Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DIAL P FOR POPCORN

DIAL P FOR POPCORN

Por falar em McConaughey...


Foi lançado pela HBO há uns dias isto.


Cary Fukunaga, do qual sou um confesso admirador ("Sin Nombre" e "Jane Eyre" estão na minha lista de melhores filmes dos seus respectivos anos - e o homem só tem 35 anos e já tem estas duas grandes películas assinadas por si), junta um Matthew McConaughey em estado de graça a um Woody Harrelson em profunda sub-utilização (um dos melhores actores em Hollywood - pena é Hollywood não saber o que fazer com ele). Esta minisérie "True Detective" ai dar televisão de respeito, aposto. A HBO não engana.

Preciso que alguém me explique...



Como é que o James McAvoy ainda não está no topo das listas de casting de Hollywood. Bom em biografias? Sim. Bom em romances de época? Podem apostar. Bom em franchises de superheróis? Cá está a prova. Bom em dramas? Sem dúvida. Sabe fazer comédia? A resposta (não vos) surpreende. Porra, até em televisão o homem é excelente. (Não falemos de "Trance" porque... enfim).

Há coisas que parecem inexplicáveis... Vai acontecer com ele o mesmo que McGregor, Sheen e Ruffalo? Está-me a parecer que sim... Entretanto, cá fica o trailer de FILTH, o seu novo filme:




Game on, Leonardo


Pois é, Leonardo, tu bem sabes que eu não tenho ido muito com a tua cara. Andas desde "The Aviator" basicamente a reciclar o mesmo estilo de personagem, a mesma nuance dramática, os mesmos problemas existenciais. Dirão os seus acérrimos (e são mesmo, nunca vi nada que se equivalesse e eu sou um defensor maluco da Meryl Streep, porra!) defensores que é o melhor actor da sua geração e um dos melhores de sempre já. Discordo. Vi pouco ainda em termos de variedade e versatilidade para te compararmos - e só falando dos mais recentes astros - a DeNiro, Nicholson, Day-Lewis e outros que tais. 

Se me encantaste em "Who's Eating Gilbert Grape" e "The Basketball Diaries" foi porque a tua representação tem uma leveza e ingenuidade que não encontra par no imenso calculismo das tuas últimas interpretações. Foi preciso chegar Tarantino para te soltar um pouco. E o Baz (vá, com o Baz surpreendeste-me mesmo a sério). E pareces ter gostado, tendo em conta o trailer em estreia da tua nova colaboração com o Marty, "The Wolf of Wall Street", sobre a qual já afirmaste ser a tua melhor interpretação de sempre (ou a mais completa; alguma coisa parecida a isso).


Cá estaremos para julgar. Para já o trailer surpreendeu-me - não sabia que o Marty agora fazia comédias. Pelo menos tu pareces estar-te a divertir - e o Matthew McConaughey continua a ressurreição mais impressionante de uma carreira em Hollywood que eu vi em tempos recentes. Está um monstro - e quem não concordar, que veja "Killer Joe", "The Paperboy", "Magic Mike" e "Bernie" (e "Mud", a estrear) e depois venha falar comigo.


Deixemos as conversas sobre Óscares para mais tarde - embora admita que gostava de ver ambos com uma linda estatueta dourada, uma que premiasse a consistência e ascensão estratosférica do primeiro ao topo de Hollywood (admito que merece, mesmo eu não sendo o maior fã) e a recuperação fantástica do segundo.

[ANTEVISÃO] ZERO DARK THIRTY



Depois de ter saído da sala de cinema a meio de The Hurt Locker, acredito que será com Zero Dark Thirty que Kathryn Bigelow (vencedora da Estatueta Dourada de Melhor Filme e Melhor Direcção com The Hurt Locker em 2010) me conseguirá convencer. A história tem potencial, os trailers são promissores, o elenco está bem recheado. Zero Dark Thirty recria a longa jornada que culminou na captura de Osama Bin Laden, naquela que foi a maior caça ao homem de que há memória nos tempos modernos. Nos Estados Unidos a estreia será ainda este mês. O lugar cativo nos Oscars deste ano está mais do que assegurado, com um argumento bem à medida para a nomeação em várias categorias. Arrisco-me, até, a dizer-vos que o currículo de Kathryn e o potencial e importância da história com que se apresenta a concurso, Zero Dark Thirty é um dos mais fortes candidatos a liderar os prémios da edição de 2013 da Academia. Estreia em Portugal no dia 17 de Janeiro.


[TRAILER] THE PERKS OF BEING A WALLFLOWER


Todos os anos há um filme rotulado como hipster, que sobressai e que acaba por ser adorado por uns e criticado por outros (Submarine recebeu o prémio hipster do 2011).  A pergunta que vos deixo é esta: The Perks of Being a Wallflower será o filme hipster de 2012? Estreia em Portugal marcada para dia 22 de Novembro.