Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

DIAL P FOR POPCORN

DIAL P FOR POPCORN

Emmy 2010: Melhor Actriz, Comédia/Drama

A contar os dias para a cerimónia dos Emmy 2010, a decorrer no dia 29 de Agosto, achei que seria talvez interessante (pelo menos, para mim é) dar uma vista de olhos nos nomeados das categorias principais e ver quem são os favoritos à vitória (ou, pelo menos, os principais candidatos).


Depois de ter pegado em Melhor Actor, vamos às categorias de Melhor Actriz.


Para Melhor Actriz - Drama, as nomeadas foram (por ordem alfabética - as fotos também estão ordenadas assim):


Connie Britton, "Friday Night Lights"
Glenn Close, "Damages"
Mariska Hargitay, "Law & Order: Special Victims Unit"
January Jones, "Mad Men"
Julianna Margulies, "The Good Wife"
Kyra Sedgwick, "The Closer"

Uma lista de nomeados interessante e um ano em que de facto dou os parabéns aos Emmy por arrumarem com duas nomeadas pereniais (Sally Field e Holly Hunter - faltou ainda arrumar com Mariska Hargitay mas lá chegaremos... eventualmente!). De resto, merecidíssimo para Glenn Close, Julianna Margulies e January Jones, mais ainda para Connie Britton e pronto, se é para nomear alguém continuamente, seja alguém que 1) ainda não ganhou e 2) apresente sempre trabalho acima da média, como é o caso de Kyra Sedgwick. Pena é que mesmo assim excelentes actrizes como Anna Paquin e Katey Sagal, ambas já merecedoras de honra.

Abordando os episódios... ao contrário de anos passados, Connie Britton não teve um episódio em particular na temporada onde brilhasse (se bem que é a sua temporada, na íntegra, mais forte). Ainda assim, ela escolheu "After the Fall" que é indubitavelmente um dos episódios mais fortes da temporada e onde ela tem bons momentos, mas não deverá permitir-lhe a vitória. Glenn Close, bicampeã da categoria, escolheu um episódio onde ela incorpora tudo aquilo que foi Patty Hewes (fragilidade aliada a impenetrabilidade) esta temporada, "Your Secrets Are Safe" (ainda bem que a DirecTV salvou "Damages" de um final antecipado, pois a série não merecia) e é claramente uma das favoritas a ganhar. A outra favorita é seguramente a estreante Julianna Margulies, que é protagonista da série dramática da temporada (não há como roubar a "Glee" o título de série da temporada, não é?), "The Good Wife" e ela submete um bom episódio, "Threesome". Não é aquele que eu acho que seja o mais indicado para ela exibir os seus talentos, mas a vitória nos Globos de Ouro e nos SAG Awards indicam que ela tem o voto dos seus pares e será ela a favorita a ganhar. Não creio que Hargitay (mais do mesmo em outros anos, escolhendo um episódio habitualmente chocante, como é "Perverted"), que já venceu anteriormente e Sedgwick (que submeteu um episódio excelente - eu, que não acompanho a série regularmente, fiquei bastante surpreendido com "Maternal Instincts" pela positiva), que ainda não venceu mas já devia ter vencido, possam fazer mossa na corrida. A minha wild card é January Jones, que foi duas vezes roubada de uma nomeação nesta categoria em detrimento da colega Elizabeth Moss da mesma série, que este ano decidiu mudar para Melhor Actriz Secundária, no intuito de abrir lugar para Jones. A verdade é que Jones teria lugar, na minha opinião, mesmo com Moss nesta categoria, porque ela foi soberba a temporada inteira e em todos os episódios existem excelentes cenas para ela submeter. Ela escolheu "The Gipsy and The Hobo", que é sublime (eu preferia "Shut The Door, Have a Seat", o final de temporada, mas enfim) e, se formos a ver pelo valor individual dos episódios, ela ganharia.


Vamos agora a Melhor Actriz - Comédia. As nomeadas foram (por ordem alfabética - as fotos também estão ordenadas assim):
 
 
Toni Collette, "United States of Tara"
Edie Falco, "Nurse Jackie"
Tina Fey, "30 Rock"
Julia Louis-Dreyfus, "The New Adventures of Old Christine"
Lea Michele, "Glee"
Amy Poehler, "Parks and Recreation"

Eu senti-me orgulhoso por ter apostado em Louis-Dreyfus quando (quase) ninguém apostava antes de saírem as nomeações. Era difícil que, com o pedigree da actriz, com as nomeações em todas as temporadas, tendo já ganho uma vez, com a série a acabar e com o carinho por Seinfeld, a actriz fosse esquecida. E não foi. As restantes nomeadas seriam minhas escolhas na minha lista de Melhor Actriz - Comédia, daí que fiquei imensamente satisfeito com estas nomeadas. Claro que eu adoraria que em vez de Louis-Dreyfus a Academia tivesse decidido honrar uma última vez America Ferrera pela sua "Ugly Betty" ou Portia de Rossi por "Better Off Ted", ou que tivesse abandonado o preconceito inexplicável que têm contra Courteney Cox ("Cougar Town"), a única dos "Friends" não nomeada para um Emmy, ou que não tivessem arrumado com a excelente Mary-Louise Parker ("Weeds") apesar de uma horrível temporada, mas é assim a vida, não se pode ter tudo.

Há que dizer desde já que a possibilidade de qualquer uma das duas vencedoras anteriores repetir a proeza (Fey e Collette) é grande. "Torando!" é uma extraordinária amostra da capacidade, do talento e da qualidade de Toni Collette ao leme da série de Diablo Cody. É impressionante como ela consegue tornar um episódio em que todas as suas múltiplas personalidades, incluindo a mais recente, surgem e não ser uma valente confusão. E "Dealbreakers Talk Show #0001" será possivelmente o melhor episódio de Tina Fey desde a primeira temporada. E dos poucos desta temporada que eu achei equivalente aos de outros tempos. A nomeação de Poehler (que submeteu "Telethon", que não é de todo o seu melhor episódio da temporada) e de Louis-Dreyfus (que escolheu "I Love What You Do For Me" - eu não gostei, mas eu não consigo ser objectivo sobre esta série porque nunca a achei com piada) será já um prémio em si mesmo. Lea Michele teria algumas possibilidades, mas ao escolher "Sectionals" em vez de, por exemplo "Showmance" ou o episódio piloto, arruinou qualquer hipótese de surpresa. E depois veio Edie Falco e toda a gente sabe a relação de amor que os Emmy têm com ela graças a "The Sopranos" (3 vitórias em 6 nomeações, mais uma nomeação como actriz convidada em "30 Rock") - a prová-lo está a nomeação, vinda quase do nada, da sua série, "Nurse Jackie", para Melhor Comédia. Embora a corrida seja na verdade a três, Falco é a candidata principal e a sua escolha de episódio (submeteu o piloto) revela claramente inteligência.