorte no jogo preditivo, tal e qual como faço para os Óscares. Já depois de termos falado de duas categorias, cá vão mais duas: Melhor Actor e Melhor Actriz - Drama.

MELHOR ACTOR - DRAMA


PREVISÃO:
Steve Buscemi, Boardwalk Empire
Kyle Chandler, Friday Night Lights
Michael C. Hall, Dexter
Jon Hamm, Mad Men
Hugh Laurie, House
 William H. Macy, Shameless

Um bom abanão era do que esta categoria menos precisa e assim sendo todos os nomeados anteriores voltam este ano em princípio, excluindo apenas Matthew Fox ("Lost") cuja série acabou e Bryan Cranston ("Breaking Bad"), triplo vencedor desta categoria (2008, 2009, 2010), cuja série falhou a temporada televisiva que terminou e só retorna este Verão. Assim, Jon Hamm ("Mad Men") conseguirá a sua quarta nomeação e posiciona-se, sem Bryan Cranston no caminho, para conseguir finalmente vencer o Emmy, ainda para mais se submeter "The Suitcase" como o seu episódio. Não terá tarefa fácil, porque nenhum dos outros homens que se mantém na categoria venceu ainda e todos são igualmente merecedores; Michael C. Hall ("Dexter") venceu o Globo de Ouro em 2010 mas não conseguiu juntar-lhe o Emmy; e Hugh Laurie ("House") venceu dois Globos de Ouro nas longínquas épocas de 2006 e 2007 mas o Emmy fugiu sempre. Deverão retornar à lista de nomeados em 2011, mas sem grandes hipóteses de vencer. 

O real competidor de Hamm vem de uma série nova e titânica chamada "Boardwalk Empire", tendo já vencido o Globo de Ouro em 2011 para Melhor Actor - Steve Buscemi. Ele, em quem ninguém apostava um chavo que iria ser convincente no papel de Nucky Thompson, surpreendeu tudo e todos e está agora à beira de vencer mais um prémio por uma interpretação excepcional - aliás, como todas são na carreia de Steve Buscemi. Quem terá uma tarefa hercúlea para se manter na lista é Kyle Chandler ("Friday Night Lights"). No entanto, como o treinador Taylor nada teme e como este ano foi a sua despedida em glória da série, que termina na DirecTV/NBC, parece-me que vai aguentar mais um ano e conseguir nova nomeação.
Finalmente, para o último lugar da tabela estavam vários - e meritórios - candidatos: os antigos nomeados Peter Krause ("Parenthood"), Bill Paxton ("Big Love"), Michael Imperioli ("Detroit 1-8-7"), Denis Leary ("Rescue Me"), Tom Selleck ("Blue Bloods"), Jeremy Irons ("The Borgias") e Gabriel Byrne ("In Treatment") e ainda os surpreendentes Andrew Lincoln ("The Walking Dead") e Sean Bean ("Game of Thrones") que infelizmente estão mais numa série de elenco do que numa série que os deixe brilhar por si só. O carisma de Nathan Fillion ("Castle") e David Boreanaz ("Bones") também não lhes deve valer muitos pontos e votos, por muito boas audiências tenham os seus procedurais.

A FX está a puxar a sério pela nomeação de Charlie Hunnam ("Sons of Anarchy") e a USA faz o mesmo por Jeffrey Donovan ("Burn Notice"), mas provavelmente sem efeito. Desses canais, contudo, vêm duas fortes possibilidades para o sexto e último lugar: falo de Timothy Olyphant ("Justified") e Matt Bomer ("White Collar"), ambos enormemente merecedores dessa nomeação - o primeiro já a merecia o ano passado. Não obstante isto, penso que quem tem o buzz todo é quem prevalece no fim e esse é William H. Macy que se transforma completamente no patriarca Frank Gallagher de "Shameless" e que em teoria ocupará o último lugar da lista.

MELHOR ACTRIZ - DRAMA


PREVISÃO:
Connie Britton, Friday Night Lights
Mariska Hargitay, Law & Order: Special Victims' Unit
Julianna Margulies, The Good Wife
Elizabeth Moss, Mad Men
Katey Sagal, Sons of Anarchy
Kyra Segdwick, The Closer

Começamos por Mariska Hargitay. Todos os anos toda a gente prevê que "este vai ser o ano em que Hargitay não é nomeada". E todos os anos ela acaba por ser. É uma daquelas instituições que referi na publicação anterior que não consegue ser arrumada para canto. É como se fosse uma boa amante que nos traz sempre boas memórias de tempos passados enquanto jovens descuidados na flor da idade. Ou pelo menos deve ser por isso que a Academia não a consegue esquecer. Assim, em vez de irremediavelmente voltar a ser corrigido (se for corrigido, será agradavelmente assim), cá está ela de novo a marcar presença - pelo menos assim o espero até 2012, quando ela sair de vez do ar. A vencedora do ano passado (pese tudo o que tenho contra ela) também está de pedra e cal na categoria - Kyra Segdwick encerra a sua cruzada em "The Closer" em 2012 e também ela me parece prontinha para receber segunda estatueta por trabalho medíocre no próximo ano, quando inevitavelmente desaparecer da TNT. Finalmente, do ano passado transitam duas actrizes que pelas suas respectivas interpretações já deviam ter tido Emmy na mão em 2009 e 2010, respectivamente. Connie Britton é tão excelente no que fez em "Friday Night Lights" que juro que vou ficar de queixo caído se depois de a Academia ter feito bem em nomeá-la em 2010, voltar a errar e deixá-la de fora em 2011. É inadmissível dar um passo em frente e dois para trás. Depois, o outro erro a ser corrigido é, claro, finalmente dar a estatueta de Melhor Actriz a Julianna Margulies (para ela juntar ao SAG e ao Globo de Ouro que já possui), que é absolutamente fantástica em "The Good Wife" e que só falhou o prémio em 2010 porque submeteu um episódio em que a sua interpretação nada impressiona (pelo menos, não mais do que o costume).

De resto, o lugar habitual de "Mad Men" que Elizabeth Moss elegantemente desocupou em 2010 para dar lugar a January Jones que detinha maior tempo de ecrã na terceira temporada da série voltará a ser reavido pela mesma Elizabeth Moss nesta quarta temporada - mesmo com January Jones também submetendo-se como Melhor Actriz Principal, naquela que é das maiores anedotas desta corrida. Não só estará de volta como potencialmente poderá sair vencedora, se Margulies afrouxar de novo na selecção de episódio e Moss escolher o brilhante "The Suitcase". Finalmente, resta-nos o último lugar e não temos gente muito qualificada para o ocupar além de Katey Sagal, que só por esquecimento ou burrice não foi ainda nomeada pelo ser impressionante trabalho em "Sons of Anarchy" que, felizmente, começou a dar frutos este ano com a vitória nos Globos de Ouro. Será provavelmente a sexta nomeada, até porque este ano não temos Glenn Close ("Damages" só estreia este Verão), Lauren Graham ("Parenthood"), Piper Perabo ("Covert Affairs") e Emmy Rossum ("Shameless") não parecem ter o buzz requerido para deitar abaixo nenhuma destas senhoras e as outras opções, de Sarah Wayne Callies ("The Walking Dead"), Melissa Leo ("Treme"), Anna Paquin ("True Blood") e Mary McCormack ("In Plain Sight") não parecem ter poder suficiente para se impor na corrida.

Os dois pesos pesados que faltam - Dana Delany ("Body of Proof") e Kathy Bates ("Harry's Law") - poderão ter que esperar mais um ano ou dois até possivelmente serem incluídas. Isto se durarem tanto tempo. Também não podemos propriamente excluir Sally Field ("Brothers & Sisters") e Patricia Arquette ("Medium") das possibilidades, até porque ambas venceram em 2005 e 2006, respectivamente, mas a verdade é que ambas as séries estão há muito ultrapassadas.

Discutindo os Emmy 2011: Melhor Actor e Actriz Secundários - Drama

A contar os dias para o anúncio dos nomeados para os Emmy 2011 - que ocorrerá esta quinta-feira 14 de Julho, venho oferecer a minha opinião sobre quais os candidatos mais fortes nas principais corridas e tentar a minha sorte no jogo preditivo, tal e qual como faço para os Óscares. As primeiras categorias a que me dedico: Melhor Actor Secundário e Melhor Actriz Secundária - Drama.
MELHOR ACTOR SECUNDÁRIO - DRAMA

 
 PREVISÃO:
Andre Braugher, Men of a Certain Age
Josh Charles, The Good Wife
Alan Cumming, The Good Wife
Michael Pitt, Boardwalk Empire
Michael Shannon, Boardwalk Empire
John Slattery, Mad Men

A lista de nomeados desta categoria este ano vai ser bastante diferente em comparação ao ano passado, sobretudo porque quatro dos seis nomeados de 2010 não vão poder estar presentes: Aaron Paul ("Breaking Bad") e Martin Short ("Damages") não viram as suas séries regressar nesta temporada televisiva, tendo ambas estreia apenas para este Verão; e Michael Emerson e Terry O'Quinn ("Lost") viram a sua série terminar o ano passado. Em teoria, faz sentido que John Slattery ("Mad Men") continue por entre os nomeados, juntando a sua terceira nomeação; já Andre Braugher ("Men of a Certain Age"), o outro nomeado de 2010 que sobra, pode cair para qualquer um dos lados - a competição é dura de roer, portanto embora eu mantenha a aposta na sua nomeação, não ficaria surpreendido se ele não a conseguisse.

De entre os ferozes competidores deste ano, duas séries emergem como potenciais providenciadoras, digamos, da categoria, dado o elevado número de candidatos que cada uma possui para integrar a lista de nomeados. Alan Cumming pode repetir a nomeação o ano passado por "The Good Wife", então na categoria de Melhor Actor Convidado e a ele provavelmente deve-se juntar um dos dois amores de Alicia Florrick - dos dois, dado o tempo de antena, Josh Charles tem a vantagem, mas também poderia muito bem ser Chris Noth (Matt Czuchry não deve, para já, ter hipótese de pontuar). Já de "Boardwalk Empire" a escolha vai ser mais difícil: Michael Shannon é o mais forte competidor, tendo como selo de qualidade a sua nomeação recente para os Óscares; e a minha outra escolha é Michael Pitt, indubitavelmente a maior figura da série, depois de Buscemi e o acima-mencionado Shannon (outras possibilidades incluiriam Michael Stuhlbarg e Michael K. Williams).

Se fôssemos por reais merecedores de nomeação, então a nossa lista não pode ficar completa sem Shawn Hatosy e Michael Cudlitz ("Southland"), Walton Goggins (Justified) e John Noble ("Fringe") que irão decerto obter votos, mas que não serão em princípio suficientes para lhes garantir a nomeação. Em "Mad Men" temos ainda Jarred Harris e Vincent Kartheiser como hipóteses mais remotas, em "True Blood" temos Alexander Skarsgard e Denis O'Hare (cuja interpretação na terceira temporada da série da HBO gerou enorme buzz), Billy Campbell em "The Killing" (que hesitei por algum tempo em colocar nas minhas previsões como upset da categoria em detrimento de Braugher), Scott Caan ("Hawaii Five-0") que recebeu uma nomeação para Globo de Ouro e, finalmente, de entre o grande elenco de "Game of Thrones", é possível que Peter Dinklage, esteja a Academia mais receptível à série de fantasia do que eu pensava, consiga o último lugar da lista.

MELHOR ACTRIZ SECUNDÁRIA - DRAMA

PREVISÃO:
Christine Baranski, The Good Wife
Michelle Forbes, The Killing
Christina Hendricks, Mad Men
Kelly MacDonald, Boardwalk Empire
Margo Martindale, Justified
Archie Panjabi, The Good Wife

Neste grupo é provável que haja menos mexidas, com as três nomeadas que transitam do ano passado com enormes possibilidades de voltarem a marcar presença, com as premiadas Archie Panjabi e Christine Baranski ("The Good Wife") a repetir a nomeação, ao lado de Christina Hendricks ("Mad Men") que conseguiu finalmente ser nomeada a temporada passada e vem carregada de buzz, fruto da vitória recente nos Critics Choice Awards. Embora me deixe algumas reservas quanto à sua inevitável nomeação, a outra vencedora nos Critics Choice Awards, Margo Martindale ("Justified") tem sem dúvida uma das melhores interpretações do ano em televisão e seria um portentoso crime deixá-la de fora. 

Sharon Gless ("Burn Notice") recebeu uma nomeação o ano passado - ela que é uma veterana nomeada dos Emmy, tendo amealhado várias nomeações ao longo da carreira - e pode sem dúvida repetir; contudo, wishful thinking da minha parte leva-me a pensar que ela terá ficado com o sexto lugar dos nomeados em 2010, sendo portanto uma nomeação isolada, sem grande explicação. Claro que posso estar errado e ela voltar a conseguir estar na lista. Quem entrará com quase certeza absoluta nesta lista - e merecidamente o fará - é Kelly MacDonald, que deixou meio mundo boquiaberto com o seu talento em "Boardwalk Empire", sendo até uma das favoritas à vitória.

Finalmente, o último lugar da lista - aquele que mais confusão me dá em decidir - ficou com Michelle Forbes. Principalmente porque acho que "The Killing" vai ser entusiasticamente bem recebido pela Academia, também porque a AMC está a promover intensamente a série (agora que está habituada a ter sempre dois lugares nos nomeados para Melhor Série) e ainda porque se há nomeação plausível para os actores da série, ou é para Forbes ou é para Mireille Enos na categoria de Melhor Actriz e nessa categoria há certas "instituições" que prevalecem sempre. E Forbes tem batalhado arduamente para fazer nome em várias séries televisivas.

Outras possibilidades: a brilhante Kiernan Shipka ("Mad Men"); as multiplamente nomeadas Sandra Oh e Chandra Wilson e, com muito buzz à custa do episódio musical, Sara Ramirez ("Grey's Anatomy"); Emilia Clarke and Michelle Fairley ("Game of Thrones"); uma das descobertas de "Parenthood", Mae Whitman; Debra Winger e Amy Ryan ("In Treatment"), antigas nomeadas para o Óscar; a veterana Khandi Alexander ("Treme"); a MVP de "Southland", Regina King; e, uma vez que a sua série terminou, talvez Chloe Sevigny e Ginnifer Goodwin tenham hipótese de ganhar uma nomeação de despedida.

Globos de Ouro 2011 - Comentários às Nomeações (Televisão)

Depois de revelados os nomeados, depois de ponderar neles, é tempo de fazer a minha apreciação. Peço desculpa por ter demorado tanto tempo, mas mais vale tarde que nunca.

Começamos pelas categorias de TELEVISÃO:


Melhor Série - Drama
BOARDWALK EMPIRE
DEXTER
MAD MEN
THE GOOD WIFE
THE WALKING DEAD

Comentário: Continuando a tradição de abraçar de peito aberto as novas séries, os Globos decidiram trocar o sobrenatural "True Blood", a decair em popularidade com os Globos de Ouro, pelo sobrenatural "The Walking Dead" (que por só ter meia-dúzia de episódios, pensava que iam considerar em mini-série) e colocar merecidamente "Boardwalk Empire" entre os nomeados, por troca com "House", que finalmente abandona os nomeados. "Dexter" e "Mad Men", séries em topo de forma, seguram o seu lugar e "The Good Wife" vence o braço de ferro com os Globos de Ouro (que o ano passado só tinham "notado" Margulies), com múltiplas nomeações este ano.


Vencedor: "Mad Men" continua tão boa aposta como antes, mas parece-me que este ano passa a pasta para "Boardwalk Empire" ou até "The Good Wife".



Melhor Série - Comédia/Musical
30 ROCK
GLEE
MODERN FAMILY
THE BIG BANG THEORY
THE BIG C
NURSE JACKIE

Comentário: Categoria muito interessante, com "The Office" a ser completamente ignorado este ano, excepção feita a Carell, como sempre. "30 Rock", "Glee" e "Modern Family" retornam com o seu buzz habitual, às quais se junta a nova série comédica do momento, "The Big C" e, algo que igualmente me surpreende e alegra, "Nurse Jackie" e "The Big Bang Theory" a estrearem-se com nomeações de relevo, algo de inédito em particular para o segundo caso, que nem nos Emmy havia logrado tal feito.

Vencedor: Como aqui o vencedor passa normalmente a pasta ("The Office" foi o único que venceu duplamente a categoria esta década, em 2007 e 2008), veremos "Glee" a passar o testemunho a "Modern Family" ou até mesmo "The Big C".


Melhor Actor - Drama
Steve Buscemi, BOARDWALK EMPIRE
Jon Hamm, MAD MEN
Michael C. Hall, DEXTER
Hugh Laurie, HOUSE M.D.
Bryan Cranston, BREAKING BAD




Melhor Actriz - Drama
Katey Sagal, SONS OF ANARCHY
Elizabeth Moss, MAD MEN
Julianna Margulies, THE GOOD WIFE
Piper Perabo, COVERT AFFAIRS
Kyra Sedgwick, THE CLOSER

Comentário: Finalmente os Globos de Ouro a reconhecerem a qualidade de duas séries, "Sons of Anarchy" e "Breaking Bad", mesmo que seja só através dos seus dois actores. Katey Sagal e Bryan Cranston merecem-no. Margulies era óbvio que iria repetir (e é favorita para voltar a vencer), Sedgwick a mesma coisa. Continua a mania de "Mad Men" ter que repartir a riqueza na categoria de Melhor Actriz, seja nos Globos ou nos Emmy, com Elizabeth Moss a ocupar o lugar que por dois anos havia sido de January Jones (injustamente, diga-se, porque esta foi a melhor temporada de Betty Draper) e o voto populista levou a que Piper Perabo, ridiculamente, conseguisse uma nomeação nesta categoria onde todas as outras nomeadas são imensamente superiores. A restante categoria de Melhor Actor não tem outras surpresas, o que não é de admirar - porque estes cinco senhores são similarmente brlhantes, todos eles.

Vencedor: Hugh Laurie ganhou em 2006 (e 2005), Jon Hamm ganhou em 2007, Gabriel Byrne em 2008, Michael C. Hall em 2009 e portanto só resta Steve Buscemi ou Cranston. Como é o primeiro que tem a série em estreia, deve ser ele o vencedor.


Melhor Actriz - Comédia/Musical
Tina Fey, 30 ROCK
Edie Falco, NURSE JACKIE
Toni Collette, THE UNITED STATES OF TARA
Lea Michele, GLEE
Laura Linney, THE BIG C




Melhor Actor - Comédia/Musical
Alec Baldwin, 30 ROCK
Steve Carell, THE OFFICE
Jim Parsons, THE BIG BANG THEORY
Matthew Morrison, GLEE
Thomas Jane, HUNG

Comentário: Nas senhoras, temos todas elas (menos Julia Louis-Dreyfus, cuja série terminou) a repetir a nomeação aqui, depois de terem transitado com sucesso dos Globos de Ouro em 2010 para os Emmy também, com a troca pequena de Courteney Cox (injustamente roubada, uma vez mais, de uma nomeação, tanto aqui como nos Emmy) pela mulher a bater este ano em Comédia - Laura Linney. Nos senhores, os nomeados do ano passado repetem-se todos, promovendo-se só aqui a troca de David Duchovny (a perder gás) por Jim Parsons (imensamente merecida; provavelmente no seguimento da sua vitória nos Emmy).

Vencedor: Por algum motivo é o alvo a abater: Laura Linney chegou, viu e vem para vencer. E nos senhores, depois de quatro anos, se calhar é altura de Baldwin deixar o prémio para mais alguém, possivelmente será Jim Parsons ou (finalmente, até porque vai deixar a série) Steve Carell.


Melhor Actor Secundário
Scott Caan, HAWAII FIVE-0
Christ Noth, THE GOOD WIFE
Eric Stonestreet, MODERN FAMILY
Chris Colfer, GLEE
David Strathairn, TEMPLE GRANDIN



Melhor Actriz Secundária
Jane Lynch, GLEE
Sofia Vergara, MODERN FAMILY
Julia Stiles, DEXTER
Kelly Macdonald, BOARDWALK EMPIRE
Hope Davis, THE SPECIAL RELATIONSHIP

Comentário: Todos os anos acabo por ficar irritado com os Globos de Ouro e as categorias secundárias, pela escolha arbitrária de algumas interpretações e de outras não e pelo facto de colocar todos os actores secundários em dois sacos, só fazendo separação por sexo. Irrita-me isto, até porque na maioria das vezes os secundários são personagens (e interpretações) mais fascinantes que os protagonistas. Mas enfim. Considero que são dois bons grupos de nomeados, o de homens invariavelmente bem mais forte que o das mulheres. As múltiplas menções de Chris Colfer começam a embaraçar-me já, não só porque não acho que o papel seja assim tão complicado de interpretar como e sobretudo por ter sido nomeado na variante de Comédia/Musical, sendo que tudo o que envolve a sua personagem naquela série é Drama, não comédia. Aquilo é uma interpretação dramática. Dito isto, concordo com as menções de Strathairn, Stonestreet e Noth, de longe a personagem mais intrigante de "The Good Wife" (num elenco que poderia todo estar aqui - e seria merecido isso acontecer - nomeado). O voto populista em Scott Caan já é apanágio dos Globos de Ouro, acontecendo todos os anos (ver Simon Baker em 2009/2010 ou Piper Perabo este ano). Nas mulheres, Lynch é a única a repetir a nomeação e Davis é a única a transitar das categorias de Tele-Filmes e Mini-Séries dos Emmy. Vergara (merecidamente) junta-se ao lote de nomeados, que é completado pela decente escolha de MacDonald e pela não tão interessante escolha de Stiles. Baranski ou Panjabi ("The Good Wife") seriam infinitamente melhores escolhas. Ou Hendricks ("Mad Men").

Vencedor: Tendo sido roubada o ano passado, não há dúvidas que Jane Lynch é a favorita, com Sofia Vergara como uma interessante possibilidade. Para Actor Secundário, tudo em aberto, com Eric Stonestreet a ter uma (ligeira) vantagem.


Melhor Telefilme ou Mini-série
THE PACIFIC
CARLOS
TEMPLE GRANDIN
PILLARS OF THE EARTH
YOU DON'T KNOW JACK

Melhor Actor - Telefilme ou Mini-séri
Idris Elba, LUTHER
Ian McShane, PILLARS OF THE EARTH
Al Pacino, YOU DON'T KNOW JACK
Dennis Quaid, THE SPECIAL RELATIONSHIP
Edgar Ramirez, CARLOS

Melhor Actriz - Telefilme ou Mini-série
Claire Danes, TEMPLE GRANDIN
Hayley Atwell, PILLARS OF THE EARTH
Judi Dench, RETURN TO CRANFORD
Romola Garai, EMMA
Jennifer Love-Hewitt, THE CLIENT LIST

Comentário: Só deixar aqui duas notas: "Temple Grandin", "The Special Relationship" e "You Don't Know Jack" continuam a coleccionar prémios há quase mais de um ano. E "Carlos", o (supostamente) excelente filme de Assayas, como não pode ser reconhecido pela HFPA e pela Academia como Filme, ao menos tem ganho reconhecimento pela sua "transformação" televisiva.

Vencedor: Claire Danes para Melhor Actriz, Al Pacino para Melhor Actor e "Carlos" ou "The Pacific" para Melhor Mini-Série/Tele-Filme (se bem que qualquer um dos cinco na lista pode vencer).