Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DIAL P FOR POPCORN

DIAL P FOR POPCORN

Vencedores dos Óscares



Terminou há momentos a 85ª cerimónia dos Óscares, apresentada por Seth MacFarlane. Numa noite bem mais musical que o costume mas também com os erros, faux pas e sobressaltos habituais, "Argo" foi coroado o Melhor Filme do ano. A lista completa dos vencedores, abaixo:

Melhor Actor Secundário
Christoph Waltz, "Django Unchained"

Melhor Curta Animação
"Paperman"

Melhor Filme Animação
"Brave"

Melhor Fotografia
"Life of Pi"

Melhores Efeitos Visuais
"Life of Pi"

Melhor Maquilhagem e Cabelo
"Les Misérables"

Melhor Guarda Roupa
"Anna Karenina"

Melhor Curta, Live Action
"Curfew"

Melhor Curta, Documental
"Inocente"

Melhor Documentário
"Searching for Sugarman"

Melhor Filme Estrangeiro
"Amour" (Áustria)

Melhor Mistura de Som
"Les Misérables"

Melhores Efeitos Sonoros (ou Edição de Som)
(empate) "Zero Dark Thirty" e "Skyfall"

Melhor Actriz Secundária
Anne Hathaway, "Les Misérables"

Melhor Montagem (ou Edição)
"Argo"

Melhor Produção Artística
"Lincoln"

Melhor Banda Sonora Original
"Life of Pi"

Melhor Música Original
"Skyfall"

Melhor Argumento Adaptado
"Argo"

Melhor Argumento Original
"Django Unchained"

Melhor Realizador
Ang Lee, "Life of Pi"

Melhor Actriz
Jennifer Lawrence, "Silver Linings Playbook"

Melhor Actor
Daniel Day-Lewis, "Lincoln"

Melhor Filme
"Argo"


Previsões e indecisões, a poucas horas dos Óscares


Adivinha-se uma madrugada complicada para os gurus dos Óscares. Com mais de uma dezena de corridas ainda por solucionar, com poucos vencedores já verdadeiramente garantidos e sem se perceber muito bem se a Academia vai ser mais audaciosa ou mais conservadora do que o habitual, a noite dos Óscares deste ano promete. Já troquei as minhas previsões mais que uma dezena de vezes e mesmo assim continuo sem grande certeza. Deixo já ficar o aviso, para quem se quiser aventurar a fazer um brilharete: não me parece que vamos ter uma noite para percentagens de acerto em condições. Alguns vão-se sair muito bem, claro, como sempre. Mas a maioria vai ficar decerto triste com o resultado final. Eu tentei um meio-termo entre a segurança e o instinto e mesmo assim acho que não consigo nem 50% de acerto (só mesmo com alternativas). 

Cá vos deixo, então, os meus raciocínios e palpites:


Melhor Filme
"Argo" (alternativa: "Silver Linings Playbook")
Em teoria, o prémio é de "Argo". Depois de ter feito a limpeza geral dos troféus de Melhor Filme por todo o lado que passou, dos críticos aos Globos até aos prémios em terra de sua Majestade, o thriller de Ben Affleck parece em boa posição para reinar sobre o certame deste ano. A minha segunda hipótese, tendo em conta o potencial amor de alguns sectores da Academia e o factor Harvey Weinstein, é "Silver Linings Playbook". Sim, considero que será o segundo mais votado, acima de "Life of Pi" e "Lincoln". Tempos houve que achava que "Lincoln" ganharia as principais categorias à mesma; a corrida não me parece da mesma forma.

Melhor Realizador
Ang Lee, "Life of Pi" (alternativa: Steven Spielberg, "Lincoln")
Nem sei que pensar. Consigo excluir Behn Zeitlin e pouco mais. Haneke como surpresa da noite parece-me possível - embora ache que é bem mais provável surpreender Tarantino em Argumento Original - e Lee e Spielberg, teoricamente, serão os dois mais votados. Teoricamente. Na prática, não será que "Silver Linings Playbook", admirado em vários circuitos - especialmente o dos actores, que é o maior da Academia - não conseguirá mais votos e assim empurrar David O. Russell para a vitória? Com zero segurança, vou à luta com Lee e Spielberg mas temo uma vitória para O. Russell.

Melhor Actor
Daniel Day-Lewis, "Lincoln" (alternativa: Bradley Cooper, "Silver Linings Playbook")
Negócio fechado, Daniel Day-Lewis leva o terceiro Óscar para casa. Por muito que eu gostasse de ver o enorme Joaquin Phoenix (que tem sempre azar nos anos em que é nomeado) ou um dos novatos da categoria premiado - Jackman ou Cooper - para variar, não há como fugir ao actor irlandês. Junta-se a Bergman, Streep, Brennan, Nicholson e Hepburn no clube dos 3+ Óscares.

Melhor Actriz
Jennifer Lawrence, "Silver Linings Playbook" (alternativa: Emmanuelle Riva, "Amour")
Era uma luta a dois, mas nós não sabíamos era que duas. A 'coça', passe a expressão, que Lawrence deu a Chastain acaba por explicar a minha escolha. Se tivesse havido disputa entre as duas e agora entrasse Riva em sobressalto, era capaz de apostar na francesa. Como Lawrence já vem dominando a categoria e o buzz desde que o filme saiu de Toronto, é-me difícil ver Riva a levar o prémio. Era das melhores surpresas que poderiam acontecer e terei certamente pena de não ter previsto Riva em vez de Lawrence, mas todas as indicações apontam para a vitória da americana - ausência de precursores para Riva e o facto de que interpretações estrangeiras premiadas só as de Cruz, Loren e Cotillard (todas jovens na altura) e todas em circunstâncias especiais (Cruz não teria vencido Winslet se esta tivesse sido nomeada como Actriz Secundária, Loren e Cotillard foram dois verdadeiros upsets então e Cotillard fez de Piaf - Oscar bait! - e Loren ganhou numa altura que filmes estrangeiros tinham mais amor dentro da Academia). O único precedente que chega perto é a vitória de Tandy sobre Pfeiffer em 1989, só que nesse caso estamos a falar de uma gigante do teatro americano num filme vencedor de Melhor Filme e rei da bilheteira contra uma actriz a subir em Hollywood (provavelmente achavam que teriam outra hipótese de premiá-la). Muita indecisão, mas fico-me pela Lawrence. Quem troca Streep por Bullock... Não me merece confiança.


Melhor Actor Secundário
Christoph Waltz, "Django Unchained" (alternativa: Tommy Lee Jones, "Lincoln")
Qualquer um dos cinco pode ganhar. Arkin depende de quantos prémios "Argo" levar, DeNiro tem feito campanha como doido, Waltz e Hoffman são protagonistas nos seus filmes - vantagem enorme sobre os outros competidores - e Lee Jones era suposto ser o favorito e de facto venceu o SAG. Se houver repartição dos votos, Lee Jones ganhará, porque tem o voto dos actores, o contingente maior da Academia. O meu raciocínio para escolher Waltz é, contudo, bastante simples. Se Tarantino ganhar Argumento Original, Waltz também vence Actor Secundário. Como eu acho que Tarantino vai ganhar, por consequência aposto em Waltz também em primeiro. A Internet acha, no geral, que vai para DeNiro. Todavia: irá a Academia premiar DeNiro, outrora favorito mas que não era nomeado há 22 anos e andou mais de uma década em papéis imerecedores do seu talento?

Melhor Actriz Secundária
Anne Hathaway, "Les Misérables" (alternativa: Sally Field, "Lincoln")
Mais uma corrida para lá de resolvida. Anne Hathaway vai vencer o seu primeiro Óscar. Penso que não cansou demasiado a imprensa e a Academia com a irritante personalidade que exibiu durante toda a temporada de campanha. Se não for ela, será Field. Mas não contem com isso.

Melhor Argumento Original
"Django Unchained" (alternativa: "Amour")
De entre "Django Unchained" (vencedor do Globo e do BAFTA), "Zero Dark Thirty" (vencedor do Critics' Choice e do WGA) e "Amour", qual soa a mais favorito? Eu diria Tarantino, mas Boal ou Haneke têm boas hipóteses de surpreender. Em 2009, eu apostei em Boal à última hora, quando a maioria diria Tarantino. É que Boal tinha vencido o BAFTA e o WGA e era o argumento do mais que provável Melhor Filme do ano. Era difícil a Tarantino batê-lo. Este ano, contudo, Boal já venceu e "Zero Dark Thirty" viu o seu buzz cair a pique com a controvérsia da tortura e Haneke, que obviamente parecia favorito a vencer o BAFTA, perde-o para Tarantino. Será um sinal?

Melhor Argumento Adaptado
"Argo" (alternativa: "Silver Linings Playbook")
Ainda me recordo com saudade quando Kushner, há um mês, tinha este prémio na mão. Como um mês pode mudar uma corrida. Chris Terrio lá conseguiu aproveitar o furacão "Argo" e agora parece ter o prémio à mão de semear. Se não for "Argo", soa-me que "Silver Linings Playbook" e David O. Russell poderão ter aqui um prémio de consolação por não lhe poderem dar mais nada. Em terceiro lugar vem "Lincoln". Qualquer um dos três pode, contudo, ganhar. Nada garantido.

Melhor Filme Animação
"Brave" (alternativa: "Wreck-it Ralph")
Uma categoria curiosa, que acabou por se resumir a uma luta entre o moderno e inovador "Wreck-it Ralph" e o mais tradicional "Brave", da Pixar, quando muitos esperavam que Tim Burton, numa jogada digna do destino, conseguisse o seu primeiro Óscar onde começou a trabalhar no cinema, na animação. Parecia perfeito, mas não sucedeu. A Pixar ganhou 6 das suas 9 nomeações nesta categoria, mas o filme que mais parece da Pixar é "Ralph", não "Brave", que se assemelha mais aos filmes de princesa da casa mãe, o que aparentemente lhe poderá dar vantagem. O Annie foi para "Ralph", bem como o PGA, mas "Brave" foi a escolha (mais segura, parece-me) dos Globos e dos BAFTA. Que escolher, que escolher? Olhem, eu cá vou com "Brave", mais não seja porque a Academia por vezes arma-se em múmia e aposta mais no familiar (ver "Shrek", "Wallace & Gromit", "Happy Feet", "Up"). Esta é, apesar de tudo, uma aposta que aposto que não vai resultar e "Ralph" vai levar o Óscar.


Melhor Filme Estrangeiro
"Amour" (alternativa: "No")
Haneke já perdeu esta categoria antes, quando poucos o previam ("The White Ribbon", 2009). Não me parece que tal vai acontecer este ano. "Amour" foi nomeado a Melhor Filme, com mais três nomeações adicionais além desta de Melhor Filme Estrangeiro. "No", "Kon Tiki" e "War Witch" quase não foram vistos. Resta "A Royal Affair" e quem é que tem vontade de apostar neste filme para surpreender "Amour"? Pois.

Melhor Documentário
"Searching for Sugarman" (alternativa: "How To Survive a Plague")
Quando um só documentário ganha os prémios todos, ou é muito bom ou a categoria está muito má. Seja como seja, depois de vencer virtualmente tudo, como apostar contra "Sugarman"? Pelo assunto, parece-me que os opositores imediatos seriam "Plague" e "The Invisible War", mas é improvável que cheguem sequer perto do favorito.

Melhor Produção Artística
"Anna Karenina" (alternativa: "Life of Pi") "Lincoln"
Temo muito que a mestria do design de "Anna Karenina" vá passar ao lado do Óscar em detrimento do não menos meritório mas em última análise menos contributivo trabalho de "Life of Pi" ou "Les Misérables". "Karenina" não teria funcionado sem a sua inteligente produção. Dos outros, já não digo o mesmo.

Melhor Fotografia
"Life of Pi" (alternativa: "Skyfall")
Fotografia e Efeitos Visuais - dois prémios que dificilmente não vão acabar nas mãos da equipa de "Life of Pi", tal como em 2010 ("Inception") e 2011 ("Hugo"). O oponente a Fotografia será Roger Deakins, que com dez nomeações e uma carreira lendária ainda não venceu uma estatueta. Seria merecido pelo seu magnífico trabalho em "Skyfall", mas o que Claudio Miranda fez em "Life of Pi" é também igualmente fantástico. Qualquer um que ganhe, será merecido. 

Melhores Efeitos Visuais
"Life of Pi" (alternativa: "Prometheus")
E o adversário em Efeitos Visuais será ou "Prometheus" ou "The Hobbit", mas não me parece sequer que tenham hipótese. O trabalho em CGI no tigre Richard Parker merece, só por si, mil Óscares. 


Melhor Música Original
"Skyfall" (alternativa: não precisa de ter, mas "Suddenly")
A vitória mais segura da noite? Adele vai juntar aos Grammys ganhos um Óscar.

Melhor Banda Sonora Original
"Life of Pi" (alternativa: "Argo")
Voto em Mychael Danna porque foi, no fundo, a escolha mais consensual no circuito - foi nomeado a todos os prémios, ainda não venceu apesar de longa carreira, reúne a maioria de géneros musicais numa banda sonora e está num filme com onze nomeações. Se a "Life of Pi" se atirar um ou outro Óscar pelo seu contributo técnico, este será dos mais fáceis a dar. Cuidado com Desplat, que ainda (!) não venceu um Óscar e Williams, sempre perigoso descartar. Acredito que o voto britânico em Thomas Newman, como aconteceu nos BAFTA, não se irá repetir aqui.

Melhor Guarda-Roupa
"Anna Karenina" (alternativa: "Mirror, Mirror")
"Anna Karenina" é o natural favorito - e Jacqueline Durran, que já devia ter vencido em 2007, lá vai segurar, se tudo correr bem, um merecido Óscar. No entanto, a memória saudosista da iconoclástica Eiko Ishioka poderá prevalecer e a japonesa vencer, a título póstumo, o troféu.

Melhor Edição / Montagem
"Argo" (alternativa: "Zero Dark Thirty")
William Goldenberg vai vencer o Óscar. Isso de certeza. Por qual dos filmes é que não se sabe. "Argo",  por ser o candidato principal a Melhor Filme, é o mais provável, até por ter sido o vencedor da maioria dos prémios de Edição da campanha deste ano. "Zero Dark Thirty" é indiscutivelmente o melhor trabalho dos cinco nomeados e será o segundo mais votado. "Life of Pi" contentar-se-á com o terceiro lugar. E depois deles virão "Lincoln" e "Silver Linings Playbook", os dois filmes que não me parece que tenham hipótese de vencer este prémio.


Melhores Efeitos Sonoros (Edição Som)
"Life of Pi" (alternativa: "Zero Dark Thirty")
Difícil decisão entre "Life of Pi", "Skyfall" e "Zero Dark Thirty". No fundo, é uma questão de sorte acertar no vencedor. A razão diz-me que "Zero Dark Thirty" é o melhor de longe e por isso será fácil à Academia no seu todo ver isso. Contudo, se pensarmos que "Life of Pi" vai em teoria limpar as categorias técnicas, este não será um prémio fácil de conseguir? E "Skyfall", uma das histórias de sucesso do ano, só leva Canção Original para casa? Nenhuma categoria técnica para o filme de acção do ano - pelo menos para a Academia? 

Melhor Mistura Som
"Les Misérables" (alternativa: "Skyfall")
A campanha fortíssima feita pela equipa de "Les Misérables" acerca da música gravada ao vivo no set garantiu, penso eu, esta estatueta. Foi o que se ouviu o ano todo. O pobre Greg P. Russell vai voltar a ser a dama de honor e ver passar a noiva, por assim dizer (16 nomeações / 0 vitórias).

Melhor Maquilhagem e Cabelo
"Les Misérables" (alternativa: "The Hobbit")
Assumindo que "Hitchcock" teve como prenda esta miserável nomeação, a corrida é entre os outros dois. "The Hobbit" é a escolha sensata, mas será que esse filme entusiasma realmente alguém para lhe darem o prémio? Parece-me a mim que será mais uma vitória para a team Les Mis.

Melhor Curta, Animação
"Paperman" (alternativa: "Adam and Dog")
Muitas vezes, o favorito e mais conhecido não vence esta categoria. Neste caso, porém, parece-me que "Paperman" reúne o factor artístico e o factor popular necessários para triunfar. Se não for o caso, "Adam and Dog", o vencedor do Annie, sairá por cima.

Melhor Curta, Live Action
"Curfew" (alternativa: "Asad")
É sempre uma das categorias que não consigo acompanhar e por isso a previsão depende muito do tema e do que ouço falar pela Internet fora. "Curfew", "Asad" e "Buzashky Boys" são os mais falados. Dos três, a vitória para "Curfew" parece-me a mais provável.

Melhor Curta, Documentário
"Open Heart" (alternativa: "Inocente")
Um palpite, mais nada. "Mondays at Racine" também poderá ganhar.



Acerto: 21 em 24 sem alternativas (87,5%) | 23 em 24 com alternativas (95,8%)
Uma excelente noite, que nada fazia prever.


THE IMPOSTER (2012)



Venceu ontem o BAFTA na categoria de Melhor Estreia de Argumentista, Realizador ou Produtor Britânico. Venceu, há uns tempos, o prémio para Melhor Documentário nos British Independent Film Awards. Esteve nomeado para o Grande Prémio do Júri no Sundance de 2012. Não me podia passar ao lado. Pessoalmente, a categoria de Melhor Documentário tem-se transformado, nos últimos anos, num género tão excitante quanto surpreendente. Todos os anos há deliciosas surpresas. E 2012 não lhe foge à regra. Vamos iniciar o nosso ciclo de análises aos melhores documentários de 2012 com um dos mais macabros planos que vi na minha vida. O dom camaliónico de Frédéric Bourdin é assustador.


Comecemos pelo princípio com a esperança de não vos revelar demasiado sobre um dos grandes impostores do nosso tempo. Uma chamada de um turista, alerta as autoridades espanholas para a presença de uma criança apática e desorientada, abandonada dentro de uma cabine telefónica. Assim começa mais uma aventura de Bourdin. Com um engenhoso e arrojado plano, Bourdin decide apresentar-se como Nicholas Gibson, um jovem americano, de 14 anos, que desaparecera do Texas em 1994. Estamos no final de 1997, quando a alegre noticia devolve a esperança à família de Nicholas, que o julgava para sempre perdido.


Carey Gibson, a irmã mais velha de Nicholas, viaja propositadamente para Espanha para identificar Frédéric como o Nicholas que desaparecera num final de tarde em San Antonio e o devolver ao seu quarto e à sua família. Com uma capacidade única para se adaptar às adversidades e uma arte para representar digna de tirar o sono a Daniel Day-Lewis, Frédéric consegue modificar a sua aparência e adaptar-se à de Nicholas, convencendo e justificando algumas das gritantes diferenças para com o jovem desaparecido. Mas o outro lado do Atlântico reserva a Frédéric uma surpresa para a qual este não estava preparado. O Karma, sempre irónico, sempre mordaz, esperou Frédéric no aeroporto de San Antonio. Se acha que já viu de tudo, prepara-se para o que The Imposter lhe reserva.

Nota Final 
B+ 
(8/10)


Trailer



Informação Adicional
Realização: Bart Layton
Argumento: Bart Layton e Dimitri Doganis
Ano: 2012
Duração: 99 minutos

A relação amorosa de Affleck com os prémios continua nos BAFTA



Mais uma cerimónia de entrega de prémios, nova colecção de troféus para "Argo". Ben Affleck volta a receber o galardão de Melhor Filme, desta vez por parte da Academia Britânica, que entregou os BAFTA neste final de tarde / princípio de noite (a cerimónia pode ser acompanhada, em diferido, aqui).

Além do troféu de Melhor Filme, Affleck também recebeu o prémio de Melhor Realizador, criando uma deliciosa confusão para a noite dos Óscares, para a qual Affleck não se encontra nomeado nesta categoria. Lee, Haneke, Spielberg, Zeitlin ou O. Russell, algum deles vai ter de receber o prémio e nesta altura é impossível prever com exactidão qual. Excitante. 


"Argo" conquistou ainda o troféu para Melhor Edição, perfazendo um total de três galardões. Não foi, contudo, o vencedor com mais prémios da noite - essa honra coube a "Les Misérables", que venceu nas categorias de Melhor Maquilhagem e Cabelo, Melhor Produção Artística (incrível como "Anna Karenina" perde aqui), Melhores Efeitos Sonoros (com "Skyfall" na categoria, a sério que este foi o filme britânico que escolheram?) e Melhor Actriz Secundária, troféu que invariavelmente acaba nas mãos de Anne Hathaway


Curiosamente e mesmo perante tanta demonstração de afecto, foi "Skyfall" quem venceu Melhor Filme Britânico, ao qual juntou a estatueta para Melhor Música (50% dessa estatueta deve-se a Adele, claro) para Thomas Newman (uma das surpresas da noite). "Anna Karenina" teve que se contentar com o triunfo mais que previsível em Melhor Guarda-Roupa. Que esperará repetir nos Óscares. "Life of Pi" ganhou, uma vez mais, duas categorias técnicas: Melhor Fotografia para Claudio Miranda e Melhores Efeitos Especiais. Em ambos os casos, nos Óscares são também muito prováveis.

Tal como "Argo", "Searching for Sugarman" recebeu mais um prémio (que varridela tem sido!) para Melhor Documentário, contra a previsão dos especialistas que apostavam no britânico "The Imposter" para surpreender. Não obstante a derrota, "The Imposter" acabou por triunfar na categoria de Melhor Contributo de um Britânico em Filme.



"Silver Linings Playbook" recebeu o prémio de Melhor Argumento Adaptado (ou prémio de Maior Campanha, que equivale ao mesmo, aparentemente), enquanto na categoria de Melhor Argumento Original foi "Django Unchained" o contemplado (o que me faz perguntar: a Academia leu mesmo estes roteiros? Ou votou pelo nome? Enfim), que também garantiu mais um prémio de Melhor Actor Secundário a Christoph Waltz, que começa a parecer um grande candidato aos Óscares.

A grande história da cerimónia, contudo, ficou para o final. Antes de Daniel Day-Lewis ir receber o seu milésimo troféu de Melhor Actor por "Lincoln", foi a octagenária Emmanuelle Riva ("Amour") a subir a palco (metaforicamente, infelizmente; Riva está-se a guardar para os Césars e os Óscares, diz-se) para ser contemplada com o prémio de Melhor Actriz, batendo Jennifer Lawrence e Jessica Chastain e basicamente a criar mossa na corrida. Finalmente.

A lista completa dos vencedores pode ser consultada aqui.


Curtas animadas nomeadas ao Óscar: não era eu que queria ter de escolher...


Um ano excelente de curtas-metragens (na continuação de 2011, com "La Luna" da Pixar, nomeada o ano passado ao Óscar, a abrir "Brave"). Não gostava de ter que ser eu a escolher entre estas...

"Paperman"

A música composta pelo realizador John Kahrs dá-lhe um efeito especial que as outras não têm, a juntar à sua fantástica pequena história. O favorito a vencer.




"Head Over Heels"

Ainda por cima é apenas um trabalho final de licenciatura, que venceu o Annie de Melhor Trabalho Estudantil este ano.




"Fresh Guacamole"




"Adam and Dog"

Possivelmente a melhor delas (e isso é dizer alguma coisa), vencedora do Annie para Melhor Curta em 2012.




Fica a faltar a quinta nomeada, "Maggie Simpson: The Longest Daycare", a única que não tenho assim nenhuma particular recomendação a deixar. É gira, como um episódio bom dos "The Simpsons". Podem vê-la AQUI.




Para vocês, qual a melhor?

Os nomeados aos Óscares 2013




Melhor Filme
Silver Linings Playbook
Zero Dark Thirty
Les Misérables
Django Unchained
Life of Pi
Lincoln
Amour
Beasts of the Southern Wild
Argo



Melhor Realizador
Steven Spielberg, Lincoln
Ang Lee, Life of Pi
David O. Russell, Silver Linings Playbook
Michael Haneke, Amour
Benh Zeitlin, Beasts of the Southern Wild


Melhor Actor
Daniel Day-Lewis, Lincoln
Joaquin Phoenix, The Master
Bradley Cooper, Silver Linings Playbook
Hugh Jackman, Les Misérables
Denzel Washington, Flight


Melhor Actriz
Jessica Chastain, Zero Dark Thirty
Jennifer Lawrence, Silver Linings Playbook
Emmanuelle Riva, Amour
Naomi Watts, The Impossible
Quvenzhané Wallis, Beasts of the Southern Wild


Melhor Actor Secundário
Philip Seymour Hoffman, The Master
Tommy Lee Jones, Lincoln
Alan Arkin, Argo
Robert De Niro, Silver Linings Playbook
Christoph Waltz, Django Unchained


Melhor Actriz Secundária
Anne Hathaway, Les Misérables
Sally Field, Lincoln
Amy Adams, The Master
Helen Hunt, The Sessions
Jacki Weaver, Silver Linings Playbook


Melhor Argumento Original
Zero Dark Thirty
Flight
Django Unchained
Moonrise Kingdom
Amour


Melhor Argumento Adaptado
Lincoln
Argo
Silver Linings Playbook
Beasts of the Southern Wild
Life of Pi


Melhor Filme Animado
Frankenweenie
ParaNorman
Brave
Wreck-it Ralph
Pirates! Band of Misfits


Melhor Filme Estrangeiro
Amour (Áustria)
Rebelle (Canadá)
A Royal Affair (Dinamarca)
No (Chile)
Kon-Tiki (Noruega)


Melhor Maquilhagem e Cabelo
Hitchcock
Les Misérables
The Hobbit: An Unexpected Journey


Melhor Guarda-Roupa
Anna Karenina
Les Misérables
Lincoln
Mirror Mirror
Snow White and the Huntsman


Melhor Fotografia
Life of Pi
Lincoln
Skyfall
Anna Karenina
Django Unchained


Melhor Produção Artística
Les Misérables
Anna Karenina
Lincoln
Life of Pi
The Hobbit: An Unexpected Journey

Melhores Efeitos Visuais
The Avengers
The Hobbit
Life of Pi
Prometheus
Snow White and the Huntsman

Melhor Edição (Montagem)
Argo
Life of Pi
Silver Linings Playbook
Zero Dark Thirty
Lincoln


Melhor Banda Sonora 
Lincoln
Life of Pi
Skyfall
Anna Karenina
Argo


Melhor Música Original
"Skyfall", Skyfall
"Suddenly", Les Misérables
"Before My Time", Chasing Ice
"Everybody Needs a Best Friend", Ted
"Pi's Lullaby", Life of Pi


Melhor Efeitos de Som (Edição Som)
Argo
Django Unchained
Life of Pi
Skyfall
Zero Dark Thirty


Melhor Mistura de Som
The Avengers
Les Misérables
The Dark Knight Rises
Skyfall
Life of Pi


Melhor Documentário
How to Survive a Plague
Searching for a Sugar Man
The Gatekeepers
The Invisible War
5 Broken Cameras


Melhor Curta Animada
Paperman
Maggie Simpson in The Longest Daycare
Adam and Dog
Fresh Guacamole
Head Over Heels


Melhor Curta, Documentário
Mondays at Racine
Open Heart
Redemption
Inocente
King's Point


Melhor Curta, Live-Action
Curfew
Death of a Shadow
Henry
9meter
Asad
Buzkashi Boys

Previsões Óscares - Outono: Actores e Actrizes



Já era hora, digam lá, já ganhava vergonha, ainda para mais um blogue que gosta de se armar em guru de cerimónias*! Eis que volto a fazer previsões aos Óscares, quando faltam pouco mais de quatro meses para a cerimónia do próximo ano (a ter lugar dia 24 de Fevereiro). Nesta altura, depois dos festivais de Toronto, Veneza, Telluride e Nova Iorque terem originado alguns candidatos e destruído outros e depois da poeira assentar, é mais fácil organizar na nossa cabeça os verdadeiros candidatos às nomeações e começar a anotar algumas apostas. A corrida começa finalmente a ganhar interesse. Começo pelas quatro categorias de representação e pelas duas principais em particular. 


MELHOR ACTRIZ

PROVÁVEIS 
(por ordem decrescente de probabilidade):

Jennifer Lawrence, "Silver Linings Playbook"
Marion Cotillard, "Rust and Bone"
Helen Mirren, "Hitchcock"
Naomi Watts, "The Impossible"
Meryl Streep, "Hope Springs"

OUTRAS POSSIBILIDADES:
Emmanuelle Riva, "Amour"
Quvenzhané Wallis, "Beasts of the Southern Wild"
Keira Knightley, "Anna Karenina"
Maggie Smith, "Quartet"
Amy Adams, "Trouble with the Curve"


Uma categoria que está muito difícil de ler, para além de Jennifer Lawrence que neste momento parece ter não só assegurada a nomeação, mas também a vitória. Teremos em princípio Marion Cotillard e Emmanuelle Riva a lutar pela vaga estrangeira, sendo que se é verdade que Emmanuelle Riva é tida como espectacular em "Amour", Cotillard recebeu críticas não menos elogiosas por "Rust and Bone", o que significa que ou ambas ficarão de fora, ou (o mais provável) é só uma ter lugar e o meu dinheiro está do lado da actriz Oscarizada que tem uma carreira crescente em Hollywood. Os Óscares gostam mais de voltar a premiar os seus. 


Jennifer Lawrence e Bradley Cooper, "Silver Linings Playbook"

"Hitchcock" é uma incógnita a este ponto mas assumindo que sendo a interpretação de Helen Mirren minimamente boa (como em "The Last Station"), eles a nomeiam, então é seguro dizer que as hipóteses dela por "Hitchcock", em que interpreta Alma Reville, a mulher do realizador mais famoso do planeta, são bastante boas. Da época de festivais começaram a vir ecos da interpretação de Naomi Watts em "The Impossible", a confirmar dentro de algumas semanas. Muitos asseguram que o filme - e Watts - são dignos de muitas nomeações. À falta de maiores certezas, deixo-a cá ficar. Vai ter que ser muito boa para ultrapassar a noção de um filme catástrofe ser nomeado para uma categoria major nos Óscares. Finalmente, apostei em Streep por duas razões: 1) o filme é bastante bom e ela e o Tommy Lee Jones são impecáveis e 2) não há grandes candidatos nesta categoria, o voto vai-se repartir e não será plausível que ela vá ser um dos nomes mais consensuais, até porque acabou de vencer o seu terceiro Óscar à 17ª nomeação? 


Meryl Streep e Tommy Lee Jones, "Hope Springs"

Das minhas outras possibilidades, era em Amy Adams que eu apostava mais mas apesar das boas indicações e críticas, o buzz não está lá. Pode ser que reapareça com os primeiros prémios de críticos. Maggie Smith e Keira Knightley precisam que os seus filmes ganhem mais buzz e que sejam abraçados pelos críticos para terem hipóteses. A outra grande questão da categoria é se Quvenzhané Wallis consegue ser nomeada ou não com a tenra idade de oito anos (ainda para mais depois de ter sido desqualificada pelos SAG). Em teoria penso que sim, razão pela qual que penso que facilmente Watts e Streep podem dar lugar a Riva e Wallis. Na prática... É difícil. É um filme pequeno, com buzz moderado e que dificilmente entrará em grandes nomeações. E depois vai haver gente do contra que há-de vir dizer que ela não representa, que tudo aquilo lhe vem naturalmente. Não sei. Para já, fico assim.


MELHOR ACTOR

PROVÁVEIS:

Daniel Day-Lewis, "Lincoln"
Joaquin Phoenix, "The Master"
John Hawkes, "The Sessions"
Denzel Washington, "Flight"
Hugh Jackman, "Les Misérables"

OUTRAS POSSIBILIDADES:
Anthony Hopkins, "Hitchcock"
Jean Louis Trintignant, "Amour"
Bradley Cooper, "Silver Linings Playbook"
Tom Hanks, "Cloud Atlas"
Tommy Lee Jones, "Hope Springs"

Aqui há menos dúvidas. Day-Lewis, Phoenix (mesmo com a campanha anti-Óscares deste) e Hawkes estão praticamente garantidos entre os nomeados, Denzel Washington vai a caminho e agora a luta é entre os lançamentos a caminho, "Hitchcock" e "Les Misérables". Se algum falhar, há candidatos para ocupar os seus lugares. Vamos por partes. Day-Lewis está seguríssimo, depois das críticas de Nova Iorque virem dar razão aos apostadores. Não será suficiente para uma terceira vitória, talvez, mas é uma nomeação que está garantida. De Phoenix pode-se dizer o mesmo. Aliás, pode-se dizer até que a vitória seria dele se fizesse  campanha. Como não o fez, irá à mesma ser nomeado, graças à sua fenomenal - diz-se - interpretação, mas ganhar... é mais difícil. Hawkes vem numa onda positiva de buzz desde Sundance, tem vindo a perder estofo mas com os primeiros prémios de críticos e as nomeações para Globos, Critics' Choice  e SAG este antigo nomeado ("Winter's Bone", 2010) devem ajudar a que a nomeação não fuja. 


Helen Mirren e Anthony Hopkins, "Hitchcock"

Denzel Washington só não está carimbado também porque a nomeação virá se o filme tiver sucesso na bilheteira (este tipo de dramas, para ganhar nomeações major, precisa de receita de bilheteira significativa, como "The Blind Side" conseguiu para Sandra Bullock) - tem para já a crítica do seu lado (e bem sabemos que a Academia gosta dele). A minha última vaga vai para um de três entre Trintignant (se Riva for nomeada, há boa probabilidade que "Amour" ganhe mais nomeações noutras categorias; uma delas é esta, porque Trintignant é tão bom como Riva e o filme vive do dueto dos dois), Hopkins (no trailer não impressionou; irá a interpretação no seu todo ser bastante melhor? E outra coisa: há quantos anos este Oscarizado actor não se mete num papel a sério?) e Jackman, que foi quem escolhi. "Les Misérables" tem grande potencial para ser o candidato de topo aos Óscares. Jackman é querido pela indústria (e pela Academia, a julgar pelo sucesso a apresentar em 2008), tem provas dadas no cinema e no teatro (ganhou um Tony em 2005) e tem uma excelente voz. Será desta? Relembremos que Tom Hooper conseguiu 3 nomeações para actores pelo seu último filme e que se este filme resultar, mais uma chuva de nomeações irá vir.


Emmanuelle Riva e Jean-Louis Trintignant, "Amour"

Outras opções bastante populares são Tom Hanks por "Cloud Atlas" (não consigo perceber qual vai ser a reacção geral do público e da Academia a este filme), Bradley Cooper ("Silver Linings Playbook" vai ser um dos grandes candidatos, quantas nomeações por arrasto vai conseguir? Cooper será um dos que à cabeça poderá usufruir e ele é, diz-se, muito bom) e Tommy Lee Jones (possibilidade remota, ainda para mais quando ele tem uma nomeação certa por "Lincoln" para Melhor Actriz Secundário à espreita). Ben Affleck ("Argo") pode também ser possível, se o filme arrastar consigo várias outras nomeações, bem como Jack Black ("Bernie") ou Matt Damon ("Promised Land"), que podem ser empurrados pelos críticos à la Demian Bichir o ano passado (ainda me custa que Michael Shannon tenha perdido essa corrida). E mais uma possibilidade que me lembrei agora: e se "The Master" gerasse dois protagonistas nomeados em vez de um, ao contrário do que a campanha sugere? O filme é supostamente um tête-à-tête entre Phoenix e Philip Seymour Hoffman, logo... Pode acontecer.



Philip Seymour Hoffman e Joaquin Phoenix, "The Master"