Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

DIAL P FOR POPCORN

DIAL P FOR POPCORN

Emmy 2010: Melhor Série, Comédia e Drama

A contar os dias para a cerimónia dos Emmy 2010, a decorrer amanhã (não se esqueçam, LIVEBLOGGING aqui no blogue!), achei que seria talvez interessante (pelo menos, para mim é) dar uma vista de olhos nos nomeados das categorias principais e ver quem são os favoritos à vitória (ou, pelo menos, os principais candidatos).



Falta-nos apenas abordar uma categoria das categorias máximas dos Emmy 2010: as séries, os dois prémios mais cobiçados por todas as personalidades televisivas. Teremos repetição dos vencedores passados, "Mad Men" e "30 Rock", que continuariam a sua streak (três para a série dramática, quatro para a série comédica)? Teremos finalmente sangue novo a arrumar com os campeões em título, como "Glee", "Modern Family" ou "The Good Wife"? Ou será que o sentimentalismo pode levar alguns votantes a abraçarem uma última vez "Lost"?

Vamos à análise então. Começamos por Melhor Série - Drama. Os nomeados são:


Uma categoria que me parece bastante clara em análise, quanto a mim. "True Blood" é o primeiro excluído da corrida, como é mais do que óbvio. A única nomeação que a série obteve é, por mais merecida que seja, o seu prémio de consolação. Os episódios submetidos ("Never Let Me Go", "Scratches", "Nothing but the Blood", "Shake & Fingertop", "I Will Rise Up" e "Frenzy") são interessantes, divertidos, exploram muito bem as várias storylines que decorreram na segunda temporada da série mas ainda assim não são suficientes para ganhar (recordo-vos que o ano passado "Big Love", outro drama diferente do convencional da HBO, também só conseguiu uma nomeação, precisamente nesta categoria). De resto, todos podem ganhar. Expliquemos porquê. "Lost" tem o grande trunfo de ter acabado esta temporada e, embora com um final envolto em alguma polémica, foi uma despedida em cheio dos vários fãs que seguiram desde o primeiro momento a série, vencedora do Emmy desta categoria pela primeira temporada em 2005. Os episódios escolhidos são todos bastante fortes ("The End" - em duas partes, "Ab Aeterno", "Happily Ever After", "Dr. Linus", "The Candidate") e se o sentimentalismo reinar (só uma série dramática, "The Sopranos", venceu pela sua última temporada), podemos ter aqui o nosso vencedor. "Dexter" teve das suas melhores temporadas e continua com inegável sucesso e qualidade e o facto de ter conseguido várias nomeações e garantido já a vitória de Lithgow como Melhor Actor Convidado pode ser indicador que se irá sair bem na cerimónia. Contudo, este "sair-se bem" pode querer significar mais a vitória de Hall do que propriamente da série. É um candidato sério, é um facto e agradaria a muitos que finalmente ganhasse (episódios muito bons - "Dex Takes a Holiday", "Dirty Harry", "Road Kill", "Hungry Man", "Hello Dexter Morgan" e "The Getaway"), mas é um candidato que corre por fora destes três seguintes.

"Breaking Bad" é o 'dark horse' da corrida, por assim dizer. O melhor drama este ano na televisão, a par da outra série da AMC, "Mad Men", uma temporada extraordinária, um elenco que brilhou muito este ano e que conta com dois grandes candidatos a vencer as suas categorias respectivas, Cranston e Paul. Os membros da Academia gostam evidentemente da série, como se comprova pelas duas vitórias de Cranston para Melhor Actor, o problema é o tema muito negro e a depressão que é característica da série, que pode não ajudar a que mais gente vote neles. Excelentes episódios ("Half Measure", "Full Measure", "No Más", "Sunset", "One Minute" e "Fly") mas pode não ser ainda este o seu ano. A grande surpresa da cerimónia pode ser, de facto, a vitória da estreante "The Good Wife". Tem várias qualidades a seu favor: um grande elenco (a comprovar três nomeações nas categorias de actores), uma extraordinária protagonista (a provável vencedora da sua categoria), ser um procedural da CBS, ter boas audiências, ter tido excelentes críticas, ter submetido bons episódios ("Pilot", "Threesome", "Hi", "Bang", "Fleas", "Heart"), ter grande número de nomeações, ter sido considerado a melhor série em canal aberto e sim, ajuda ser uma série de um canal público.

Apesar de tudo isto, não há volta a dar: os prognósticos todos apontam para uma repetição do resultado dos últimos dois anos, com a vitória de "Mad Men". A melhor série dramática dos últimos anos voltou a ter uma temporada impressionante, com brilhantes desempenhos de todo o seu elenco, percorreu novos territórios e abordou novas e interessantes storylines e continua imaculadamente bem produzida, bem concebida, bem escrita e bem realizada. Seis grandes episódios foram submetidos para avaliação ("The Grown Ups", The Gypsy and the Hobo", "Shut The Door, Have a Seat", "My Old Kentucky Home", "Guy Walks Into An Advertising Agency", "Seven Twenty Three"). Sendo que a única série dos últimos anos tão bem recebida que não repetiu consecutivamente vitórias foi mesmo "The Sopranos" ("The West Wing" ganhou quatro vezes seguidas durante as primeiras temporadas de "The Sopranos", tendo "Lost", a revelação, roubado o bicampeonato à série de David Chase, com "24" a vencer por sua vez em 2006, antes de "The Sopranos" voltar a ganhar), como não há-de ganhar?


Analisados que estão os dramas, vamos pegar nas comédias. Os nomeados para Melhor Série - Comédia são:


Se a outra me parecia clara, esta dá-me mais dúvidas, não quanto aos candidatos, mas quanto ao vencedor final. "The Office" tem que ficar contente já só por continuar a ser nomeado, porque num ano em que tantas comédias excelentes apareceram (cinco exemplos não nomeados: "Cougar Town", "Community", "Gravity", "Hung", "Bored to Death") e outras tantas continuaram ignoradas ("Chuck", "Ugly Betty", "Better Off Ted", "Parks and Recreation", "Party Down"), manterem a mediocridade... Só pode ter sido por estarem habituados a fazerem a cruz naquele sítio. Vá lá que pelo menos já mandaram "Entourage" embora. Seis episódios de nível mediano (só escapando mesmo o duplo episódio "Niagara", porque "Gossip", "Murder", "The Lover" e "Secret Santa" são bastante maus) não vão dar para que esta série, vencedora na sua segunda temporada, repita a proeza. Outra que infelizmente não seguiu o caminho de "Entourage" foi "Curb Your Enthusiasm". Aprecio a série, reconheço-lhe os méritos, mas desculpem-me, Larry David é um comediante, não um actor. Sempre que ela é elegível para os Emmy, ela é nomeada, mas com o calendário errático que tem, estranha-me que os votantes se lembrem sempre dela. Este foi dos anos mais fortes (seis episódios interessantes: "The Reunion", "Seinfeld" - o grande ás desta série, pode ganhar muitos votos, "Vehicular Fellatio", "The Table Read", "Denise Handicapped" e "The Bare Midriff" ) e portanto se há possibilidade de esta série alguma vez ganhar o prémio, é este ano. Mas não contem com isso.

A surpresa entre os nomeados foi "Nurse Jackie" para melhor série de comédia. E se é verdade que eu até acho que merecia a distinção mais do que outras séries aqui nomeadas, os episódios escolhidos não são extraordinários ("Pilot", "Apple Bong", "Tiny Bubbles", "Ring Finger", "Health Care and Cinema" e "Monkey Bits") e a série é um bocado fora para apelar a muitos membros da Academia. Considerem-na uma possibilidade infinitamente remota. Edie Falco, contudo, deve vencer Melhor Actriz, o que me parece que será já um prémio bastante porreiro para a série da Showtime. A popularidade de "Glee" é o seu maior trunfo, pois em matéria de episódios a escolha não foi boa e além disso a série, como comédia, não é nada por aí além. Se é verdade que "Pilot", "Sectionals" e "Wheels" foram bastante bem vistos pelo público e pela crítica, "The Power of Madonna", "Home" e "Preggers", dois deles da segunda metade da temporada, em que boa parte do buzz ganho com as vitórias nos Globos de Ouro e SAG e com as audiências foi-se, são episódios bem medíocres que nunca dariam para em condições normais esta série sonhar com a vitória. Dependerá muito da reacção dos jurados à série. Se os entusiasmar, provavelmente será número 1 em muitos boletins, mas não deverá ganhar (relembre-se que nem sempre o buzz ganha prémios - exemplos: "Desperate Housewives", "Ugly Betty", "Grey's Anatomy"). E agora chegamos aos dois principais candidatos à vitória. "30 Rock" é o tricampeão em título, perdeu algum buzz com esta temporada com algum declínio de qualidade, mas mantém intactas as características que os membros da Academia tanto apreciaram em ocasiões passadas. Além disso, escolheu bem os episódios a submeter a votos, pois são claramente os seis melhores episódios da temporada ("Don Geiss, America and Hope", "Dealbreakers Talk-Show #001", "Anna Howard Shaw Day", "Black Light Attack", "The Moms" e "Emmannuelle Goes to Dinosaur Land"). Não vai ganhar, muito provavelmente, porque a série que se segue dominou a temporada no que a comédias diz respeito.

"Modern Family" pegou num conceito antigo, refrescou-o ligeiramente e criou uma comédia fantástica da qual Levitan e Lloyd se podem orgulhar. Um elenco genial, episódios impressionantes, diversificados, engraçados e muito bem-dispostos e - note-se, algo que pouquíssimas séries se podem orgulhar - não teve um episódio que não fosse muito bom. (avaliei todos os episódios da série com classificação B+ ou superior). O que me leva a intuir que este seja o nosso vencedor? Vejamos... cinco nomeações para actores do elenco (cinco em seis dos actores adultos), mais nomeações nas categorias de escrita que "30 Rock", que dominara a categoria em anos transactos, dezassete nomeações no total, só abaixo de "Glee" - que compete em categorias, como Melhor Guarda-Roupa e Melhores Efeitos que esta sitcom não consegue - e "Mad Men", a melhor série dramática da televisão. Aqui temos o nosso vencedor. Sangue novo, finalmente, nesta categoria.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.