Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

DIAL P FOR POPCORN

DIAL P FOR POPCORN

YOU WILL MEET A TALL DARK STRANGER (2010)




Eu até percebo a ideia. Mas tenho que vos ser sincero: O novo filme de Woody Allen é um tremendo aborrecimento. É daquele tipo de filmes que conseguem fazer-nos desesperar pelo seu final, pedir por favor para que o tempo passe e, em alguns momentos desabafar: "Isto era tão escusado..."


Nos pontos positivos, os mesmo de sempre e aquilo em que Woody Allen raramente falha: A fotografia e a banda-sonora. O que há de tão pobre em "You Will Meet a Tall Dark Stranger" é exactamente aquilo em que Allen é um senhor: o humor, o argumento, a ideia. É quase tudo medíocre, banal. Não há aqueles momentos de inteligência superior como os de "Whatever Works" ou aquela sabedoria magistral dos triangulos amorosos de "Vicky Cristina Barcelona" (só para recordar os seus mais recentes títulos, claro).




"You Will Meet a Tall Dark Stranger" é uma história sobre a sociedade actual. Eu não condeno o desejo que muitos dos realizadores tiveram, principalmente nesta última década, de explorar as consequências de uma sociedade comandada pelo dinheiro e interesses políticos, em que a grande maioria das pessoas são, e agora utilizo uma frase deste filme, "clichés ambulantes". Aliás, dá-me um grande gozo ver o que cada um consegue fazer com este tipo de história.




Woody Allen tentou abordar um lado que, até agora, ainda não tinha visto noutros realizadores. Neste filme tudo corre mal, está tudo destinado à desgraçada, ao fracasso, à solidão. Os problemas perseguem os protagonistas desta história e, por mais voltas que tentem dar, não conseguem sair do esgoto em que se enfiaram.

Tudo começa com o divórcio de Alfie (Anthony Hopkins) e Helena (Gemma Jones), pais de Sally (Naomi Watts), uma jovem licenciada em arte que casou com um promissor escritor que tinha tudo para lhe dar aquilo com que ela sempre sonhara: um marido culto, bonito, apaixonado e romântico, uma família grande e feliz, uma vida farta e sem problemas. No entanto, aquilo que parecia um conto de fadas, rapidamente se transforma em mais um banal casamento, em que duas pessoas se encontram juntas, limitando-se a esperar que o tempo passe.


Roy (Josh Brolin), que abdicou do curso do medicina para se dedicar à escrita, não passou de mais uma promessa falhada, com um grande sucesso de estreia, que não conseguiu suportar nos seus livros seguintes. Frustrados, Sally e Roy vão perdendo aos poucos a paixão que os une e começam a dirigir a sua atenção para outras pessoas: Roy está fascinado com a sua misteriosa vizinha, Sally encantada com o seu patrão.


Enquanto tudo isto acontece, Alfie apaixona-se por uma jovem prostituta, com a qual pretende casar e ter filhos. Leva uma vida de luxuria que, inevitavelmente, acabará por lhe sair bastante cara. E no meio de tudo isto, ainda levamos com as ideias completamente esquizofrénicas de Helena, que se entregou ao espiritismo após a separação e rege a sua vida pelas cartas de tarot. É uma mulher aterrorizada com a ideia de que o seu fim está próximo, alimentando a esperança de que existe vida para lá daquela em que se encontra.


"You Will Meet a Tall Dark Stranger" é, no fundo, o incansável desejo que muitos têm de procurar sempre algo mais. De nunca estarem satisfeitos, completos e realizados. De sonharem sempre com algo melhor, de sonharem com um futuro mais próspero e risonho. De acreditarem, de arriscarem. É esse o desejo que consome cada uma das personagens deste filme. Uma bonita ideia, num filme mal conseguido.


Nota Final:  
D


Trailer:




Informação Adicional:

Realização: Woody Allen
Elenco: Naomi Watts, Anthony Hopkins, Lucy Punch, Freida Pinto, Josh Brolin, Gemma Jones, Antonio Banderas
Argumento: Woody Allen
Ano: 2010
Duração: 98 minutos


7 comentários

Comentar post